COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Peres será chefe de delegação do Brasil em Teresópolis (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A Seleção Brasileira terá três chefes de delegação durante sua preparação para a Copa do Mundo da Rússia. José Carlos Peres, presidente do Santos, Nelson Mufarrej, mandatário do Botafogo, e Rogério Caboclo, eleito o novo presidente da CBF e que assumirá o cargo em abril do ano que vem, foram os escolhidos para encabeçarem o grupo liderado pelo técnico Tite.

“Nosso chefe de primeiro período será o Peres [presidente do Santos]. Nelson Mufarrej [presidente do Botafogo] depois e Caboclo na nossa preparação já em Copa do Mundo”, afirmou o coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar.

José Carlos Peres assumirá a função de chefe de delegação na próxima segunda-feira, quando parte do elenco se apresentará na Granja Comary, em Teresópolis, para a primeira das três fases de preparação para a Copa do Mundo. Atletas e comissão permanecerão na região serrana do Rio de Janeiro até o dia 27, quando viajam para a Inglaterra.

Na Terra da Rainha, Nelson Mufarrej é quem será o chefe de delegação do Brasil. Por lá, os comandados de Tite enfrentarão a Croácia, no dia 3 de junho, em Anfield, estádio do Liverpool. Já no dia 10 o time pentacampeão do mundo viaja até Viena, na Áustria, para encarar a seleção local.

Por fim, Rogério Caboclo, futuro presidente da CBF e que conta com o apoio de Marco Polo Del Nero, ex-mandatário da entidade que foi banido de qualquer função relacionada ao futebol pela Fifa, fecha o revezamento de chefes de delegação. Ele ‘tomará posse’ do cargo em Sochi, no dia 10, quando a Seleção Brasileira se despede da Áustria e desembarca no balneário russo, local que ficará o ‘QG’ canarinho durante todo o torneio.



Adversária da Argentina na fase de grupos da Copa do Mundo, a Nigéria divulgou na tarde desta segunda-feira a pré-lista de convocados para o torneio. Dentre os principais nomes da equipe de Salisu Yusuf, estão os promissores atacantes Alex Iwobi, do Arsenal, Kelechi Iheanacho, do Leicester, e o veterano John Obi Mikel, que está no futebol chinês, mas vestiu as cores do Chelsea por 10 anos.

A Nigéria estreia no Mundial no dia 16 de junho, quando enfrenta a Croácia, em Kaliningrado. Na rodada seguinte, no dia 21, joga contra a seleção islandesa, em Vologrado. Encerrando sua participação no grupo D da primeira fase, os comandados de Salisu Yusuf duelam contra a Argentina, de Messi e companhia, em São Petersburgo, no dia 26.

Para chegar a tão almejada Copa do Mundo, os nigerianos fizeram ótima campanha nas Eliminatórias da África, onde terminaram no primeiro lugar do grupo B, na frente da boa seleção camaronesa e da Argélia, lanterna de chave, que contava com Brahimi e Mahrez, principais nomes de Porto e Leicester, respectivamente.

Goleiros: Ikechukwu Ezenwa (Enyimba International), Daniel Akpeyi (Chippa United), Francis Uzoho (Deportivo La Coruña) e Dele Ajiboye (Warri Wolves);

Defensores: William Ekong (Bursaspor), Leon Balogun (Mainz), Olaoluwa Aina (Hull City), Kenneth Omeruo (Kasimpasa), Bryan Idowu (Amkar Perm), Chidozie Awaziem (Nantes), Abdullahi Shehu (Bursaspor), Elderson Echiejile (Cercle Brugge), Tyronne Ebuehi (Den Haag) e Stephen Eze (Lokomotiv Plovdiv)

Meio-campistas: John Obi Mikel (Tianjin Teda), Ogenyi Onazi (Trabzonspor), John Ogu (Hapoel Beer Sheva), Wilfred Ndidi (Leicester), Uche Agbo (Standard Liège), Oghenekaro Etebo (Las Palmas), Joel Obi (Torino) e Mikel Agu (Bursaspor).

