Análise: Santos abdica de jogar pelas pontas e peca ao insistir em jogo pelo meio

Redação - São Paulo,SP

15/08/22 | 07:00

Por Maurício Herschander

Após quatro jogos de invencibilidade na Série A do Campeonato Brasileiro, o Santos voltou a ser derrotado na noite deste domingo. Frente ao América-MG, o Peixe caiu por 1 a 0, no primeiro revés desde a chegada do técnico Lisca.

Neste jogo, o Santos mostrou uma mudança em suas jogadas de ataque em relação aos últimos jogos. Desta vez, a equipe pouco tentou chegadas pelas pontas e preferiu insistir em articulações pelo meio da defesa do Coelho.

Mesmo quando tinham a bola dominada pelas beiradas, os dois pontas Lucas Barbosa, pela direita, e Lucas Braga, pela esquerda, em grande parte das vezes cortavam para o meio e buscavam passes para os homens que vinham de trás.

Nos 10 primeiros minutos de jogo, esta escolha até levou perigo ao gol do América-MG. Marcos Leonardo recebeu passe de Lucas Braga e finalizou batendo cruzado, mas a bola explodiu na trave. A arbitragem marcou impedimento no lance. Não parecia. Se entrasse, o gol possivelmente seria validado.

Porém, pouco depois, em escapada de Pedrinho pelo lado direito após vacilo de Madson, o Coelho chegou ao gol da vitória, ainda aos 14 minutos do primeiro tempo. A partir daí, foram poucas as jogadas de ataque, em sua maioria pelo meio, que funcionaram para o Santos no decorrer de todo o jogo.


Na coletiva de imprensa após a partida, o treinador Lisca justificou sua opção pelo modelo de jogo. Segundo ele, o Coelho estava muito bem postado pelas pontas e dificultava a criação.

''Eles controlavam muito as beiradas, dobrando a marcação. Os extremos deles jogam muito baixo, junto com os laterais. As combinações na beirada estavam complicadas. Tentamos atrair para o meio para jogar no lado oposto. Até conseguimos algumas vezes, mas fomos infelizes no penúltimo passe, na servida para chegar matando'', disse.

O jogo pelas pontas é justamente o que vinha dando certo para o Santos nas últimas partidas. No empate por 2 a 2 contra o Fluminense, Ângelo, em arrancada pela ponta direita, cruzou rasteiro para Marcos Leonardo, que marcou o gol de empate no fim.

A mesma jogada deu certo para o Peixe contra o Coritiba. Em mais uma arrancada pela direita, o talentoso Ângelo serviu desta vez Bryan Angulo, que marcou o gol da vitória nos instantes finais do jogo no Couto Pereira.

Com pontas como Ângelo, e agora Soteldo, em seu elenco, o Santos pode, e deve, continuar explorando jogadas pelas beiradas, mas sem ignorar a criação pelo meio do campo. Há de se chegar a um equilíbrio.

Deixe seu comentário