Futebol/Bastidores

Acidente da Chape: Famílias de vítimas se unem para buscar amparo

São Paulo , SP
21/05/2017 22:58:15 — 28/11/2017 13:55:45

Em: Bastidores, Brasileiro Série A, Chapecoense, Futebol, Futebol Internacional, Notícias

A tragédia com o avião que levava a equipe da Chapecoense para a Colômbia no fim do ano passado ainda está longe de ter todos seus problemas burocráticos e financeiros resolvidos. O clube catarinense, por ter o apoio natural da grande mídia, aos poucos tem conseguido se reerguer até mais tranquilamente do que se esperava. Por outro lado, as famílias das vítimas têm encontrado muita dificuldade em se recuperar do abalo psicológico e também na parte financeira.

Por causa disso, Mara Paiva, viúva do ex-jogador e comentarista Mário Sérgio, e Fabianne Belle, viúva de Cesinha, ex-fisiologista da Chapecoense, fundaram uma associação para unir as famílias dos vitimados em busca de respostas e justiça.

“Desde o acidente, estamos vivendo muitas incertezas e angústias e a associação veio de encontro à necessidade de buscar respostas e apurar os fatos. E dar também uma nova perspectiva além das que vêm sendo veiculadas”, explicou Fabienne, em entrevista ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, na noite desse domingo.

Mara Paiva (à dir.) e Fabianne Belle ficaram viúvas por causa do acidente e agora se unem para buscar respostas e soluções (Foto: Gazeta Esportiva)

“Queremos buscar respostas sobre os fatos, em todas as esferas, acidente em si, sinistro… Como não existia companhia aérea, não tivemos gerenciamento de crise. As famílias estão sem apoio psicológico e médico. Queremos buscar todas as questões de apoio e o esclarecimento dos aspectos que levaram ao acidente”, completou.

Atualmente 17 famílias já aderiram ao grupo, que segue aberto a acolhida de quem amis precisar ou tiver vontade de procurar a associação, tanto para buscar auxilio como para fornecer algum tipo de ajuda.

“O clube perdeu ativos financeiros, jogadores, comissão técnica e profissionais que compõem a equipe, o clube já recebeu e recebe várias doações de instituições, e de governo, as famílias não receberam, ficaram paradas no dia do acidente e estão vivendo as consequências até hoje”, contou Fabianne.
“Nós fomos deixados de lado. O acidente hoje se refere à Chapecoense, e não às vítimas. É um acidente aéreo. As vítimas são as pessoas. A instituição de apropriou do acidente como sendo deles, e os familiares seguem a linha de aguardar informações vindas através do clube”, disse a ex-esposa de Cesinha.

Mesmo diante de tantos percalços, os familiares foram informados da intenção do presidente Michel Temer em liberar recursos para um memorial fosse construído em Chapecó. O custo da obra seria de R$ 15 milhões.

“Não é possível que o valor dessa monta seja destinado a um museu, memorial e também para uma reforma da Arena Condá. Antes disso, vem uma necessidade maior, porque as famílias estão precisando”, disse, indignada, Fabianne.