Atacantes: Odion Ighalo (CC Yatai), Ahmed Musa (CSKA Moscow), Victor Moses (Chelsea), Alex Iwobi (Arsenal), Kelechi Iheanacho (Leicester), Moses Simon (Gent), Junior Lokosa (Kano Pillars) e Simeon Nwankwo (Crotone).



Fábio Coentrão recusou a convocação para a Copa do Mundo (Foto: Reprodução/Instagram)

A seleção de Portugal ainda não tornou pública sua lista de convocados para a Copa do Mundo, mas um nome em especial já está certo de que não será anunciado pelo treinador Fernando Santos: o de Fábio Coentrão. Em seu perfil nas redes sociais, o lateral-esquerdo confirmou a “falta de condições de ajudar o país” para justificar a recusa e se antecipou que a decisão em nada tem a ver com “dar as costas para Portugal”.

“Na semana passada, depois de pensar muito, dei meu parecer ao treinador (Fernando Santos) que, após uma temporada muito desgastante, sinto não estar nas condições necessárias para representar a Seleção em uma competição com a exigência da Copa do Mundo. Jamais virarei as costas ao meu país, e espero poder vir a representar a nossa Seleção mais vezes no futuro. Até lá sou e sempre serei um torcedor. Até breve e boa sorte”, escreveu.

Coentrão já representou a seleção portuguesa em 52 duas oportunidades e disputou as duas últimas edições da Copa do Mundo. Porém, na campanha do título da Eurocopa de 2016 sequer foi convocado por conta de uma séria lesão. Sua ausência abriu espaço para Raphael Guerreiro e a tendência é de que o jogador do Borussia Dortmund seja seu substituto entre os titulares. Para compor a delegação, Eliseu deve ser o escolhido.

A temporada de Fábio Coentrão no Sporting também ficou marcada por um desempenho irregular e problemas físicos. Foram 43 partidas, com um gol marcado e quatro assistências.



Tite foi o primeiro técnico de Marquinhos, hoje com 24 anos, como profissional (foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians)

Este 14 de maio de 2018 ficará marcado para sempre na vida do zagueiro Marquinhos. Completando 24 anos nesta segunda-feira, o jogador revelado pelo Corinthians recebeu de presente a convocação para disputar a sua primeira Copa do Mundo pela Seleção Brasileira.

“Não poderia ter recebido um presente melhor. Sem dúvida, esta data ficará na minha memória pelo resto da vida. Agradeço a todos que fizeram parte dessa caminhada difícil, mas gratificante”, comentou Marquinhos.

O presente, no entanto, já era esperado. Utilizado por Tite em 15 jogos do Corinthians no seu início de carreira, entre 2011 e 2012, Marquinhos era presença frequente nas convocações do treinador. Nos últimos compromissos, porém, passou a ter o seu lugar no time titular ameaçado por Thiago Silva, companheiro de Paris Saint-Germain, da França.

Por enquanto, Marquinhos prefere comemorar a convocação a projetar a disputa que travará pela titularidade. “Gostaria de agradecer à comissão técnica pela confiança depositada no meu trabalho. Representar o meu país em uma Copa do Mundo é uma grande honra e uma enorme realização profissional”, disse.

O ainda jovem zagueiro, que também acumula uma passagem pela italiana Roma, falou até como veterano. “Aproveito para deixar um recado aos mais jovens: jamais desistam dos seus sonhos. Sonhei com esse momento desde criança. Hoje, alcancei o meu maior objetivo. Acredite: independentemente do seu sonho, será a sua vez amanhã”, discursou Marquinhos.



Mal havia acabado de anunciar a lista com os 23 convocados para a disputa da Copa do Mundo, o técnico Tite já se imaginou com dúvidas na formação do miolo de zaga da Seleção Brasileira. Elogioso aos quatro jogadores escolhidos para compor o setor, indicou que a briga pelas duas vagas no time titular deverá ficar entre Miranda, Marquinhos e Thiago Silva, com Pedro Geromel correndo por fora.

