Grupos antivacinas apoiam Djokovic em meio a polêmica na Austrália

AFP - São Paulo,SP

10-01-2022 15:32:21

A luta de Novak Djokovic contra sua deportação da Austrália obteve o apoio de grupos antivacinas, que desde o início da polêmica defenderam a causa do tenista sérvio.


O número um do mundo, que se recusou a revelar seu estado de vacinação contra a covid-19, obteve uma grande vitória judicial nesta segunda-feira, quando um juiz ordenou sua libertação de um centro de detenção onde permaneceu desde sua chegada a Melbourne na semana passada, além da restituição do seu visto de entrada no país.

A notícia foi recebida com alegria por críticos da obrigação de vacinação.

Uma convocação de manifestação no local onde Djokovic foi detido foi postada no Telegram por um grupo de mais de 16.000 membros que organiza protestos.

"Renovem o visto de Novak. Não aos passaportes de vacinação. Fim da segregação médica" diziam alguns cartazes carregados pelos manifestantes.

Um grupo anticonfinamento, o Reignite Democracy Australia, questionou se Djokovic não seria um "modelo de esperança" na luta contra as vacinas.

Entre outras personalidades que expressaram apoio a Djokovic está Craig Kelly, um político cético em relação às vacinas que, no Telegram, "pediu desculpas" ao tenista em nome da Austrália.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

As hashtags #FreeNovak (Liberdade a Novak) e #IStandWithNovak (Apoio a Novak) tomaram as redes sociais, disseminadoras de informações falsas sobre vacinação e teorias da conspiração.

Fotos do fundador da Microsoft, Bill Gates, e dos tenistas Rafael Nadal e Roger Federer também circulavam nas redes, sugerindo que o trio faz parte de uma conspiração de vacinas.

Deixe seu comentário