Pintado pede reforços “guerreiros” e reafirma falta de comprometimento

Tiago Salazar - São Paulo,SP

24-11-2016 13:26:28

Técnico interino do São Paulo enquanto a diretoria corre para fechar logo com Rogério Ceni, Pintado, como de costume, não teve meias palavras ao ser questionado sobre a polêmica entrevista de Rodrigo Caio em que o zagueiro acusa alguns jogadores do elenco de falta de comprometimento. O discurso, dias depois, foi reiterado por Hudson e, nesta quinta, confirmado pelo auxiliar, membro da comissão técnica fixa do clube.

"Em alguns momentos, tivemos, sim, problema de compromisso. É uma verdade. Mas, em outros momentos, tivemos problemas táticos, físico e de outros tipos. O importante é como você administra tudo isso. A olho nu não é um ano bom, mas tem coisa boa para levar para 2017. O Rodrigo (Caio), nas próximas entrevistas, poderá falar bem de todos aqui", disse, sem receio do reflexo que sua opinião por causar.


Independente dos técnicos que passaram pelo São Paulo nesse ano e de quem assumirá o posto a partir de agora, Pintado tem participado de todo o planejamento para a próxima temporada e segue sendo influente na hora da tomada de algumas decisões. Nesta quinta, o ex-jogador do Tricolor do Morumbi avisou que a equipe precisa de jogadores com um novo perfil e confirmou que muitos devem sair.

"São posições que temos necessidades. Na frente é urgente. Há propostas por jogadores do São Paulo, que podem deixar o elenco com lacunas importantes. Mas, em cada setor o São Paulo precisa de um reforço, de um guerreiro, com a linha profissional do novo treinador que vai chegar", explicou, despistando apenas quando questionado sobre o goleiro Sidão.

"Participo, sim, do planejamento para 2017. Não tenho nada para dizer sobre Sidão, porque não tem nada concreto. Como outros nomes, há possibilidades. O mercado é ágil. Não só o Sidão, mas outros estão sendo estudados e passados por um filtro importante. Isso é o planejamento que está entregue para a diretoria", completou.

Tanto para este domingo, frente ao Atlético-MG, quanto para o duelo da semana que vem, contra o Santa Cruz, Pintado será o comandante da equipe. E, apesar do time não ambicionar grandes objetivos a dois jogos do fim da temporada, Pintado quer que esse espírito pretendido para 2017 começa a ser demonstrado desde agora.

"Não tem milagre. Não vamos resolver tudo no domingo, mas não podemos ser um time apático. Isso não vai ser. Essa camisa tem um custo muito alto para vestir. Quem vestir no domingo vai ter de responder", finalizou, em tom de cobrança.

Deixe seu comentário