“Os três têm alto nível. Todos jogaram jogos importantes. Se pegar minutagem, Thiago deve ter 700 minutos. Marquinhos 1.100, Miranda 1.100. Ora um se machucou, ora outro não tinha condição. Uma das boas dores de cabeça que terei”, afirmou o treinador, em entrevista coletiva, nesta segunda-feira, na sede da CBF.

Apesar da disputa concentrada no trio que atua no futebol europeu, Tite fez questão de exaltar as virtudes do zagueiro do Grêmio, que superou a concorrência de Rodrigo Caio, do São Paulo, Jemerson, do Monaco, e Gil, do chinês Shandong Luneng.

“Aspectos individuais, feeling, percepção, coisas que não são objetivas. Dia a dia, palestra, trabalho, mobilização, consegue conceber. Grêmio mantendo padrão de regularidade há dois anos. E nesse período todo, em alto nível. Nos treinos, a mesma forma. Linguagem corporal e a sua conduta. Isso credenciou”, disse Tite, justificando a sua escolha.

Questionado se poderia utilizar Marquinhos na lateral direita, para a qual foram convocados Danilo e Fagner, Tite disse que a ideia é não improvisar no setor, embora veja atributos suficientes no jogador, comandado por ele em 15 jogos no Corinthians, em 2012.

“Estava assistindo à final da Copa São Paulo (de 2012). Ele e Antônio Carlos, do Palmeiras, faziam a zaga. Bola longa, dá carrinho e digo para o Edu (Gaspar, ex-gerente de futebol do Corinthians): esse moleque joga muito. Não sei se é lateral, zagueiro ou volante”, relembrou Tite, antes de complementar sua análise.

“Tem pré-requisitos básicos para as três posições. Jogador versátil que também pode ser utilizado. Desde que haja necessidade. Inicialmente, como zagueiro”, explicou.

A Seleção Brasileira iniciará a sua preparação para a estreia na Copa do Mundo com uma semana de treinos em Teresópolis, entre os dias 21 e 27 de maio. De lá, a delegação seguirá para a Inglaterra, onde fará amistoso contra a Croácia em 3 de junho. O último teste antes do Mundial será diante da Áustria, em Viena, no dia 10. No grupo E da principal competição do planeta, o Brasil de Tite enfrentará Suíça, Costa Rica e Sérvia.



Paolo Guerrero é o maior artilheiro da seleção peruana (Foto: Juan Mabromata/AFP)

A ampliação da pena de Paolo Guerrero para 14 meses foi um grande impacto para o Peru. A seleção peruana não poderá contar com seu principal jogador, o maior artilheiro da história da equipe, na Copa do Mundo da Rússia, competição que o Peru não disputa há 36 anos.

Na tarde desta segunda-feira, a Federação Peruana emitiu um comunicado oficial, lamentando a ausência de seu capitão e reiterou que nada pode fazer diante da decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

Veja também:

Mãe de Guerrero diz que filho está “destroçado” e cita possível complô

Como já cumpriu seis meses de suspensão, Guerrero poderá voltar a jogar em oito meses. Com isso, o atacante só poderá entrar em campo novamente a partir de 2019, colocando em dúvida sua renovação de contrato com o Flamengo, que termina em agosto.

Vale ressaltar que o TAS afirmou que a punição foi dada por negligência do camisa 9, confirmando que o peruano não é dependente e nem ingeriu drogas de forma a melhorar seu desempenho.

Confira o comunicado na íntegra:

“Diante da decisão emitida hoje pelo TAS, a Federação Peruana de Futebol lamenta profundamente a ampliação da penalidade imposta ao nosso importante jogador Paolo Guerrero, que sempre nos mostrou um comportamento exemplar.

Por outro lado, consideramos necessário esclarecer que, de acordo com os regulamentos da Fifa, a Federação Peruana de Futebol não participa dos procedimentos disciplinares conduzidos contra os jogadores, pela suposta violação do Regulamento Antidoping.

Sem dúvida, Paolo nos fará falta na Rússia, mas estamos convencidos de que a equipe formada, cheia de coragem e determinação, deixará o nome do Peru em alta. Nenhuma adversidade, por mais difícil que seja, como nossa seleção mostrou, vai nos parar.

