COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Suiça enfrenta o Japão em amistoso preparatório para a Copa (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Rival da Seleção Brasileira na estreia na Copa do Mundo da Rússia, a Suíça vai testar seu time em amistoso programado para esta sexta-feira diante do Japão no Estádio Cornaredo, em Lugano, na Suíça. O técnico Vladimir Petkovic entende que a partida tem um peso muito importante neste momento, apesar de se tratar de uma escola asiática, que a princípio não cruzaria o caminho suíço na Copa.

“Contra os japoneses vamos aprender a nos lançar ao ataque e sair de nossa zona de conforto. Todo teste é muito importante”, disse Petkovic.

Além do Brasil, a Suíça vai enfrentar Sérvia e Costa Rica no Grupo E. Presente ao Grupo H, os japoneses vão duelar com Colômbia, Polônia e Senegal. Senegaleses e poloneses vão colocar seus respectivos em campo também nesta sexta-feira.

A Polônia vai se despedir de seus torcedores no Estadio Municipal de Poznan medindo forças com o Chile, que não vai ao Mundial. Já Senegal visita a Croácia no Estádio Gradski, em Osjek. Os croatas integram o Grupo D ao lado de Argentina, Islândia e Nigéria.

Atual campeã do mundo, a Alemanha é outra atração desta sexta-feira, já que recebe a Arábia Saudita na BayArena, em Leverkusen, na Alemanha. Os alemães integram o Grupo F, assim como Suécia, México e Coréia do Sul. Já os árabes fazem o jogo de abertura do Mundial contra a anfitriã Rússia pelo Grupo A, que tem ainda Uruguai e Egito.

O Irã já se ambienta ao país da Copa do Mundo duelando com a Lituânia, que não vai ao Mundial, na Otkrytiye Arena, em Moscou, na Rússia. Os iranianos integram o Grupo B ao lado de Espanha, Portugal e Marrocos.

Abaixo todos os amistosos programados para esta sexta-feira pelo planeta, respeitando o horário de Brasília:

11h30 Taipei x Quênia
15h Croácia x Senegal
14h Irã x Lituânia
14h Suíça x Japão
14h30 Alemanha x Arábia Saudita –
15h45 Polônia x Chile



Assim que anunciou sua saída do Real Madrid, Zinédine Zidane rapidamente se tornou um nome no mercado para “assombrar” a maioria dos treinadores e, entre eles, um em especial: Didier Deschamps. O treinador da seleção da França passou a ser muito pressionado pelo trabalho sem títulos e tem sua saída especulada após o Mundial da Rússia. Essa visão, entretanto, não parece ser compartilhada pela federação local.

Em entrevista a agência Reuters, Noel Le Graet fez questão de “bancar” o atual treinador no cargo após a Copa do Mundo e reiterou que o comandante cumprirá todo seu contrato. “Didier Deschamps tem contrato até 2020 conosco e ele vai continuar até 2020”, enfatizou o dirigente.

Zidane deixou o comando do Real Madrid como tricampeão da Liga dos Campeões (foto: AFP/Gerard Julien)

A possibilidade da contratação de Zidane tem repercutido positivamente entre os torcedores franceses até mesmo antes da saída do ex-jogador do comando dos merengues, já que muitos acreditam que o desgaste com Deschamps é grande devido aos resultados que não se confirmaram em títulos e o ciclo estaria em vias de um fim na Rússia. A dupla, aliás, foi companheira e campeã mundial em 1998, vencendo o Brasil na decisão por 3 a 0.

Apesar do apresso por Zizou, o presidente da federação revelou não ter feito uma proposta sequer para o ex-comandante do Real Madrid treinar a seleção. A pressão sobre o atual treinador ficou ainda maior depois do vice-campeonato europeu em 2016, sendo derrotados dentro de casa por Portugal, que perdeu Cristiano Ronaldo machucado ainda no início do jogo.

Para a Copa de 2018, porém, a França chega como uma das principais candidatas e favoritas ao título. No grupo C, os Bleus estreiam dia 16 de junho, em Kazam, contra a Austrália. Cinco dias depois, o adversário da vez é a seleção peruana, em Ecaterimburgo. A última partida da primeira fase está programada para o dia 26, contra a Dinamarca, em Lujniki.



