Gazeta Esportiva

Com Isaquias e Zanetti, Brasil terá 8 medalhistas olímpicos nos Jogos Sul-Americanos de Assunção-2022

São Paulo, SP

21/09/22 | 11:26

Os Jogos Sul-Americanos de Assunção-2022, no Paraguai, começam daqui a 10 dias, em 1º de outubro, e o Time Brasil já está formado. Ainda é possível fazer alterações por questões médicas, mas uma análise dos 464 atletas na atual lista permite afirmar que a delegação organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), junto com as Confederações Olímpicas de cada modalidade, está muito forte. Serão nada menos que oito medalhistas em Jogos Olímpicos e 21 em Mundiais.

“O objetivo sempre foi formar a delegação mais forte possível diante do calendário internacional das modalidades. E a inscrição final permite dizer que cumprimos o objetivo. O Time Brasil vai muito bem representado para retornar ao topo do quadro de medalhas, um dos nossos objetivos na competição”, disse Sebastian Pereira, chefe da Missão.

Foto: Divulgação/COB

Dentre os oito medalhistas olímpicos, Felipe Wu (tiro esportivo), Bárbara Seixas (vôlei de praia), Arthur Nory e Arthur Zanetti (ginástica artística) e Erlon Souza (canoagem velocidade) estiveram no pódio no Rio-2016 e Ana Marcela Cunha (águas abertas) e Abner Teixeira (boxe) conquistaram suas láureas em Tóquio-2020. Isaquias Queiroz (canoagem velocidade) é o único a conquistar medalha nas duas últimas edições.

“Daqui uns dias estarei em Assunção, vai ser muito bom competir com os atletas sul-americanos e ajudar a estimular o nosso esporte. Sei que teremos muitos atletas que serão destaque no futuro assim como eu sou. Então, acho legal participar e transformar a nossa competição em uma boa festa na água”, disse Isaquias, dono de quatro medalhas olímpicas.

Os medalhistas em Mundiais são 21, sendo 17 deles em provas olímpicas: Ana Marcela Cunha (águas abertas); Letícia Oro (atletismo); Carol “Naka” Almeida (boxe); Ana Sátila e Pepê Gonçalves (canoagem slalom); Isaquias Queiroz e Erlon Souza (canoagem velocidade); Nathalie Moellhausen (esgrima); Arthur Nory e Arthur Zanetti (ginástica artística); Ana Paula Rodrigues (handebol); Gabriel Santos (natação); Milena Titoneli (taekwondo); Marcus D’Almeida (tiro com arco); e Ana Patrícia, Bárbara Seixas e Duda Lisboa (vôlei de praia). Keno Marley (boxe), Felipe França (natação), Paulo Ricardo e Icaro Miguel (tae kwon do) são os medalhistas mundiais em provas não olímpicas que estarão em Assunção-2022.

Mas além dos grandes nomes, há espaço também para a nova – e para a novíssima geração – do esporte brasileiro. Os mais novos da delegação são Laura Silva, do squash, e Hussein Daurich, do tiro esportivo, com 14 anos. Alguns dos mais jovens em Assunção já tiveram destaque no Pan-Americano Júnior de Cali-2021 e estão com as vagas garantidas em Santiago-2023, como são os casos dos nadadores Stephanie Balduccini e Breno Correia e do patinador de velocidade Guilherme Abel Rocha.

Histórico

Assunção-2022 será a 12ª participação brasileira em Jogos Sul-Americanos, que está presente desde a primeira edição, em La Paz-1972, quando a competição ainda era chamada de Jogos do Cruzeiro do Sul. O COB levará 468 atletas de 45 modalidades para a capital paraguaia. Essa é a maior delegação do Time Brasil no ciclo olímpico. A expectativa é voltar a liderar o quadro de medalhas, depois de ter ficado na segunda colocação, atrás da Colômbia, na edição de Cochabamba, na Bolívia, em 2018.

O Brasil liderou o quadro de medalhas, na edição do Brasil em 2002, e em Santiago-2014. Na edição realizada em Belém, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo há 20 anos, o Time Brasil conseguiu o recorde de ouros: 146. Já o recorde de medalhas foi conquistado na edição de Medellín-2010, com 355. Fora de casa, esta edição também foi a que o Brasil conquistou mais ouros: 133. Na última edição, em Cochabamba, a delegação brasileira faturou 204 pódios (90 de ouro, 58 de prata e 56 de bronze) e ficou na segunda colocação no quadro de medalhas.

Deixe seu comentário