Unidos mais do que nunca. Arriba, Peru”.



O técnico Tite divulgou os convocados para disputar a Copa do Mundo com a Seleção Brasileira nesta segunda-feira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Dos 23 selecionados, apenas seis atletas já vestiram a camisa verde e amarela em Mundiais (Thiago Silva, Marcelo, Paulinho, Fernandinho, Willian e Neymar), mas se engana quem pensa que o elenco que desembarcará na Rússia em junho é inexperiente.

Abaixo, você confere o perfil de cada um dos atletas lembrados na preciosa lista do treinador do time canarinho, que em junho desembarcará na Rússia em busca do hexacampeonato mundial.

Alisson Becker (estreante): Defendendo a Roma há duas temporadas, o goleiro de 25 anos deve ser titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Depois de amargurar a reserva em seu ano de estreia na Itália, o brasileiro assumiu a meta giallorossi e parece não ter sentido qualquer tipo de pressão, colecionando atuações seguras e virando alvo, inclusive, de outros gigantes da Europa, como Liverpool e Real Madrid, coincidentemente os finalistas da Liga dos Campeões.

Revelado pelo Internacional, clube pelo qual jogou durante cinco temporadas antes de ser negociado, Alisson vive a expectativa de jogar sua primeira Copa do Mundo. Desde que Tite assumiu o comando da Seleção, o goleiro atuou em 15 partidas, todas elas como titular.

Cássio (estreante): Ídolo do Corinthians, Cássio conquistou os principais títulos de sua carreira sob o comando de Tite. Contando com a confiança do treinador, o goleiro alvinegro concorreu com Neto, do Valencia, e Vanderlei, do Santos, pela vaga de terceiro guarda-meta do time canarinho.

Aos 30 anos, Cássio vive ótimo momento com a camisa do Timão e recentemente se sagrou bicampeão paulista. Ele é o único dos três goleiros que atua no Brasil e está prestes a disputar a sua primeira Copa do Mundo.

Ederson (estreante): Revelado pelo São Paulo, Ederson saiu cedo do Brasil e ganhou destaque no futebol europeu. Depois de duas ótimas temporadas com o Benfica, ele acabou sendo negociado com o Manchester City e logo em seu ano de estreia com o time inglês foi titular e se sagrou campeão nacional e da Copa da Liga Inglesa.

Ederson é a principal ameaça a Alisson pelo fato de ambos jogarem no mesmo nível e estarem acostumados a enfrentar os principais jogadores do mundo. Ao todo, o goleiro que é natural de Osasco esteve presente em 11 jogos da Seleção Brasileira. No último domingo, ele estendeu seu contrato com o Manchester City até 2025.

Marquinhos (estreante): Titular em grande parte do trabalho de Tite à frente da Seleção Brasileira, Marquinhos é o mais jovem entre os zagueiros convocados para a Copa do Mundo. Unanimidade no Paris Saint-Germain, o defensor acabou perdendo espaço nos últimos amistosos, em que Miranda e Thiago Silva formaram a dupla de zaga, contudo, é um dos atletas mais valorizados do elenco que irá à Rússia.

Aos 24 anos, Marquinhos jamais disputou um Mundial. Ainda assim, o zagueiro conta com seis temporadas no futebol europeu, cinco delas pelo Paris Saint-Germain, acostumado a rivalizar com os principais clubes do planeta.

Miranda (estreante): Miranda é um dos zagueiros mais experientes do elenco, ao lado de Thiago Silva. Com 33 anos, o jogador da Inter de Milão esbanja tranquilidade na defesa e só não foi titular no amistoso contra o Japão, em que Tite optou por testar alguns outros atletas.

Dos três candidatos a serem titular na zaga do Brasil na Copa, Miranda talvez seja o que mais esteja à frente na disputa, uma vez que esteve ao lado de Marquinhos e Thiago Silva na maioria das variações feitas por Tite. Apesar da experiência do atleta da Inter de Milão, esse será seu primeiro Mundial.

