Análise: São Paulo mostra repertório para superar Palmeiras, mas esbarra no VAR - Gazeta Esportiva - Muito além dos 90 minutos
Análise: São Paulo mostra repertório para superar Palmeiras, mas esbarra no VAR

Análise: São Paulo mostra repertório para superar Palmeiras, mas esbarra no VAR

Gazeta Esportiva

Por Redação

04/03/2024 às 06:00

São Paulo, SP

Marcelo Baseggio

O São Paulo jogou para ganhar, mas ficou no empate em 1 a 1 com o Palmeiras, neste domingo, no Morumbis, pela penúltima rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. O Tricolor mostrou repertório para superar o rival alviverde mais uma vez, porém, acabou sendo vítima do VAR, que levou os mais de 55 mil torcedores que compareceram no estádio à loucura.

A aposta do técnico Thiago Carpini de ir a campo com três zagueiros foi ousada. Até então o São Paulo só havia adotado esse esquema tático uma vez, no segundo jogo do ano, contra o Mirassol, no qual o time não teve uma boa atuação.

Nos primeiros minutos da partida, o São Paulo pareceu um pouco confuso em relação aos encaixes de marcação e comportamentos com e sem a bola. Mas, com o passar do tempo, o time foi se encontrando no jogo e passou a funcionar de forma mais fluída.




Mais eficiente e contando com Lucas Moura inspirado, o São Paulo foi superior em termos individuais e se equiparou com o Palmeiras em termos coletivos. O Tricolor abriu o placar aproveitando uma falha do goleiro Weverton, que tocou na fogueira para Richard Ríos, desarmado quase na entrada da área, mas produziu para merecer o resultado.

Tudo caminhava bem até o VAR entrar em ação no segundo tempo e se transformar no protagonista do jogo. Primeiro o árbitro Matheus Delgado Candançan foi chamado para revisar um lance em que o goleiro Rafael atinge a cabeça do zagueiro Murilo ao tentar afastar a bola com um soco. Pênalti, questionável a favor do Palmeiras e convertido por Raphael Veiga.

Antes disso, porém, o mesmo VAR não considerou a dura entrada de Richard Ríos em Pablo Maia passível para cartão vermelho, embora o volante são-paulino tenha corrido o risco de sofrer uma grave lesão, caso sua perna estivesse fixada no gramado.

A principal polêmica protagoniza pelo VAR, porém, veio mais tarde. Aos 20 minutos do segundo tempo, Luciano, ao dominar uma bola dentro da área, foi tocado por trás por Piquerez. Novamente o árbitro Matheus Delgado Candançan é chamado para revisão, mas, desta vez, ele manteve sua decisão de campo, optando por não marcar a penalidade sugerida a favor do São Paulo.

Na reta final da partida o São Paulo ainda tentou arrancar a vitória a qualquer custo e esteve próximo disso, principalmente na finalização de Alisson, após James Rodríguez deixá-lo na cara do gol, mas não teve jeito. O Tricolor, ainda sem vaga garantida nas quartas de final do Campeonato Paulista, mostrou mais uma vez que pode ser competitivo contra um dos melhores times do País. Por isso, a torcida tem motivos para sonhar grande em 2024.

Conteúdo Patrocinado