Futebol

Rodrigo Caio aprova “limpa geral” e vê falta de comprometimento no time

Tiago Salazar - São Paulo , SP
18/11/2016 13:56:51 — 18/11/2016 14:00:35

Em: Brasileiro Série A, Futebol, São Paulo

Rodrigo Caio mostrou toda sua grandeza e sua representatividade dentro do São Paulo na manhã desta sexta-feira, em entrevista coletiva no CT da Barra Funda. Jogador formado nas categorias de base do base do clube, o zagueiro abriu mão das respostas prontas e convencionais, adotadas pela maioria dos atletas hoje em dia, e falou tudo o que pensa sobre a situação do Tricolor nessa temporada. Não faltaram respostas fortes, a começar pela acusação de falta de entrega de alguns atletas do grupo que, na visão de Rodrigo, ficaram escancaradas no empate nesta quinta, contra o Grêmio, no Morumbi.

“Acho que é falta comprometimento. A gente treina, o técnico pede para nós, pede para recompor, todo mundo se ajudar. Em alguns momentos entendemos que há desgaste (físico), mas cada um tem de ter sua reflexão. Para um time vencer, todo mundo tem de se dedicar, se ajudar da forma que precisa. Por isso vivemos esse momento tão difícil”, comentou o jogador de apenas 23 anos, mas que não poupou críticas ao posicionamento de seus companheiros em campo.

Rodrigo Caio é cria da base do São Paulo e tem aflorado todo seu espírito de liderança no clube (Fernando Dantas/Gazeta Press)
Rodrigo Caio é cria da base do São Paulo e tem aflorado todo seu espírito de liderança no clube (Fernando Dantas/Gazeta Press)

“Em alguns momentos precisávamos do time mais junto, unido para que a gente possa vencer os jogos. Em muitos momentos difíceis a gente se uniu, mas em muitos a gente não conseguiu essa união para sair de outros momentos difíceis. Exemplo foi ontem, ganhando o jogo não tivemos o controle do jogo, muitas vezes defendendo de uma forma não correta, muitas vezes os jogadores na frente da linha da bola, jogadores mal posicionados na frente, time desorganizado… Foi isso que aconteceu. Acabamos tomando gol por bobeira nossa”, reclamou.

A insatisfação de Rodrigo Caio é tanta que ao ser questionado sobre um eventual desmanche para que um novo elenco fosse montado para a disputa da próxima temporada, o defensor garantiu que não se surpreenderia e ainda deixou claro que não vê a atitude como exagerada.

“Acho que a diretoria tem todo o direito de fazer isso, pelo ano que fizemos. Cada jogador sabe disso. Temos três jogos para acabar o Brasileiro, três jogos para cada jogador mostrar que tem condições de permanecer. Se a diretoria resolver fazer uma limpa geral ou uma reestruturação completa, não podemos falar nada. Eles estão no direito deles pelo ano que a gente fez”, analisou o campeão olímpico, sem deixar de cobrar uma reposta em campo do time nas últimas rodadas do Brasileirão, mesmo que o clube já não tenha mais grandes objetivos a ambicionar.

“Ficou praticamente impossível, essa é a realidade. Temos mais três jogos, estamos a sete pontos do Atlético-PR e temos nove pontos para somar. Praticamente descartamos essa hipótese, mas isso não influencia em nada. Claro que a Libertadores tem um grande peso na história do clube, mas tem outras competições muito importantes, Brasileiro, Copa do Brasil, Paulista… O mais importante é ter um elenco forte e qualificado para brigarmos em todas as frentes e conquistar um título”, disse, explicando como os jogadores têm de se motivar.

“É a dignidade de cada um. Terminar o ano dignamente, com o maior número de pontos possíveis. Cada um sabe que está devendo, que a equipe coletivamente não consegue fazer três vitórias consecutivas e isso não pode acontecer. O mínimo que a gente pode fazer é correr, se dedicar, e ganhar esses últimos três jogos”, concluiu Rodrigo Caio, sem papas na língua.




×
Quer receber notícias do São Paulo?