Thiago Silva: Presente nas Copas de 2010, na África do Sul, e em 2014, no Brasil, Thiago Silva é, junto com Miranda, um dos principais candidatos à faixa de capitão da equipe no Mundial. O zagueiro iniciou com Tite na reserva, mas aos poucos foi mostrando que tem futebol para ser um dos 11 titulares da Seleção na Rússia.

Principal líder do Paris Sanit-Germain, Thiago Silva conta com grande entrosamento com Marquinhos, companheiro de clube, o que pode ser um trunfo para a dupla deixar Miranda no banco. Em 2014, o zagueiro ficou marcado por ter ido aos prantos momentos antes da decisão por pênaltis contra o Chile, nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014, sendo criticado por muitos.

Geromel (estreante): Geromel foi uma das grandes surpresas da lista de Tite.  Convocado em apenas duas oportunidades pelo treinador para jogos oficiais, o zagueiro do Grêmio aproveitou as poucas chances que teve para convencer o comandante do time canarinho que tinha condições de assumir o quarto posto na defesa, vencendo a concorrência de Rodrigo Caio e Gil, que foram mais convocados do que ele.

Um dos principais pilares da conquista do tricampeonato da Libertadores com o Grêmio, Geromel foi um dos melhores em campo na final do Mundial contra o Real Madrid, graças à sua atuação segura frente aos melhores jogadores do planeta. Essa será sua primeira Copa do Mundo.

Marcelo: Presente na Copa do Mundo de 2014 e titular na vexatória derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal, Marcelo é uma das grandes estrelas da Seleção Brasileira. Titular do Real Madrid, o lateral-esquerdo foi um dos jogadores garantidos na convocação pelo próprio Tite muito antes de ela ter sido divulgada.

Um dos seis remanescentes da Seleção que disputou o último Mundial, Marcelo quer reescrever sua história nas Copa do Mundo com o hexacampeonato. Porém, antes disso ele terá uma outra missão importantíssima: vencer pela terceira vez seguida a Liga dos Campeões com o Real Madrid. Justamente por conta da decisão, ele será um dos três atletas brasileiros a se juntarem ao time canarinho mais tarde, já na Europa.

Fagner (estreante): Titular absoluto no Corinthians, onde já trabalhou com Tite, Fagner era o favorito
à vaga de reserva de Daniel Alves. Com a lesão do jogador do PSG, sua presença foi praticamente confirmada junto de Danilo, com quem concorrerá pela condição de titular do Brasil na Copa da Rússia.

Essa será a primeira Copa do Mundo de Fagner. O lateral-direito esteve presente em 15 jogos da Seleção Brasileira desde que Tite assumiu o comando da equipe e agora resta apenas a dúvida se ele será o titular no setor.

Filipe Luís (estreante): Outro atleta experiente, Filipe Luís também fará sua estreia em Copas do Mundo aos 32 anos. Presente no time canarinho há tempo, o lateral-esquerdo se recuperou recentemente de uma fratura na fíbula e venceu a forte concorrência de Alex Sandro, da Juventus. Unanimidade no Atlético de Madrid, ele será a grande sombra de Marcelo.

Danilo (estreante): Outro jogador do Manchester City convocado, Danilo recebeu a grande oportunidade de disputar a Copa do Mundo com a lesão de Daniel Alves. Embora tenha atuado na maioria das vezes nesta temporada como lateral-esquerdo improvisado por conta da lesão de Mendy, o jogador de 26 anos recebeu um voto de confiança de Tite e terá a chance de dar a volta por cima após não ter conseguido corresponder com a camisa do Real Madrid.

Casemiro (estreante): Titular absoluto no Real Madrid e na Seleção Brasileira, Casemiro será o cabeça de área do time de Tite na Copa do Mundo. Em ótimo momento na carreira, o volante é outro atleta que se juntará ao restante do elenco canarinho já na Europa, uma vez que disputa a final da Liga dos Campeões no próximo dia 26 de março, contra o Liverpool, em Kiev, na Ucrânia.

