Gazeta Esportiva

Brasileiros brilham no card preliminar do UFC 198; Minotouro e Maia consagrados

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes - Curitiba,PR

14/05/16 | 23:17 - 25/05/17 | 18:05

Brasileiro Demian Maia venceu Matt Brown no card preliminar em Curitiba (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Brasileiro Demian Maia venceu Matt Brown no card preliminar em Curitiba (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Depois de uma semana agitada em Curitiba, com vários eventos oficiais e muita expectativa para a realização do UFC 198, a noite de sábado finalmente chegou para quase 40 mil pessoas que lotaram a Arena da Baixada para a primeira edição em um estádio de futebol no Brasil. O principal evento do MMA foi avaliado pelos próprios lutadores como o melhor da história por conta dos nomes escolhidos para a organização.

Pontualmente às 19h30, o card preliminar começou com a disputa entre o brasileiro Renato Moicano, que vinha de duas vitorias, e o russo Zubaira Tukhugov, pelos peso-penas. Em um primeiro round com o brasileiro tentando levar a luta para o chão, o russo se deu melhor e conseguiu acertar um belo golpe no olho esquerdo do brasileiro, que começou a sangrar. A reação veio nos dois rounds seguintes, conseguindo impor seu ritmo para, em um resultado apertado, vencer nos pontos.

Moicano se desculpou com o público por ter perdido o primeiro round e, mesmo com a vitória, prometeu mostrar mais daqui para frente. “Venho de uma pequena academia em Brasília e venci um campeão mundial do wrestling. Sou brasileiro, nunca desisto. Mas, desculpe por qualquer coisa, por ter perdido o primeiro round. Vou mostrar que posso muito mais”, garantiu.

No duelo curitibano entre Serginho Moraes e o estreante Luan Chagas, toda torcida pelo primeiro logo ficou apreensiva com a agressividade mostrada por Chagas, que tomou as primeiras ações e derrubou o adversário duas vezes. Porém, aproveitando o cansaço do estreante, Serginho equilibrou o combate no segundo round, com boas oportunidades para finalizar. O terceiro round, no chão, foi marcado pelo mais experiente buscando terminar a luta diante de uma defesa fechada do novato, esgotado. Para os juízes, empate.

Primeiro grande momento teve Minotouro – Com as arquibancadas já quase lotadas, o primeiro momento de êxtase veio com a entrada de Rogério Minotouro, que que enfrentaria o norte-americano Patrick Cummins pelos meio-pesados. A luta começou com muito estudo na metade inicial do primeiro round, até o brasileiro tomar a iniciativa e, em uma sequência fulminante de socos, obrigar a paralisação a menos de 15 segundos do fim. Vitoria por nocaute técnico para enlouquecer a Arena de vez.

Em uma verdadeira consagração, contando com a torcida de Minotauro, Minotouro falou um pouco sobre sua estratégia. “Quero agradecer todo mundo aqui presente. Esse trabalho de wrestling que fiz que me deu muita distância, mas vim para mostrar meu boxe e meu jiu-jitsu. E meu jogo venceu o jogo dele”, disse o lutador, que não escolhe o próximo adversário. “Quem o Dana White colocar para lutar comigo eu luto”, garantiu.

A sequência foi a vez de John Lineker e Rob Font, pelos peso-galo, subirem no octógono. A lota prometia ser equilibrada pelo estilo de ambos. Não foi. Desde o primeiro round o brasileiro tomou a iniciativa, hora tentando encurralar o norte-americano na grade, hora tentando castigar com socos no chão. No final, resultado incontestável dos juízes com vitória por unanimidade de Lineker.

Pelos peso-leves, dois lutadores buscando entrar entre os 15 primeiros do ranking, o brasileiro Francisco Massaranduba e Yancy Medeiros, dos EUA, fizeram um dos combates mais duros do card. O brasileiro, com uma sequência avassaladora no final do primeiro round teve a chance de nocautear, mas não conseguiu. No segundo foi a vez de o americano fazer Massaranbuba balançar com uma direita potente. O terceiro teve novo ataque brasileiro, mas Yancy aguentou bravamente até o fim. A vitória, entretanto, mais uma vez ficou com o Brasil.

Demian Maia finaliza e pede luta pelo título - No embate mais esperado do card preliminar, e que para muitos podia fazer parte do principal, valendo pela categoria peso-meio-médio, Demian Maia encarou Matt Brown, que ganhou a antipatia dos curitibanos com suas provocações durante a pesagem. Focado em fazer sua luta, baseada no jiu-jisu, o brasileiro rapidamente levou o adversário para o chão. Porém, com a guarda montada, a luta seguiu assim por quase três rounds completos. Até que, faltando 30 segundos para o final, o norte-americano deu um segundo de brecha, o suficiente para Demian finalizar e enlouquecer a Arena.

A vitória logo levou o brasileiro a apelar aos faz que pressionem a organização a lhe dar a chance de disputar o cinturão. “Estou preparado, todo mundo sabe. Vou pedir para todo mundo, no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa. Peçam para o UFC que eu lute pelo título”, implorou.

A noite teve ainda mais uma luta que não passou do primeiro round. Em grande forma, Thiago Marreta entrou no octógono para usar e abusar dos chutes par acima de Nate Marquardt, em combate pelos pesos-médios. Após minar as forças no norte-americano, o brasileiro acertou uma sequência de socos para garantir o nocaute, o terceiro consecutivo no UFC. “Eu tinha que parabenizar esse público com um nocaute”, concluiu.

Deixe seu comentário