Seleção Brasileira percorrerá cerca de 7.426 km durante a fase de grupos (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Como se não bastassem as diversas viagens realizadas no período de preparação para a Copa do Mundo, algumas seleções continuarão tendo motivos para reclamar em território russo. A Seleção Brasileira é uma delas, já que é a quarta que mais quilômetros percorrerá durante a fase de grupos do torneio. Ao todo, a delegação verde e amarela terá de viajar, segundo a Fifa, 7.426 km para jogar as três partidas da primeira fase, em trajeto que, em termos de extensão, só não supera os de Egito, Nigéria e Arábia Saudita.

O Brasil estará concentrado na cidade de Sochi, no sudoeste da Rússia. Pelo Grupo E, o primeiro compromisso, contra a Suíça, será em Rostov, em viagem que contará com um percurso de mais de 400 km só de ida. O segundo jogo, contra a Costa Rica, será em São Petersburgo, que, das três, é a cidade mais distante de Sochi, a cerca de 1925 km a noroeste. A Canarinho encerra a fase de grupos contra a Sérvia, na capital Moscou, que se situa a cerca de 1360 km de distância da sede brasileira.

Os quilômetros percorridos pelas 32 seleções da Copa do Mundo durante a fase de grupos (Créditos: AFP)

Em terceiro lugar está a Arábia Saudita, com apenas 11 km a mais que os brasileiros, entre a base São Petersburgo, Moscou, Rostov e Volgogrado. A Nigéria será a segunda seleção que mais quilômetros percorrerá em terras russas, alcançando um total de 8.978 km de viagem entre Essentuki, a cidade sede, Kaliningrado, Volgogrado e São Petersburgo. A seleção do Egito é a que mais será prejudicada pelo percurso de viagem, com 9.131 km a serem trilhados entre a sede Grozny, Ecaterimburgo, São Petersburgo e Volgogrado.

Outras seleções, porém, viverão situações muito mais confortáveis durante a primeira fase do Mundial. É o caso da Colômbia, por exemplo, que precisará de apenas 1.202 km para cumprir com seus compromissos, sendo a equipe que menos viajará em primeira instância. A Argentina, com apenas 2.265 km previstos, e a Tunísia, com 2.950, são outras que terão energias poupadas pelos curtos trajetos que percorrerão.

A Copa do Mundo da Rússia terá início no dia 14 de junho (próxima quinta-feira), sendo inaugurada com o confronto entre a seleção anfitriã e a Arábia Saudita, em Moscou, a partir das 12h (no horário de Brasília), pelo Grupo A do torneio. O Brasil estreia no dia 17 (domingo), contra a Suíça, em Rostov, com apito inicial previsto para as 15h.



Lateral esquerdo Marcelo é um dos remanescentes da Copa do Mundo 2014 (Foto: Lucas Figueiredo/Divulgação)

Entre os 23 convocados pelo técnico Tite para a Copa do Mundo da Rússia, há seis remanescentes da edição de 2014 do torneio. O lateral esquerdo Marcelo, um dos veteranos da Seleção Brasileira, valoriza a experiência vivida pelo grupo há quatro anos.

Sob o comando do técnico Luiz Felipe Scolari, a Seleção passou vergonha ao sofrer uma goleada por 7 a 1 da Alemanha na semifinal e, em seguida, perdeu a decisão do terceiro lugar diante da Holanda. Aos 30 anos, Marcelo procura ver o lado positivo.

“Sempre pego as coisas boas do passado e trago para a minha vida. As coisas ruins, eu tento melhorar. A outra Copa foi horrível e todos os brasileiros ficaram tristes. Agora, temos uma nova chance de provar que podemos brigar pelo título. Vamos com a cabeça tranquila e sem pensar no que já aconteceu”, afirmou.

O zagueiro Thiago Silva, o volante Paulinho e os atacantes Willian e Neymar, além de Marcelo, integram o time ideal do técnico Tite e devem ser titulares na estreia – Fernandinho é cotado para ficar no banco. Na visão do lateral esquerdo do Real Madrid, a vivência do grupo pode fazer diferença.