Aos 26 anos, Casemiro vive a expectativa de disputar sua primeira Copa do Mundo. O volante, que soma três temporadas como titular do Real Madrid, deve formar o meio-campo da Seleção com Paulinho e mais um jogador, que provavelmente deve ser Fernandinho ou Renato Augusto. Philippe Coutinho, se recuado, pode entrar nessa lista.

Paulinho: O mundo deu muitas voltas para Paulinho desde que Tite assumiu a Seleção Brasileira. Em dois anos, ele foi de esquecido no futebol chinês a peça importante do Barcelona, que decidiu investir no jogador depois de ele ter demonstrado um ótimo desempenho com a camisa canarinho.

Pilar da Seleção Brasileira, Paulinho vai para a sua segunda Copa do Mundo. O jogador estava em campo na goleada por 7 a 1 da Alemanha, no Mineirão, e busca se reerguer do vexame com um título mundial, o que coroaria o melhor momento de sua carreira. Ele é mais um dos atletas que já trabalham com Tite em seus tempos de Corinthians.

Renato Augusto (estreante): Um dos líderes do elenco, Renato Augusto caiu de rendimento na reta final de preparação e passou a ser reserva da Seleção Brasileira. No entanto, seu papel no grupo é elementar. Presente também no título olímpico do Brasil no Rio 2016, o volante de 30 anos deve ficar como opção depois de acompanhar toda a trajetória de Tite à frente da equipe pentacampeã mundial.

Renato Augusto é o único dos convocados que atua no futebol chinês. Jogador do Beijing Guoan, o volante costuma fazer um trabalho à parte, inclusive se apresentando antes à comissão técnica por conta do baixo nível técnico e físico do futebol de onde atua.

Fernandinho: Campeão inglês e da Copa da Liga Inglesa com o Manchester City, Fernandinho ficou marcado como um dos piores jogadores em campo no 7 a 1. O volante, no entanto, agora vive a expectativa até de ganhar uma chance como titular por conta do declínio de Renato Augusto.

Essa será a segunda Copa do Mundo de Fernandinho. Inspirado pelo ótimo futebol desempenhado sob o comando de Pep Guardiola, o volante vive momento bem diferente daquele de 2014 e é um dos principais jogadores da posição na atualidade.

Fred (estreante): Especulado no Manchester City, Fred carimbou sua vaga com as excelentes atuações na Liga dos Campeões com Shakhtar Donetsk. Aos 25 anos, ele foi uma das surpresas da lista divulgada por Tite e venceu a concorrência de nomes como Giuliano, do Fenerbahce, e Arthur, do Grêmio.

Willian: Aos 29 anos, Willian é um dos convocados que vive seu melhor momento. Embora nesta temporada tenha alternado períodos como titular e outros como reserva do Chelsea, o meia-atacante foi o “substituto” de Neymar nos últimos amistosos do Brasil por conta da lesão do atacante do PSG. Essa será a segunda Copa do Mundo de Willian, presente também no Mundial de 2014, no Brasil.

Phillipe Coutinho (estreante): Recém-transferido para o Barcelona, Phillipe Coutinho é a segunda grande estrela da Seleção. As excelentes atuações por Liverpool e agora pelo Barça não deixam dúvidas sobre a capacidade do meia, que chegará à Rússia como um dos destaques do torneio.

Com somente 25 anos, Coutinho jogará seu primeiro Mundial. Presente em 20 partidas com a Seleção Brasileira, o meia pode atuar aberto na direita ou mais recuado, como um terceiro homem no meio-campo. Caso Tite opte pela segunda via, Willian entra no time titular.

Gabriel Jesus (estreante): Com apenas 21 anos, Gabriel Jesus é o mais jovem desse grupo. O atacante encerrou sua temporada no último fim de semana com um gol de placa que garantiu os 100 pontos do Manchester City no Campeonato Inglês. Treinado por Pep Guardiola, ele é uma das grandes promessas do futebol mundial e da Seleção Brasileira na Rússia.

Ele é um dos três convocados que também faturaram a medalha de ouro olímpica no Rio de Janeiro. Titular no ataque, Jesus terá de lidar com a grande concorrência de Roberto Firmino, que está voando com a camisa do Liverpool.

