Presidente do Santos e empresário divergem, e Cittadini deve sair de graça

Correspondente Lucas Musetti Perazolli - Santos , SP
11/08/2018 11:29:42

Em: Escolha do editor, Futebol, Notícias, Santos
Novela Léo Cittadini ganha mais capítulos no Santos (Ivan Storti)

O presidente do Santos, José Carlos Peres, e os representantes de Léo Cittadini voltaram a divergir nessa semana. E o impasse faz aumentar a chance do meio-campista não renovar o contrato e sair de graça em janeiro.

Ao GloboEsporte.com, Peres disse que CIttadini não quis renovar, fez um pedido alto de salário e prometeu não liberá-lo antecipadamente – o vínculo vai até o fim do ano e ele pode assinar um pré-acordo com qualquer clube. O empresário Thiago Campos, porém, afirma que o presidente se empolgou e contesta sua postura.

A principal opção para Léo Cittadini neste momento é a Sampdoria-ITA. Os empresários gostariam de negociar o meia agora, deixando um percentual dos direitos econômicos para o Peixe. As tratativas não avançaram.

“Cittadini não quis renovar. Fez uma pedida absurda, até mais de R$ 200 mil. Acho cedo para ter um aumento desse tipo, ainda não se firmou. Ele deixou passar o tempo, o técnico pede e está usando. Me ligaram de fora e me perguntaram se o Santos liberaria agora com uma participação pequena. O Cittadini não quis dizer o nome, deve ser um time português, mas não é o Benfica. O diretor do Benfica é meu amigo pessoal, não queria confusão com o Santos. O jogador fica até o último dia do contrato aqui. Queriam passar 20% dos direitos, mas o Santos queria ao menos 50%”, disse Peres.

“Ele se empolgou com a possibilidade de carregar porcentagem do jogador no clube europeu. Até porque se o jogador já assinar o pré-contrato, o Santos fica sem nada e sai livre em dezembro. Ou seja, em 4 meses, que seria até o final do ano, o Santos pode escolher, de carregar uma porcentagem e liberar agora ou dezembro ficar com zero. E tem mais, não é verdade o salário que o Peres está falando. Infelizmente o Santos não aceitou pagar os 110 mil reais net (líquidos) que foram pedidos por nós. Mais uma atitude da diretoria do clube que, ao invés de resolver isso conosco, fica jogando para à imprensa para torcida ir contra o jogador, que quer sair pela porta da frente do clube”, respondeu o agente Thiago.

Revelado nas categorias de base do Santos, Léo Cittadini se sente desvalorizado. Não apenas financeiramente, com salário de R$ 40 mil, um dos piores do elenco profissional e o mesmo desde 2013, mas também tecnicamente, sem uma grande sequência de partidas e contestado por grande parte da torcida.

Enquanto isso, jogador de 24 anos está à disposição do técnico Cuca e ficará no banco de reservas contra o Atlético-MG neste domingo, às 11h (de Brasília), no Estádio Independência, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.




×
Quer receber notícias do Santos?