Sport perde feio, mas Magrão brilha nos pênaltis e garante classificação

São Paulo, SP

12-05-2017 00:02:57

Por muito pouco o Sport Recife não sofreu uma eliminação catastrófica na noite dessa quinta-feira. Depois de atropelar o Danubio na Ilha do Retiro por 3 a 0, a equipe brasileira sofreu além da conta no estádio Centenário, no Uruguai, e teve muita dificuldade para levar a definição da vaga na Copa Sul-Americana para os pênaltis, já que no tempo normal o rubro-negro também levou os mesmos 3 a 0. Mas, apesar da péssima atuação durante o jogo, Magrão se encarregou de garantir a classificação do leão ao defender suas cobranças dos uruguaios. Agora, o Sport Recife terá de aguardar o sorteio para conhecer seu próximo adversário na competição.

Diante da boa vantagem conquistada em Pernambuco, Ney Franco decidiu poupar o volante Rithely, o lateral-direito Samuel Xavier e o atacante Juninho para a estreia no Campeonato Brasileiro. Além disso, Diego Souza e Ronaldo Alves, machucados, também ficaram de fora do confronto em Montevidéu. Mesmo assim, existia um clima de otimismo pela classificação.

Magrão defendeu duas cobranças, apesar de ter levado dois gols de pênaltis durante o tempo normal de jogo (Foto: Miguel Rojo/AFP)

O problema é que o Sport acabou sentindo mais do que se imaginava a pressão inicial dos mandantes, que apesar da tarefa quase impossível, em nenhum momento deixaram de acreditar. Desde os primeiros minutos, a pressão dos uruguaios foi muito intensa.

Foram 13 minutos de muito sufoco e de uma grande defesa de Magrão. Aso 14, porém, não teve jeito. Matheus Ferraz vacilou na marcação, a bola explodiu na trave em finalização de Zarfino e, após muito bate-rebate dentro da área, Jonathan dos Santos mandou para as redes.

Para piorar, menos de dez minutos depois, Matheus Ferraz cometeu pênalti, bem verdade que o lance foi duvidoso, mas, independente de qualquer coisa, Olaza cobrou com uma bomba no meio e ampliou.

A segunda metade do primeiro tempo foi de mais e mais pressão do Danubio até o intervalo, que foi recebido como um verdadeiro alívio para os jogadores do Sport Recife.

Para a segunda etapa, Ney Franco sacou Matheus Ferraz e colocou em campo Oswaldo Henríquez. O substituto, porém, repetiu seu antecessor e também não entrou bem no jogo. No primeiro lance de maior exigência, Henríquez deu um carrinho imprudente em seu adversário e cometeu mais uma penalidade, essa, aliás, não gerou reclamação de nenhum atleta. Mais uma vez, Olaza chamou a responsabilidade e igualou o placar geral em 3 a 3.

E o que parecia inacreditável, aconteceu. Depois de falta cobrada na área, Malrechauffe mandou para as redes e marcou o quarto gol da equipe uruguaia. Dessa vez, no entanto, a reclamação do time brasileiro surtiu efeito e o auxiliar anulou a jogada. Mais que isso, ao comunicar o árbitro de que Malrechauffe tocou com o braço na bola, o juiz ainda expulsou o atleta do Danubio.

O problema é que nem mesmo com um jogador a mais o Sport Recife conseguiu se encontrar em campo, jogar no campo ofensivo ou alcançar o gol que lhe daria a classificação direta. Pior. Com dez jogadores, o Danubio chegou a criar oportunidades para anotar outro gol. A situação ficou ainda mais difícil depois que Mena sentiu a coxa e precisou deixar o jogo. Como Ney Franco já havia feito suas três trocas, o Leão também ficou os últimos minutos com dez jogadores em campo.

Ao menos o Sport Recife conseguiu levar a definição para os pênaltis, onde a disputa voltava a ficar nivelada, já que durante o jogo o Danubio era soberano. E aí brilhou a estrela de Magrão. O ídolo rubro-negro defendeu as cobranças de Gonzalo González e de Marcelo Tabárez, enquanto Everton Felipe, Raul Prata, Fabrício e André converteram suas oportunidades.

Depois de tanto sofrer, no fim, quem fez a festa no estádio Centenário foi a equipe pernambucana, que com 4 a 2 nos pênaltis, garantiu a vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana.

FICHA TÉCNICA
DANUBIO–URU 3 (2) X (4) 0 SPORT RECIFE

Local: Estádio Centenário, em Montevidéu, Uruguai
Data: 11 de maio de 2017, quinta-feira.
Horário: 21h45 (Brasília).
Árbitro: Eduardo Gamboa (Chile).
Assistentes: Raul Orellana e Edson Cisternas (Chile).
Cartões amarelos: DANUBIO Malrechauffe. SPORT: Matheus Ferraz, Oswaldo Henríquez, Ronaldo, Raul Prata.
Cartão vermelho: DANUBIO Malrechauffe.

GOLS:
DANUBIO: Jonathan dos Santos, aos 14, e Olaza, aos 22 minutos do 1T e aos 10 minutos do 2T.

DANUBIO: Ichazo; Augustin Peña, De Los Santos, Leandro Fernández e Olaza; Malrechauffe, Gonzalo González, Zarfino e Ignacio González (Marcelo Tabárez); Arroyo (Juan Oliveira) e Jonathan dos Santos (Graví).
Técnico: Gastón Machado

SPORT RECIFE: Magrão; Raul Prata, Matheus Ferraz (Oswaldo Henríquez), Durval e Mena; Rodrigo (Paulo Henrique), Fabrício, Ronaldo e Fábio; Rogério e André.
Técnico: Ney Franco

Deixe seu comentário