Roberto Firmino: O atacante é o último que se apresentará à Seleção já na Europa. Titular absoluto do Liverpool, ele terá a missão de erguer a sexta Liga dos Campeões do clube inglês antes de voltar o foco no Mundial, que será, inclusive, o primeiro de sua carreira.

Douglas Costa (estreante): Embora tenha se lesionado bastante durante as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa, Douglas Costa garantiu sua vaga nos últimos dois amistosos do Brasil, contra Rússia e Alemanha. Vivendo grande momento na Juventus, o atacante tem perfil velocista e é outra ótima alternativa pelas beiradas de campo.

Taison (estreante): O atacante talvez seja a principal surpresa da lista de Tite. Presente em 12 partidas do time canarinho, Taison, que defende o Shakhtar Donetsk, jamais atuou em outro clube da Europa e é considerado o 23º atleta da preciosa lista canarinho.

Neymar: Grande estrela da Seleção, Neymar se prepara para a sua segunda Copa do Mundo. Recém-recuperado de uma lesão no pé direito, o camisa 10 espera que desta vez tenha um pouco mais sorte do que teve em 2014, quando ficou fora da semifinal por conta de uma contusão na vértebra.

Sem ter participado da reta final da atual temporada, se recuperando no Brasil, Neymar deve chegar à Rússia em ótima forma física, já que não está tendo de lidar com o mesmo desgaste que outros jogadores importantes que atuam na Europa vem enfrentando.



Tite se apegou a uma declaração de Nenê Hilário, jogador de basquete do Houston Rockets, da NBA, para justificar as suas escolhas na convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo. O técnico citou diversas vezes a palavra “consistência”, parafraseando o pivô brasileiro, na entrevista coletiva que concedeu nesta segunda-feira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“O Nenê, do basquete, da NBA, fez uma observação e falou em consistência de carreira, em consistência de momento e em consistência na sequência do trabalho. Talvez isso, a sequência na Seleção e na própria carreira de cada um, credencie o jogador ao momento máximo, que é estar na Seleção Brasileira, principalmente em uma Copa do Mundo”, comentou Tite.

O técnico não deixou de ponderar mais adiante. Ele reconheceu, por exemplo, que o lateral direito Rafinha tinha mais “consistência de carreira” do que Fagner e Danilo, por quem foi preterido. “Mas são vários aspectos – táticos, físicos, técnicos e emocionais”, ressalvou, elogiando o atleta que não convocou.

Há outros aspectos. Alguns jogadores, como o atacante Taison, levaram vantagem porque já haviam trabalhado com Tite anteriormente. Outros foram lembrados por se encaixar na filosofia de jogo do treinador, que prima pelas triangulações ofensivas.

“Existe concorrência, respeito e reconhecimento. Mesmo chateados, aqueles que não foram têm o nosso reconhecimento e ainda poderão ganhar sequência na Seleção Brasileira. Havia muitos jovens que poderiam estar na Copa”, avaliou Tite, evitando, porém, divulgar a sua lista de 12 atletas suplentes enviada à Fifa (só revelou que o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, era um deles). O intuito foi evitar ainda mais burburinho sobre quem não foi chamado.

Ainda em sua defesa, Tite ponderou que também estava aflito com a convocação. Segundo ele, mesmo após a sua comissão técnica observar 251 partidas in loco e realizar 75 visitas a centros de treinamento, havia dúvidas. “Isso te drena. Acordei umas três, quatro vezes durante à noite, com o lado humano aflorado. Às vezes, é um pequeno detalhe que te faz optar por uma ou outra situação”, afirmou.



O Brasil perdeu talvez aquele que carregaria a braçadeira de capitão na Copa do Mundo. O corte de Daniel Alves foi um baque sentido por todos, seja dentro da Seleção Brasileira ou pela torcida, que teme pela falta de uma reposição a altura do jogador de 35 anos. Sem o seu camisa 2, Tite chamou Danilo e Fagner para cobrir o setor.

