Gazeta Esportiva

Gols, brigas e "parado na esquina": os momentos marcantes para o Fabuloso

Edoardo Ghirotto - São Paulo,SP

27/11/15 | 20:00 - 28/11/15 | 16:12


Terceiro maior artilheiro da história do São Paulo, com 211 gols marcados, o atacante Luis Fabiano confirmou nesta sexta-feira que não renovará o contrato com o time para a próxima temporada. Emocionado com a proximidade do adeus, o jogador aproveitou para recordar alguns momentos históricos com a camisa tricolor. Entre eles estão o gol mais importante, a briga mais famosa e o desempenho acima da média contra o rival Corinthians - eternizado nos últimos anos pela comemoração do "parado na esquina".

Nas palavras do atacante, "o primeiro gol com a camisa do São Paulo foi especial". As duas primeira vezes que o Fabuloso estufou as redes adversárias pelo Tricolor ocorreram no dia 28 de fevereiro de 2001, no jogo de ida das finais do extinto Torneio Rio-SP. A partida, disputada contra o Botafogo, no Maracanã, foi vencida pelos paulistas por 4 a 1. À época com 20 anos, Luis Fabiano já mostrava sinais da personalidade forte que o marcaria na equipe. "Eu sou iluminado", disse na saída do gramado, segundo edição da época do jornal A Gazeta Esportiva. Na volta, o São Paulo derrotou os cariocas por 2 a 1 e se sagrou campeão da competição.

Coletiva do Ronaldo (fenomeno), no WTC Sheraton Hotel, na zona Sul de Sao Paulo. 25/11/2015, Foto: Djalma Vassao/Gazeta Press
O Fabuloso foi destaque após marcar dois gols contra o Botafogo (Foto: Reprodução)

Além dos gols, o legado do Fabuloso no clube abrange brigas e cartões por desentendimentos e reclamações. Para o atleta, a principal delas ocorreu em 2003, contra o River Plate, na semifinal da Copa Sul-Americana. Antes da decisão por pênaltis que decretaria a eliminação do São Paulo, Luis Fabiano se envolveu em uma briga com os argentinos no centro do gramado e acertou uma voadora em um dos rivais.

"Era um garoto e acabei dando uma declaração meio engraçada. Isso é o que todo mundo lembra aqui", disse o atacante, ao recordar a entrevista em que tentava justificar sua expulsão. Na saída de campo, ele afirmou que "numa confusão com os argentinos, a gente jamais pode ficar de fora". "Entre brigar e bater o pênalti, eu prefiro ajudar na briga", acrescentou.

O Fabuloso só foi evasivo na hora de apontar o melhor jogador com quem formou dupla de ataque no Tricolor. "Eu tive vários companheiros de muita qualidade. O França foi o primeiro, depois joguei com o Reinaldo. O Pato, apesar de ter jogado pouco tempo com ela, também foi importante. É difícil apontar um durante todos os anos, não quero ser injusto com ninguém. Todos me ajudaram", declarou.

Corinthians - Com 12 gols marcados, Luis Fabiano fez do Vasco sua principal vítima. Mas foi contra o Corinthians, segundo time que mais levou gols do atacante, que o Fabuloso consolidou o status de ídolo tricolor. O atleta deixou sua marca contra os alvinegros em dez ocasiões, sendo que nos últimos anos os triunfos sobre os alvinegros ganharam uma provocação especial. A comemoração do 'parado na esquina', inspirada na dança de um funk de mesmo nome, fez a torcida delirar na terceira passagem do jogador pelo São Paulo.

"O Corinthians é um grande rival. Tivemos grandes jogos. Fui muito feliz na maioria das vezes e triste em algumas. Mas, no geral, o que valeu foram os gols que fiz contra eles. É um rival que hoje vive um momento mágico, mas que fiz minha parte quando encontrei pela frente. E deixei uma marca, que é o parado na esquina. O torcedor gosta. Foi um rival legal de se jogar contra, porque a torcida são-paulina gosta muito de ganhar deles", disse o Fabuloso, que esteve em campo na goleada por 6 a 1 sofrida para o Timão, no último domingo, na Arena de Itaquera.

Osvaldo, Luis Fabiano e Lucas durante  Sao Paulo FC x Nautico, pelo campeonato brasileiro, no estadio do Morumbi, em Sao Paulo, SP 18/11/2012 Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A comemoração do "parado na esquina" foi eternizada pelo Fabuloso contra o Corinthians (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Deixe seu comentário