Flamengo perde pontos no NBB e critica STJD por punição

GazetaEsportiva.net - Rio de Janeiro,RJ

28-01-2015 15:04:00

O Flamengo foi punido pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva pela não realização da partida contra o Pinheiros, em 25 de novembro de 2014. O confronto era válido pela fase de classificação do Novo Basquete Brasil. O STDJ optou pela perda de pontos da equipe na competição e por uma multa, o que deixou o clube carioca indignado.

O Flamengo foi punido pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva pela não realização da partida contra o Pinheiros, em 25 de novembro de 2014. O confronto era válido pela fase de classificação do Novo Basquete Brasil. O STDJ optou pela perda de pontos da equipe na competição e por uma multa, o que deixou o clube carioca indignado.

O Pinheiros acabou sendo considerado o vitorioso desta partida e passou a ter nove vitórias. Enquanto isso, o Rubro-Negro passou a ter seis derrotas e caiu para da terceira para a quinta colocação da tabela de classificação por aproveitamento do NBB. Assim, o time carioca saiu da zona de equipes que avançam diretamente às quartas de final.

Através de uma nota oficial divulgada nesta quarta-feira, o Flamengo disse que não teve culpa na abdicação da partida, porque o ginásio estava interditado. Além disso, o clube rubro-negro criticou a estrutura do Rio de Janeiro para receber jogos de vôlei e basquete.

Confira abaixo, na íntegra, a nota oficial:

O Clube de Regatas do Flamengo recebeu com indignação o resultado do julgamento no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Liga Nacional de Basquete sobre a não realização do jogo entre Flamengo e Pinheiros, no dia 25/11/2014, pelo NBB7, no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro, por conta de uma ordem judicial que interditava o ginásio. Classificamos a punição de R$ 5 mil e a perda de pontos da partida como desproporcional ao fato ocorrido. O Clube de Regatas do Flamengo considera que empenhou todos os esforços para a realização da partida. Mas, infelizmente, o Rio de Janeiro não possui alternativas viáveis do ponto de visto financeiro para a realização de partidas de alto nível de vôlei e basquete. Esta carência de espaços adequados afeta outros clubes do esporte olímpico nacional, como o multicampeão brasileiro feminino de vôlei, Unilever, que se viu afetado pela mesma situação e na mesma época.

Deixe seu comentário