COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

O favoritismo da Seleção Brasileira após o sorteio não ficou apenas no discurso teórico. Colocada como cabeça de chave do grupo E, a equipe comandada por Tite foi muito exaltada pelos treinadores adversários após o evento. De forma unânime, as declarações deram conta de que a briga entre Suíça, Costa Rica e Sérvia é apenas pelo segundo lugar e os comandantes fizeram questão de ressaltar que a conquista de um ponto nos duelos contra o Brasil será o diferencial para determinar o outro classificado.

Líder absoluta do grupo que deixou País de Gales fora da Copa, a Sérvia teve atuações surpreendentes, mas vai para a Copa do Mundo com um técnico novo. Após as Eliminatórias, Slavoljub Muslin foi demitido e Krstajic foi contratado. Com uma proposta de um futebol intenso e compacto, o novo comandante fez questão de valorizar sua equipe, mas admitiu que a briga será pelo segundo lugar.

“Todos sabemos que o Brasil é um dos principais candidatos não apenas do nosso grupo, mas para vencer a Copa. A realidade dos outros times é brigar pelo segundo lugar e não podemos perder pontos entre nós. Quem vencer dois jogos estará classificado”, disse Krstajic. “Temos um time que joga de forma compacta e peço muita intensidade aos meus atletas. Nosso trabalho tem muito para evoluir e acredito que vamos conseguir algo grande”, completou o treinador sérvio.

Adversário do Brasil na estreia da Copa, dia 17 de junho, em Rostov, Vladimir Petkovic, treinador da Suíça, foi um pouco mais ambicioso em sua análise e acredita que um ponto com o Brasil pode definir a classificação do time suíço para a segunda fase. “O Brasil logo de cara é um choque, mas acredito que possa ser bom para nosso time. O primeiro jogo sempre apresenta aquele peso extra e isso pode, quem sabe, trazer um ponto para a Suíça”, disse o treinador.

Almejando uma vaga entre os 16 melhores times da Copa do Mundo, o comandante suíço não poupou elogios a Seleção Brasileira, que acredita estar bem cotada para a conquista da taça. “Temos de ser realistas. O Brasil é o grande favorito a passar em primeiro do grupo e vencer a Copa. É importante que nós entremos conscientes de quem vamos enfrentar e jogar com a cabeça no lugar”, ressaltou Petkovic.

 

 



O sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018 aconteceu na tarde desta sexta-feira, na Rússia, local do evento no próximo ano. A cerimônia contou com a presença do técnico Tite e do dirigente Edu Gaspar, que viram a Seleção Brasileira ser sorteada no Grupo E, que conta com Sérvia, Suíça e Costa Rica.

Nenhum dos grupos da primeira fase da Copa possui duas seleções campeãs mundiais. Primeiro campeão da história do torneio, o Uruguai está no Grupo A. Espanha, campeã em 2010, ocupa o Grupo B. Já a França, que possui dois títulos, é a cabeça de chave do Grupo C. A Argentina, que penou para se classificar à Copa, está no D. Com Alemanha, no F, e Inglaterra no G. O único grupo que não possui uma seleção campeã mundial é o H.

A Rússia, anfitriã da Copa de 2018, abre a competição no dia 14 de junho, em jogo no estádio Luzhniki, às 12h (de Brasília). O último jogo da fase de grupos acontece no dia 28 de junho, no duelo entre Senegal e Colômbia, às 11h.

Confira a tabela detalhada dos grupos da Copa do Mundo respeitando o horário de Brasília):





Sentado atrás do alemão Joachim Low, Tite acompanhou atentamente o sorteio dos grupos da Copa do Mundo 2018, realizado na tarde desta sexta-feira, no Kremlin. Os deslocamentos da primeira fase e a possibilidade de encontrar a Alemanha logo nas oitavas de final não preocupam o técnico da Seleção.

Cabeça de chave do Grupo E, o Brasil viajará para Rostov-on-Don, São Petersburgo e Moscou para enfrentar Suíça, Costa Rica e Sérvia, respectivamente. Baseado em Sochi, o time comandado por Tite não atuará na cidade, algo minimizado pelo próprio treinador.

