Gazeta Esportiva

Ceni explica nova ausência de Gabriel Neves entre os relacionados: “Nada pessoal”

São Paulo, SP

19/01/23 | 23:24

O técnico Rogério Ceni esclareceu a nova ausência de Gabriel Neves entre os relacionados do São Paulo para a partida desta quinta-feira, contra a Ferroviária, em Araraquara, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

O volante uruguaio já havia sido cortado do confronto do último domingo, com o Ituano, no Morumbi, que marcou a estreia oficial do São Paulo em 2023. Por isso, acreditava-se que Gabriel Neves estaria presente em Araraquara, o que acabou não se confirmando.

“Eu não sei o investimento que foi feito no Gabriel Neves. É um ótimo jogador, nos ajudou muito no ano passado, jogou bem até se machucar. Fechou o ano praticamente lesionado. Quando voltou, voltou fora de ritmo. Nesse ano está readquirindo sua condição. O que faz com que ele não seja relacionado é o fato de termos oito estrangeiros. Gostaria muito de trazê-lo, mas meus zagueiros são todos estrangeiros, tenho três estrangeiros, ainda deixei um deles de fora [Arboleda]. Tenho o Méndez, o Calleri, que tem que jogar, e aí sobra apenas uma vaga”, disse Ceni.


Nesta quinta-feira, Alan Franco, Ferraresi, Méndez, Calleri e Galoppo foram os cinco estrangeiros escolhidos para ficarem à disposição de Rogério Ceni. Com isso, Arboleda, Gabriel Neves e Orejuela ficaram na capital paulista.

“Gosto muito do Neves, não é nada pessoal e não vai ser a última vez que ele vai ficar de fora. Pode acontecer outras vezes. Temos a situação do Ferraresi, que fica até o meio do ano, a volta do Orejuela foi inesperada, aumentou o número de estrangeiros. No meio-campo eu tenho muitos volantes, prefiro não gastar uma vaga de estrangeiro no meio. O Neves é um ótimo menino, trabalha extremamente sério, bom jogador, mas não posso mudar o regulamento”, completou.

A tendência é que para o clássico do próximo domingo, contra o Palmeiras, no Allianz Parque, Arboleda volte a figurar entre os relacionados e seja titular. O zagueiro equatoriano foi preservado após a estreia no último fim de semana pelo fato de ter sido seu primeiro jogo em seis meses. Resta saber se Gabriel Neves, enfim, receberá uma chance de ao menos figurar no banco de reservas.

“A competitividade é boa. A única coisa que lamento são os oito estrangeiros. A questão do Neves não é pessoal. Três dos quatro zagueiros são estrangeiros, o outro é um garoto [Beraldo]. Méndez acabou de jogar uma Copa, e o Calleri é meu camisa nove. Lamento pelo Orejuela, pelo Neves e pelo Arboleda, que hoje preferi segurar porque ele não jogava havia seis meses”, concluiu Ceni.

Deixe seu comentário