Futebol/Campeonato Paulista da Série A2

Inter de Limeira vence o XV nos pênaltis e volta à elite paulista após 14 anos

São Paulo , SP
20/04/2019 21:24:03 — 20/04/2019 21:34:57

Em: Campeonato Paulista A2, Notícias, XV de Piracicaba

A Inter de Limeira confirmou o retorno á elite do Campeonato Paulista na noite deste sábado. Depois de empatar o duelo da ida por 0 a 0, o Leão da Paulista perdia para o XV de Piracicaba no Barão de Serra Negra lotado até os 47 minutos do segundo tempo, quando Elvis igualou a partida em 2 a 2 e levou a decisão para os pênaltis. Na marca da cal, o time visitante fez 4 a 3 com o brilho do goleiro Rafael Pin e ficou com a classificação para a final da Série A2.

Campeã paulista de 1986, a Inter de Limeira finda uma agonia de mais de uma década. Depois de rodar por todas as divisões estaduais, inclusive a última, a equipe de João Vallim, deixa para trás Portuguesa Santista e o rival Nhô Quim, times de melhor campanha na fase inicial, para retornar à elite após 14 temporadas.

Alegria de uns, tristeza de outros. Quinto colocado na primeira fase, o XV de Piracicaba eliminou o Juventus nas quartas de final e mais uma vez sofreu com o fantasma da semi, já que na última edição havia caído justamente nessa etapa diante do campeão Guarani. Desse modo, o time de Tarcísio Pugliesi terá que disputar a segunda divisão pelo quarto ano consecutivo.

Agora, a Inter de Limeira espera o classificado de Água Santa e Santo André, que fazem a outra semifinal. No primeiro jogo, os andreenses fizeram 2 a 0 e atuam até por uma derrota de um gol para avançar na volta. O embate decisivo está marcado para este domingo, às 11 horas (de Brasília), no Distrito do Inamar.

A Inter de Limeira está de volta à elite paulista (Foto: Reprodução)

XV tem a vantagem em primeiro tempo agitado

Buscando uma pressão inicial, o XV de Piracicaba saiu na frente logo aos 12 minutos. O zagueiro Gilberto Alemão cobrou falta de média distância com força e rasteiro, a bola passou pelo meio da barreira e foi parar no cantinho de Rafael Pin, que nada pôde fazer.

Sem tempo para se abater, a Inter de Limeira buscou a resposta, perdeu chances claras e foi recompensada com o empate aos 31 minutos, quando Nata cabeceou cobrança de falta na área para Marquinhos escorar buscando a pequena área, onde o grandalhão Jean Pablo completou para o fundo das redes.

A alegria dos visitantes, no entanto, durou pouco, uma vez que o XV retomou a liderança do placar no instante seguinte, com Kadu Barone. Macena escapou pela direita, cruzou com veneno, a bola passou por toda a área e o meio-campista apareceu na segunda trave para empurrar ao gol.

Na base da jogada aérea, a Inter de Limeira tentou empatar antes do intervalo, mas Ronaldo parou na trave e Nata no travessão após o bandeira assinalar impedimento de forma errada. Desse modo, o time da casa conseguiu se segurar e levar o precioso 2 a 1 para o intervalo.

Inter empata no apagar das luzes, finda agonia nos pênaltis e volta à elite

Assim como o primeiro tempo, a etapa final começou agitada, com as duas equipes criando boas tramas. Logo no primeiro minuto, Oliveira desviou cruzamento prensado e a bola passou rente à trave do XV. Mais tarde, Kadu Barone arriscou de longe, a bola raspou na marcação e quase matou o goleiro da Inter.

A partir da segunda metade do período decisivo, as duas equipes sentiram o cansaço, mas o Nhô Quim teve a chance de matar a partida. Em contra-ataque, Bruninho avançou, limpou a marcação e tocou na saída de Rafael Pin. O goleiro resvalou, tirou a força da bola e deu tempo para Jean Pablo salvar na linha.

Como diz a máxima do futebol “quem não faz toma”, a Inter de Limeira empatou o duelo no apagar das luzes. Aos 47 minutos, Marquinhos bateu da entrada da área e Luiz Fernando espalmou. No rebote, Elvis arrematou rasteiro, balançou as redes e levou a decisão aos pênaltis.

Na marca da cal, Rafael Pin se credenciou a herói. Com duas defesas, uma delas em chute de Fraga já nas batidas alternadas, o goleiro teve papel fundamental na vitória da Inter de Limeira por 4 a 3, que findou uma agonia de 14 anos do torcedor alvinegro.