Veja também:
Tabela com datas e horários da Copa do Mundo

“Não teríamos como contornar essa situação. O que procuramos é a melhor logística possível, principalmente para mim, em termos técnicos. Não dava para controlar os locais, mas posso assegurar que as situações são de transportes que, independentemente da distância, são rápidos”, afirmou Tite, atento aos fatores que pode determinar.

“Deixa eu gastar toda minha energia nas variáveis que posso controlar. É o treinamento com qualidade, a logística que permite aos atletas evoluírem, um grau de confiança importante, um fortalecimento e crescimento da equipe. Essas variáveis, posso controlar. As outras, são das circunstâncias de competição”, afirmou.

Atual campeã mundial, a Alemanha compõe o Grupo F com México, Suécia e Coreia do Sul. Se o Brasil avançar em primeiro lugar e a seleção germânica em segundo ou o contrário, as duas equipes duelam logo nas oitavas de final. Questionado sobre os possíveis rivais, Tite preferiu destacar a dificuldade do torneio em geral.

“O nível de exigência é muito alto, ainda mais com o aspecto emocional aflorado. O campeão há três edições (Itália) não está, o terceiro da última Copa (Holanda) não está, o bicampeão da Copa América (Chile) não está”, exemplificou. “É uma responsabilidade grande e também uma alegria muito grande nós buscarmos a excelência”, afirmou.

Tite admitiu desconhecer detalhes sobre a Sérvia e prometeu estudar todos os primeiros rivais. “É importante fazer ajustes às características e formas dos adversários”, disse, com o foco em sua própria equipe. “A essência é o Brasil se consolidar, se fortalecer, encontrar variáveis e estar preparado para os adversários”, reiterou.



Acessível. Esse é o pensamento de um dos maiores ídolos da Seleção Brasileira depois do sorteio que definiu os adversários da fase de grupos da Copa do Mundo. Após o evento, Ronaldo “Fenômeno” se mostrou satisfeito com os jogos da primeira fase, em comparação aos concorrentes diretos na disputa do título. O ex-jogador também se mostrou confiante no primeiro lugar do grupo E.

Veja também:
Tabela com datas e horários da Copa do Mundo

“Acho que os grupos saíram bem equilibrados e podemos ficar contentes pelo grupo que pegamos. Temos totais condições de sair em primeiro desse grupo. Vimos alguns grupos mais complicados, como o grupo da Espanha com Portugal. Mas acho que nosso grupo está bem acessível e que o Tite já está montando seu plano”, disse Ronaldo, em entrevista ao canal SporTV.

O caminho do Brasil rumo aos confrontos eliminatórios já é de ciência de todos. A estreia acontece no dia 17 de junho, em Rostov, diante da Suíça. No dia 22 enfrenta a Costa Rica em São Petersburgo e fecha a fase de grupos enfrentando a Sérvia, em Moscou, no dia 27 de junho.

Apesar de adversários considerados “acessíveis”, o Brasil deve ter uma missão além das quatro linhas. Algo que preocupa a comissão técnica são as viagens e os trajetos que o time terá de percorrer apenas na fase de grupos. A sede da Seleção será em Sochi, mais próxima do local da estreia. Porém, serão longas viagens para os duelos diante de Costa Rica e Sérvia.

O deslocamento não é considerado um problema para o pentacampeão em 2002. Ronaldo acredita que a preparação será o grande diferencial, mais do que os longos trajetos. “Não acho que isso preocupe (viagens). A verdade é que o mais importante nesse caso é a preparação. Tem que ser muito tranquila. A Seleção tem que estar talvez até mesmo afastada para ter o foco somente no treinamento. Deslocamento, todos os jogadores no mundo todo estão acostumados a fazer. Acho que isso não vai ser nenhum problema”, completou o “Fenômeno”.



Os grupos da Copa do Mundo 2018 foram sorteados durante a tarde desta sexta-feira, no Kremlin. Integrante do Grupo E do torneio, a Seleção Brasileira encara a Suíça em seu primeiro compromisso e em seguida tenta confirmar a vaga nas oitavas contra Costa Rica e Sérvia.

