Futebol/Bastidores

Modesto admite perplexidade com vendas de revelações da base

Do correspondente Tiago Salazar - Santos, SP -
06/01/2015 14:55:00

Em: Bastidores, Brasileiro Série A, Campeonatos, Futebol, Região Sudeste, Santos

No último sábado, a nova diretoria do Santos levou um susto quando tomou ciência de que parte de quatro de suas últimas principais revelações tinham sido vendidas. Os negócios, até então sigilosos e feitos sem que os jogadores soubessem, foram fechados ainda por Odílio Rodrigues afim de obter receitas para problemas emergenciais diante de uma grasse crise financeira. Além disso, o dinheiro arrecadado teve um destino desconhecido pela diretoria que acaba de assumir o clube. A única coisa que se sabe é que o montante já se esgotou.

Segundo o próprio Modesto Roma Jr., em entrevista nesta terça-feira, na Vila Belmiro, o Alvinegro praiano vendeu 25% do lateral direito Daniel Guedes, 35% de Geuvânio, 20% de Gabriel e 70% de Alison. O volante, por exemplo, agora pertence totalmente ao banco BMG, já que os outros 30% são divididos entre o jogador e seu empresário. O Santos perdeu tudo que tinha sobre uma revelação que serve à Seleção Brasileira de base frequentemente e é titular absoluto da equipe.

“Estamos tomando conhecimento do assunto. Houve a venda. Estamos discutindo com o departamento jurídico essas situações. Não podemos fazer declarações à luz de emoção, de susto, de perplexidade. Temos de parar, pensar e analisar, e perguntar às pessoas que conhecem das leis, do estatuto, para que digam o que ocorre. Houve a venda. Fiquei perplexo com os valores. Mas vamos terminar a análise”, admitiu Modesto, livrando grupos de investimento, como a Doyen Sports, que tem participações e acordos com o Peixe em diversos casos, de qualquer culpa. “Primeiro, estamos tomando pé da situação. Aí vamos saber se vamos tomar alguma providência. A Doyen não colocou a faca no pescoço de ninguém. Ela busca fazer bons negócios para ela. Não discutimos, a Doyen, fez o papel dela. Acho que temos de resolver os problemas internos internamente”, explicou o mandatário.

O novo presidente Modesto Roma Jr. mostrou insatisfação com a venda das revelações (Foto: Dennis Calçada)
O novo presidente Modesto Roma Jr. mostrou insatisfação com a venda das revelações (Foto: Dennis Calçada) – Credito: Divulgação/Santos FC

Ainda comentando o frequente relacionamento santista com investidores de fora, Modesto Roma Jr diz ter aprovado a nova norma da Fifa, que deve restringir e até impedir que estes grupos tenham participações em jogadores ligados a qualquer clube.

“Essa norma, bem-vinda da Fifa, permite que até 30 de abril se faça contratos de um ano ainda com esses investidores externos. Os contratos existentes até dezembro de 2014 seguem como estão. Os dirigentes vão ter de se adaptar à nova realidade, à responsabilidade fiscal. Temos de ter responsabilidade. O Santos vendeu duas joias (Ganso e Neymar) e está nessa situação. Não podemos mais ouvir isso. Temos de ter responsabilidade”, cobrou o presidente empossado no último dia primeiro.