Futebol

Apesar das dificuldades para contratar, Santos foge do “bom e barato”

Do correspondente Tiago Salazar - Santos, SP -
07/01/2015 08:00:26

Em: Campeonato Paulista, Campeonatos, Campeonatos Estaduais, Futebol, Região Sudeste, Santos

Vivendo uma transição política e imerso em uma profunda crise financeira, o Santos se reapresenta nesta quinta-feira com o mesmo elenco que encerrou o ano em 2014, sem qualquer reforço contratado até agora. Modesto Roma Jr, presidente que assumira o cargo em 1º de janeiro, garante que está atento ao mercado e que buscará jogadores com potencial. A intenção é adquirir entre quatro ou cinco atletas já para o Campeonato Paulista.

“Procuramos jogadores de bom nível, que estejam no mercado. Nomes só quando estivermos com as coisas acertadas”, disse o mandatário, adotando um discurso misterioso, porém, sincero quanto à dificuldade para ter sucesso nas negociações, já que o clube tem encontrado muitos obstáculos em arrecadar novas receitas e arcar com compromissos que não foram pagos pela gestão anterior, como, por exemplo, os três meses de salários atrasados.

“Temos de ter criatividade e bom senso de fazer negócios com parceiros que possam ajudar nesse momento”, explicou, alertando que o Peixe não pretende, mesmo nestas circunstâncias, adotar a política do bom e barato. “Não tem bom e barato. Isso não existe. O bom é caro e nós vamos buscar os bons para posições que precisamos, com parceria. O bom é caro e o ruim é barato. Assim funciona a lei de mercado”, ressaltou.

“O bom é caro e nós vamos buscar os bons para posições que precisamos”, admitiu Modesto Roma Jr. – Credito: Ivan Storti/Santos FC
Para conseguir arcar com seus compromissos e ainda reforçar o elenco, o Santos está enxugando sua folha salarial. Jorge Eduardo, Neto, Rildo, Bruno Uvini, Nailson e Vinicius Simon não tiveram seus contratos renovados. Além deles, Leandro Damião foi emprestado ao Cruzeiro na condição do clube mineiro bancar 70% do salário do centroavante e o meia Souza foi devolvido. Os contratos do goleiro Vladimir e do volante Renato também se extinguiram, mas ambos estão negociando suas renovações e devem permanecer no time nesta temporada.

Nesta quinta, na reapresentação do grupo de jogadores, o lateral-direito Rafael Galhardo, que estava no Bahia, o volante Lucas Otávio e o meia Pedro Castro, que aturam pelo Paraná em 2014, e o atacante Lucas Crispim, que defendeu o Vasco, retornam de empréstimo e mais uma vez tentarão provar que podem ser úteis ao Santos.

“A base é fundamental, sempre foi na história do Santos. A base monta as equipes dos Santos sempre. E o Santos sempre foi buscar jogadores pontuais”, lembrou Modesto.