Cabeça de chave do Grupo E, o time comandado pelo técnico Tite enfrenta a Suíça às 15 horas (de Brasília) do dia 17 de junho, em Rostov-on-Don. Às 9 horas de 22 de junho, o duelo é com a Costa Rica, em São Petersburgo. No último jogo da primeira fase, às 15 horas de 27 de junho, o Brasil pega a Sérvia, em Moscou.

Atual campeã mundial, a Alemanha compõe o Grupo F com México, Suécia e Coreia do Sul. Se o Brasil avançar em primeiro lugar e a seleção germânica em segundo ou o contrário, as duas equipes duelam logo nas oitavas de final da Copa do Mundo.

Veja também:
Tabela com datas e horários da Copa do Mundo

Na partida de abertura do torneio, programada para as 12 horas de 14 de junho, a Rússia enfrenta a Arábia Saudita, em Moscou. O Grupo A do torneio, encabeçado pelos donos da casa, é completado por Egito e pela tradicional seleção uruguaia.

Participaram da cerimônia de sorteio Cafu (Brasil), Diego Armando Maradona (Argentina), Diego Forlan (Uruguai), Fabio Cannavaro (Itália), Carles Puyol (Espanha), Laurent Blanc (França), Gordon Banks (Inglaterra) e Nikita Simonyan (Rússia). O britânico Gary Lineker comandou o evento ao lado da jornalista local Maria Komandnaya.

O técnico Tite, sentado ao lado de Edu Gaspar, acompanhou atentamente o sorteio realizado no Kremlin. Coincidentemente, os brasileiros estavam posicionados logo atrás do técnico alemão Joachim Low. Pelé marcou presença e foi saudado pelos outros craques, entre eles Maradona.

Na parte inicial do evento, Vladimir Putin discursou ao lado de Gianni Infantino, mandatário da Fifa. “Nosso país pretende realizar a Copa no mais alto nível, para que os jogadores possam demonstrar sua maestria. Temos certeza que impressões inesquecíveis serão deixadas naqueles que vierem à Rússia”, disse o presidente local.

Confira o resultado do sorteio das chaves da Copa do Mundo 2018:

GRUPO A
Rússia
Arábia Saudita
Egito
Uruguai

GRUPO B
Portugal
Espanha
Marrocos
Irã

GRUPO C
França
Austrália
Peru
Dinamarca

GRUPO D
Argentina
Islândia
Croácia
Nigéria

GRUPO E
Brasil
Suíça
Costa Rica
Sérvia

GRUPO F
Alemanha
México
Suécia
Coreia do Sul

GRUPO G
Bélgica
Panamá
Tunísia
Inglaterra

GRUPO H
Polônia
Senegal
Japão
Colômbia





A Copa do Mundo fará com que a Fórmula tenha uma mudança inédita em seu calendário (Foto: Alexander NEMENOV / AFP)

Que a Copa do Mundo é um dos eventos mais populares e assistidos do mundo esportivo, isso a maioria das pessoas já sabe. Porém o alcance do principal torneio do futebol mundial irá influenciar até mesmo o calendário da Fórmula 1 em 2018. Quem afirmou a mudança diretor esportivo da F1, Ross Brawn, afirmando que não quer cometer o erro que teve em 2010, quando ocorreu o mundial na África do Sul.

Com isso, a Fórmula 1 terá pela primeira vez, em toda história da modalidade, três corridas em três fins de semanas consecutivos. No caso, o GP da França (24 de junho), Áustria (1º de julho) e Inglaterra (8 de julho) acontecerão de forma consecutiva na temporada de 2018.

“A Copa do Mundo nos trouxe um problema muito incomum. A final do mundial é à tarde e teria sido muito injusto realizar uma corrida no mesmo fim de semana”, afirmou o diretor esportivo. Para ele a mudança vai ser importante para que os dois eventos não tenham interferência e que o público possa acompanhar tanto a corrida como os jogos do torneio de futebol.