“Tudo na vida é experiência, ainda mais no futebol. Em uma partida, você erra e, na outra, acerta. Assim, vai ganhando experiência”, disse Marcelo, surpreso ao lembrar que a maioria dos remanescentes integra o time ideal. “Acho que pode ajudar, sim”, afirmou.

Às 11 horas (de Brasília) deste domingo, em Viena, a Seleção Brasileira enfrenta a Áustria no último amistoso antes da Copa do Mundo. Tite planeja escalar Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian, Paulinho, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.



Além das dificuldades naturais de ajustar o time para a disputa da Copa do Mundo, Jorge Sampoli terá de lidar com uma ausência significante em sua delegação na Rússia. Na manhã desta sexta-feira, em seu perfil oficial no twitter, a Federação Argentina confirmou o corte, por lesão, de Manuel Lanzini, um dos principais nomes do meio-campo da seleção liderada por Lionel Messi.

O jogador do West Ham deixou a atividade desta manhã, no Centro de Treinamentos do Barcelona, acusando dores e a preocupação foi imediata. Depois de exames iniciais, foi confirmada a ruptura no ligamento cruzado anterior de seu joelho direito e a necessidade de um procedimento cirúrgico, que deve acontecer nos próximos dias. Assim que diagnosticada a gravidade, o corte foi anunciado de forma oficial.

Com uma ruptura no ligamento do joelho, Lanzini foi confirmado fora da Copa do Mundo (Foto: Oli Scarff/AFP)

Lanzini é o segundo jogador considerado titular que desfalca o time comandado por Sampaoli já durante a preparação para o Mundial. Também por uma lesão no joelho, o goleiro Sergio Romero, titular em 2014, foi cortado e para seu lugar foi chamado Nahuel Guzmán, arqueiro do Tigres, do México.

O substituto do meia do West Ham ainda não foi oficializado, mas acredita-se que o treinador deve escolher entre os jogadores que compõem a lista de 35 atletas. Entre os mais cotados, estão Diego Perotti, da Roma, Erik Lamela, do Tottenham, e o ex-atleta do São Paulo, Ricardo Centurión, atualmente no Racing. O limite para Sampaoli definir o novo integrante é dia 14 de junho, 48 horas antes da estreia do time na Copa, contra a Islândia.

No Grupo D da Copa do Mundo, a Argentina faz sua primeira partida dia 16 de junho, contra os islandeses, em Spartak. Cinco dias depois, o adversário da vez é a seleção da Croácia, em Nizhny Novgorod. A última partida da primeira fase está programada para o dia 26, em São petersburgo, contra a Nigéria.



 

Um dos nomes mais criticados após o fatídico 7 a 1, Thiago Emiliano da Silva é um dos jogadores mais experientes que vestirá a camisa da Seleção Brasileira na Copa do Mundo na Rússia. Vivendo altos e baixos nas últimas temporadas pelo Paris Saint-Germain, o zagueiro de 33 anos caminha para a sua terceira participação em Mundiais, sendo reserva em 2010 e titular absoluto em 2014.

Apesar de não saber se será titular, já que terá como companheiro de zaga nomes bastante utilizados por Tite, como Miranda e Marquinhos, Thiago Silva é um dos nomes de confiança do técnico Tite para que o Brasil consiga o tão sonhado hexa.

Revelado pelo Fluminense, o jogador passou por RS Futebol, Juventude e Porto B, até confirmar seu retorno ao clube carioca. Em sua volta ao tricolor, em 2006, teve uma de suas melhores fases na carreira e se tornou um dos pilares do sistema defensivo do clube por três anos consecutivos. Em 2007, conquistou a Copa do Brasil, seu único título em solo nacional até o momento.

Um ano depois, o defensor teve mais um ótimo desempenho no clube carioca e ficou muito perto de conquistar a Libertadores, porém a derrota nos pênaltis para a LDU fez com que Thiago Silva ficasse com o vice-campeonato continental.

