Gazeta Esportiva

David elogia trabalho de Ceni e  brinca: “Cheguei e já estava ali no meu pé”

São Paulo, SP

21/01/23 | 16:00

David mal teve tempo para se adaptar ao São Paulo. O jogador foi escalado como titular no mesmo dia em que foi anunciado oficialmente, estreou e marcou gol. Tudo muito rápido. Contratado por indicação de Rogério Ceni, com quem já trabalhou no Cruzeiro e, posteriormente, no Fortaleza, o atacante se tornou um “homem de confiança” do comandante tricolor.

A insistência de Rogério Ceni pela chegada de David chama atenção pelo fato de o atleta não ter se destacado na última temporada. Reforço do Internacional para 2022, o atacante marcou apenas dois gols ao longo do ano, amargando um jejum de dez meses sem balanças as redes, motivo suficiente para muitos questionamentos da torcida são-paulina em relação a sua contratação. Entretanto, o técnico tricolor está convicto de que ele pode ser bastante útil para a equipe, o que ficou provado com o gol marcado logo em sua estreia, contra a Ferroviária, na última quinta-feira.

“Já tive outras oportunidades de trabalhar com o Rogério, e a confiança que ele dá, o respeito que temos um pelo outro, o fato de ele sempre querer tirar o máximo do jogador, tudo isso faz diferença. Cheguei no treinamento e ele já estava ali no meu pé, me cobrando para que eu acertasse a finalização. Isso é muito importante para o jogador, saber que tem gente que confia no seu trabalho”, disse David.


O atacante de 27 anos se destaca pela velocidade e força, com capacidade de proteger a bola dos zagueiros, mas também de romper linhas e dar profundidade ao time, características das quais o elenco do São Paulo carece. Não à toa que, mesmo com pouquíssimo tempo de casa, David se tornou titular da equipe.

“Eu acho que sou um jogador com característica do ‘um pra um’, velocidade, sempre buscando as costas do zagueiro, dando profundidade, sempre sendo bastante ofensivo”, comentou o camisa 22 do São Paulo.

Veja mais: Apresentado no São Paulo, David diz por que não vingou no Internacional

Rogério Ceni também já antecipou a possibilidade de David também atuar como “camisa 9”, caso seja necessário preservar Calleri de uma partida ou outra enquanto um substituto para o argentino não é contratado. De qualquer forma, a prioridade é contar com o novo atacante pelos lados do campo.

“Sempre joguei aberto pela esquerda, às vezes centralizado, mas o Rogério sabe bem onde eu rendo melhor. Vai do adversário, da formação que a equipe joga. O mais importante é que ele me deixa muito à vontade, mas com muita responsabilidade também. Nossa equipe tem muita qualidade, independentemente da posição é preciso mostrar serviço. Pressão sempre vai ter, temos que estar cientes de que precisamos manter o nível alto, o campeonato exige isso, são muitas equipes qualificadas”, concluiu David.

Deixe seu comentário