O diretor esportivo também ressaltou que essa postura será tomada para  o ano que vem, porém que o objetivo é encontrar novas formas de planejamento ara que isso não aconteça mais quando coincidirem datas de eventos esportivos. “Só conseguimos resolver isso ao ter três corridas seguidas, mas não é algo que queremos repetir no futuro. Aquilo foi uma medida de emergência.”

 



O sorteio dos grupos da Copa do Mundo acontece nesta sexta e os últimos ajustes e testes estão sendo feitos para a cerimônia. No ensaio final, Carles Puyol, um dos convidados que farão parte do sorteio, viu a Espanha cair no grupo da anfitriã Rússia e iniciar a Copa no jogo de abertura. Simulações à parte, Puyol comentou sobre sua seleção.

“A Espanha é uma das favoritas, tem uma equipe muito boa, mas ainda precisamos ver como ela entra. Todos sabemos que os jogadores da seleção jogam muitas partidas, chegam longe nas competições europeias”, o ex-zagueiro também analisou o momento da La Roja, “Você não pode viver do passado e esse time não vai fazer isso. Se é um favorito é poque tem muitos jogadores bons, um bom treinador que se encaixou e segue a mesma filosofia, mas com suas nuances. A seleção mudou desde 2008, que sempre ter a bola, e esse é um estilo que o Barcelona tem tido.”, analisou.

Puyol é um dos participantes do sorteio (Foto: Mladen ANTONOV/AFP)

Sobre o nível de jogo entre as seleções, Puyol compara a Espanha a outras seleções. “A Espanha está entre as melhores, no nível do Brasil, Alemanha e Argentina. Lopetegui (treinador da seleção espanhola) aspira chegar na final e ganhar o mundial”, afirmou o ex-capitão do Barcelona.

O espanhol ainda foi questionado sobre a possibilidade de 2018 ser a última Copa de Messi e Cristiano. “Quem disse isso? Eles ainda são os melhores e estão em uma forma física invejável. Se quiserem, certamente podem chegar ao próximo. Na Espanha, existe a vontade de aposentar excelentes jogadores de futebol antes do tempo”, completou.

O campeão mundial de 2010 se aposentou em 2014 e é um dos oito ex-jogadores escolhidos para participar do sorteio dos grupos da Copa. Entre eles, o Brasil será representado pelo capitão do penta, Cafu. Os outros seis são Maradona, Forlán, Blanc, Bancl, Cannavaro e Nikita Simonián. É a partir das 13h (horário de Brasília) da sexta (1) que os caminhos até a taça do mundo serão conhecidos.

 



Neymar demonstra confiança antes da Copa do Mundo (Foto: Nelson ALMEIDA/AFP)

Neymar, camisa 10 da Seleção Brasileira, acredita que o Brasil pode enfrentar qualquer adversário. Em entrevista ao Fifa.com, o craque comentou sobre o trabalho da seleção depois do 7 a 1 em 2014 e o que esperar do Brasil na Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

“Não temos medo de ninguém que possamos enfrentar. É uma Copa do Mundo, então os melhores times estão lá”, disse o atacante. “Não acho que a sorte pode ajudar um time a vencer. Acho que os eventuais campeões são os que trabalham duro antecipadamente, e estão prontos para enfrentar qualquer um no seu grupo ou no mata-mata”.

Mesmo não tendo jogado na semifinal da última Copa, na qual o Brasil foi goleado por 7 a 1 pela Alemanha, Neymar diz que sentiu muito a derrota, mas que usou a dor como aprendizado. “Chorei muito e me perguntei muitas vezes por quê isso aconteceu. Mas eventualmente você entende que tudo que acontece na vida te deixa mais forte, mesmo se não for algo que você quer”.

Quando perguntado sobre a próxima Copa do Mundo, Neymar demonstrou a vontade que tem de ser campeão com o Brasil. “Pessoalmente, eu vou dar tudo que tenho para ganhar”, disse o craque, que ainda fez uma previsão confiante: “Eu acho que essa Copa do Mundo será gigante para os brasileiros”.