Após a passagem pelo Fluminense, Thiago Silva foi para o Milan, onde se tornou, para muitos, o melhor zagueiro do mundo. Extremamente sólido e consistente, o defensor conseguiu se destacar internacionalmente mesmo com a equipe italiana conquistando poucos títulos neste período. Nesta época, o jogador era titular absoluto da Seleção Brasileira e um dos líderes do time canarinho.

Após o excelente desempenho pelo Milan, o atleta foi para o Paris Saint-Germain, em 2012, onde está até agora. Pelo time francês, Thiago Silva voltou a ter bons momentos após uma queda de rendimento em seu início no clube, o suficiente para ser lembrado por Tite para estar no grupo que defenderá a Seleção Brasileira na Rússia.



Pedro Geromel começou a sua trajetória no futebol nas categorias de base da Portuguesa, quando ainda tinha 10 anos de idade, em 1996. Depois de três anos no clube lusitano, o zagueiro foi para a base do Palmeiras, onde chegou a atuar pela equipe B. Em 2004, já com 18 anos, foi para o Desportivo Chaves, de Portugal, e recebeu uma chance na equipe profissional apenas um ano depois.

As boas atuações na segunda divisão portuguesa despertaram o interesse do Vitória de Guimarães, clube que Geromel passou a defender a partir do segundo semestre de 2005, com 19 anos. O defensor passou a ser um dos principais jogadores da equipe, e na temporada 2007/2008, foi eleito o melhor jogador da primeira divisão portuguesa. Apesar do bom futebol apresentado, contudo, não conseguia alçar voos muitos altos e brigar por títulos com o Guimarães, que é um clube mediano, sem muita força para brigar com gigantes portugueses como Benfica, Porto e Sporting.

Em julho de 2008, o Colônia apresentou uma oferta de 4,5 milhões de euros (cerca de R$20 milhões na cotação atual), e Geromel trocou Portugal pela Alemanha. A partir desse momento, contudo, o jogador de 22 anos passou a atravessar uma fase irregular na carreira. No clube germânico, teve muitas oscilações, e as fracas campanhas da equipe também não colaboravam.

Em 2012, Os Bodes foram rebaixados à segunda divisão após terminarem o Campeonato Alemão em penúltimo lugar, e Geromel foi cedido por empréstimo ao Mallorca, da Espanha. Permaneceu por lá até 2013, sem atuações de destaque e muitas vezes amargando o banco de reservas. Com o contrato rescindido com o clube espanhol e sem espaço no Colônia, Geromel foi emprestado ao Grêmio, e a partir desse momento, sua carreira começou a decolar: O zagueiro não chegou sendo titular absoluto, mas quando tinha oportunidade, entrava bem. Em 2015, com a saída do então capitão Rhodolfo, o defensor se firmou de vez no clube gaúcho, e ao final do Campeonato Brasileiro daquele ano, recebeu o prêmio de melhor zagueiro da competição e renovou o contrato com o Tricolor.

Em 2016, em mais um ano brilhante, Geromel conseguiu o seu primeiro título na carreira. A conquista da Copa do Brasil veio sobre o Atlético-MG, e garantiu a vaga do Grêmio na Copa Libertadores do ano seguinte. A comprovação de que o jogador já era um dos melhores do país em sua posição veio em janeiro de 2017, quando vestiu a camisa da Seleção Brasileira pela primeira vez, na vitória por 1 a 0 sobre a Colômbia.

Em 2017, foi peça fundamental no esquema de Renato Gaúcho no tricampeonato gremista da Libertadores, e teve boa atuação no vice-campeonato do Mundial de Clubes. Em 2018, ajudou o tricolor em mais uma conquista: a do Campeonato Gaúcho, que não vinha desde 2010. Voltou a ser convocado para a vestir

a amarelinha no amistoso contra a Rússia, em março deste ano. Mesmo tendo poucos minutos com a camisa canarinho se comparado a outros jogadores do grupo de Tite, Pedro Geromel, com 32 anos, vai para a Copa do Mundo com o status de jogador experiente e um dos melhores zagueiros do futebol brasileiro.