Durante o anúncio dos convocados, o comandante não deixou de citar Daniel Alves. Tite falou do atleta do PSG com admiração, e fez questão de revelar uma rápida conversa que teve com o lateral.

“Confiança tem Daniel Alves, a quem eu quero deixar abraço de coração. Um cara que na primeira ligação que eu faço, ele fala assim: ‘que bom, professor, ter ligado, porque o bom ambiente de trabalho é fundamental para desenvolver. Ele não falou dele, e sim olhando um macro. Um cara que tem um coração desse tamanho e uma coragem exemplar”, exaltou Tite, sem misturar a falta de confiança em suas novas opções com o peso da perda de um líder.

“Uma pessoa impressionante, mas isso tem também uma preparação de Fagner e Danilo. A oportunidade surge, surgiu para eles, vai seguir com a mesma confiança que eu tinha pelo Dani. Vamos sentir falta? Vamos! Mas, vamos seguir com o mesmo trabalho”, avisou, aproveitando o momento para tentar passar um recado a quem estivesse ouvindo.

“Não adianta eu ficar chorando e lastimando ausências. Posso me lastimar, mas eu tenho e foi me dada a condição de preparação da equipe”, encerrou.

Agora, a tendência é que Danilo assuma o posto de titular, conforme antecipou Tite. Fagner se recupera de lesão muscular e ainda gera certa preocupação na comissão técnica brasileira.

 



Dos 23 convocados por Tite para o Copa do Mundo da Rússia, Thiago Silva, com 33 anos, divide o posto de mais velho da Seleção Brasileira junto de Fernandinho e Miranda. Porém, o zagueiro do Paris Saint-Germain ganha no quesito experiência, afinal será o terceiro Mundial de seu currículo.

Thiago Silva disputará sua terceira Copa do Mundo (Foto: AFP)

Em entrevista, o capitão do Brasil em 2014 destacou que espera ajudar os novatos durante o torneio, mas analisa que a maioria dos chamados por Tite estão acostumados a competições desse porte, uma vez que disputam Liga dos Campeões. Assim como Thiago, Neymar, Paulinho, Willian, Fernandinho e Marcelo são remanescentes da última Copa.

“Não esperava disputar três Copas. Com o corte do Dani (Alves), sou o único do grupo a estar disputando a terceira (Copa). É mais que um prazer, posso dividir isso com os meus companheiros, passar um pouco da minha experiência. Mas acho que todos sabem da importância (de um Mundial), estão acostumados com Liga dos Campeões, onde se joga sempre com os melhores. Experiência de 2010 e 2014 vai ajudar a gente nessa caminhada. Não jogaram 2010, mas alguns jogaram 2014 e sabem como é. Todos têm que estar em um bom dia, cientes da dificuldade que é jogar uma Copa”, disse o zagueiro à Rádio Globo.

Por fim, Thiago Silva analisou como é complicado jogar uma partida de Mundial, revelou conversas com Tite e afirmou que a equipe está preparada mentalmente.

Todos os jogos são difíceis, independente dos adversários. Temos que saber como vencer nossos oponentes, minimizar os erros e criar o máximo possível, aproveitando as oportunidades. Tem que estar atento em todos os momentos. Quando se toma um gol, mexe no psicológico e de repente você não tem tempo para virar o placar. Saindo na frente você tem uma confiança maior. A equipe está pronta, a comissão técnica nos preparou. Estamos no caminho certo. Tite sempre fala para nos concentrarmos no nosso jogo. Jogo é jogado, não falado. Se sair atrás do placar, continue jogando. Se sair na frente, continue jogando. Mentalmente temos que estar forte”, declarou o atleta do PSG.

Os comandados de Tite iniciarão sua preparação para a estreia no Mundial com uma semana de treinamentos em Teresópolis, entre os dias 21 e 27 de maio. De lá, a delegação seguirá para a Inglaterra, onde fará amistoso contra a Croácia em 3 de junho. O último teste antes do Mundial será diante da Áustria, em Viena, no dia 10. No grupo E da principal competição do planeta, o Brasil de Tite enfrentará Suíça, Costa Rica e Sérvia.