Cristian mantém a forma no São Caetano e espera por proposta

São Paulo, SP

22-01-2018 21:28:36

Campeão Paulista e da Copa do Brasil pelo Corinthians em 2009, Cristian passou os últimos três anos vinculado ao time do Parque São Jorge, mas acabou tendo uma passagem pelo bem diferente da primeira impressão deixada ao lado de Ronaldo e companhia. Sem espaço no alvinegro, o volante terminou 2017 emprestado ao Grêmio, onde entrou em campo apenas em cinco oportunidades. Mesmo assim, fez parte do elenco campeão da Libertadores da América. Agora, Cristian vive uma nova realidade. Sem clube, o experiente jogador de 34 anos se esforça para se manter em condição de jogo treinando de favor no São Caetano.

“Foi uma opção que apareceu e resolvi aproveitar. Com isso, consigo manter um bom nível de trabalho e fico apto a jogar logo que pintar alguma coisa. É uma estrutura muito boa, com pessoas que eu conheço e só tenho a agradecer pela hospitalidade”, comenta o próprio atleta, que mora na cidade da região do ABC paulista e tem bom relacionamento com a diretoria do Azulão.

O mais curioso é que em seu retorno ao Brasil, em 2015, Cristian chegou ao Corinthians a peso de ouro, com salário alto e moral entre os torcedores. Aos poucos, todo esse crédito foi se deteriorando com a dificuldade do volante em engrenar uma sequência. Nem mesmo o título Brasileiro da equipe no fim daquele ano aliviou a situação de Cristian, que no ano seguinte fez apenas 18 jogos, a maioria entrando na etapa final das partidas.

“O final desta minha passagem pelo Corinthians não foi como eu esperava, mas não é algo que gosto de lembrar. Prefiro guardar na memória as coisas boas e as pessoas boas desses três anos. É um clube que sempre vou levar no meu coração e terei sempre um carinho enorme. A minha história no Corinthians ninguém vai apagar. Agradeço, de coração, a todos que fizeram parte de tudo isso e agora é seguir em frente, pois coisas boas ainda estão por vir já em 2018”, comenta, sem deixar de lembrar do Grêmio, que o aceitou quando ninguém parecia disposto.

“A passagem pelo Grêmio foi algo marcante na minha carreira. Foi algo que não esperava, mas que aconteceu e pude conquistar um título como a Libertadores. A experiência do Mundial também foi sensacional e nunca vou esquecer. Agradeço também à torcida por todo carinho e ao Renato (Gaúcho) por ter acreditado em mim”.

Deixe seu comentário