Vitinho, lateral-direito do Cruzeiro, e Brenner, atacante do São Paulo, avaliaram o período em que permaneceram treinando com a Seleção Brasileira em preparação para a Copa do Mundo. Após viajar para a Inglaterra com o grupo, a dupla do time canarinho sub-20 não seguirá rumo à Áustria nesta sexta-feira, mas certamente voltará para o Brasil com muita história para contar e uma grande experiência na bagagem.

“Esse período que passei com eles aqui foi um período de grande importância para mim. Fazer parte de um grupo de Copa do Mundo, do nível da Seleção Brasileira, para mim é uma coisa muito gratificante. Vou usar no clube o que aprendi aqui, estar com eles para mim foi fenomenal. É um período que vou levar para a vida toda”, disse Vitinho, a joia cruzeirense.

Vitinho foi um dos indicados do técnico da Seleção sub-20, Carlos Amadeu, para treinar com a principal (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Quem também viajou para Londres foi Brenner. Com apenas 18 anos, o jogador já integra o elenco principal do São Paulo, no entanto, recentemente foi descartado pelo técnico Diego Aguirre, que ainda vê necessidade de o garoto participar de algumas etapas de seu processo de formação.

“Tivemos muitos aprendizados com os companheiros, fizemos muitas amizades e acho que isso valeu muito a pena para o nosso futuruo, nos treinamentos, como pessoa, e conviver com eles também”, afirmou a promessa tricolor, antes de revelar quais convocados por Tite se aproximaram mais dele e de Vitinho durante os 19 dias de concentração.

Sem muito espaço no São Paulo, Brenner recebeu o convite da Seleção Brasileira em boa hora (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

“Todos foram companheiros, aconselharam, mas quem esteve mais perto da gente foi o Gabriel Jesus, o Ederson, o Danilo, que brinca com a gente, o Fernandinho, esses caras aí são grandes parceiros, Renato Augusto… foi um aprendizado muito grande, eu já era fã, virei mais fã ainda desses rapazes”, completou.

Vitinho, que recentemente renovou contrato com o Cruzeiro por cinco temporadas, ficou impressionado com o tratamento da a comissão técnica de Tite com os jogadores. Ele também elogiou o coordenador de seleções, Edu Gaspar, responsável por trabalhar nessa integração de jogadores da seleção sub-20 com a principal.

“O jeito que eles tratam você, o jeito que o Tite te olha, olho a olho, dá para ver que é um olhar sincero, ele quer seu bem. O Edu, a mesma coisa. São duas pessoas que não tem nem palavras para descrever”, finalizou.



De Arrascaeta e Luis Suárez marcaram gols para o Uruguai (Foto: Miguel Rojo/AFP)

Pouco mais de 60 mil torcedores foram ao estádio Centenário, na capital Montevidéu, para dar o último apoio à seleção celeste antes da Copa do Mundo. A retribuição da equipe veio em forma de vitória: 3 a 0 fácil em cima da frágil seleção do Uzbequistão em amistoso preparatório.

Agora, os uruguaios focam apenas no confronto com o Egito, dia 15, sexta-feira, em Ecaterimburgo, na Rússia. O duelo marca a primeira rodada do grupo A, chave que conta também com Arábia Saudita, além dos donos da casa.

A festa começou a ficar bonita no Centenário aos 31 minutos. Suárez deixou Cavani na cara do gol, o centroavante driblou o goleiro e mandou para a área, depois de perder ângulo. A bola ficou limpa para Arrascaeta mandar para as redes.

O segundo gol foi marcado por Suárez, em cobrança de pênalti, depois de Ashurmatov tocar com a mão na bola dentro da área. E ainda deu tempo de José Giménez aproveitar escanteio para fazer o triunfo celeste ganhar ares de goleada.

Os últimos dez minutos do amistoso ainda foram disputados com o Uzbequistão com um homem a menos. Komilov exagerou na solada e foi expulso. Apesar da superioridade numérica em campo, Óscar Tabárez aproveitou para rodar seu elenco e garantir os aplausos para suas principais estrelas antes do embarque para a Rússia.