River Plate sai na frente do Lanús pela semifinal da Libertadores

São Paulo, SP

24-10-2017 22:15:26

Um gol de Ignacio Scocco aos 36 minutos do segundo tempo definiu a vitória magra, mas fundamental para o River Plate na noite dessa terça-feira. Em casa, com o estádio Monumental de Nuñez completamente lotado, os Millonarios fizeram um duelo muito equilibrado com o Lanús e tiveram enorme dificuldade para furar a retranca dos rivais argentinos. Por isso, no fim das contas, a vitória por 1 a 0 no duelo de ida das semifinais da Copa Libertadores da América foi bastante comemorada após o apito final do árbitro brasileiro Wilton Pereira Sampaio. Agora, as duas equipes voltam a se enfrentar na terça-feira da semana que vem, dessa vez no estádio Cidade de Lanús. Um empate basta ao time de Buenos Aires, enquanto os azarões dessa semifinal terão de buscar uma vitória por dois gols de diferença.

Pra a surpresa de muitos que acompanharam o duelo argentino, o confronto começou com a temperatura branda, com as duas equipes se estudando e, talvez, mais precavidas atrás do que com ímpeto para se lançar ao ataque. As tradicionais jogadas ríspidas não apareceram. River Plate e Lanús procuraram jogar apenas futebol. O problema é que ficou faltando um pouco de ousadia. Os mais desatentos poderiam não reparar que se tratava de uma semifinal de Libertadores.

Nesse cenário, foram poucas oportunidades de gol criadas. Os donos da casa, mesmo assim, foram os que mais incomodaram. Aos 10 e aos 13 minutos, os Millonarios exigiram atenção e boas defesas do goleiro Andrada. A resposta dos visitantes veio com Acosta, que apesar da marcação em cima, ainda finalizou com perigo.

A partir da segunda metade do primeiro tempo, o River Plate desequilibrou o duelo a seu favor. A ideia de passar mais tempo no campo de defesa também não parecia incomodar os visitantes, que se seguraram bem, apesar de alguns sustos com a bola o tempo todo transitando próxima ao seu gol.

Na etapa final, a postura retrancada do Lanús ficou ainda mais intensa. Os jogadores de Jorge Almirón deixaram claro que a ideia era levar tudo para ser definido no Estádio Cidade de Lanús. E aí o River decepcionou. A equipe que enfiou oito no Jorge Wilstermann na fase anterior não conseguiu ter criatividade suficiente para superar o sistema defensivo de seus rivais. Uma bola na trave aos 11 minutos em chute de longe do zagueiro Pinola foi a melhor oportunidade dos Millonarios.

A partida caminhava lenta, com muitos passes laterais no meio de campo, quando, de repente, o River Plate foi cirúrgico e fatal no melhor lance de gol que se criou em todo o jogo, já aos 36. De la Cruz, que havia entrado há pouco, serviu Martínez, que arriscou da entrada da área. O goleiro Andrada acabou espalmando no susto e a bola se apresentou para o artilheiro Ignacio Scocco, que não perdoou o gol aberto e, enfim, desentalou o grito de gol no Monumental de Nuñez.

Apesar do gol, o panorama do jogo não mudou. O River, no entanto, não chegou a ampliar sua vantagem diante de um Lanús, que se preocupou em perder de pouco a essa altura. Terça-feira que vem, o estádio Cidade de Lanús receberá o duelo de volta da semifinal. Aos tricampeões da Libertadores, basta um empate para mais uma final, já o Lanús terá de vencer por dois gols de diferença. A repetição do placar, dessa vez a favor do Lanús, forçará a disputa de pênaltis.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE-ARG 1 X 0 LANÚS-ARG

Local: Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires (Argentina)
Data: 24 de outubro de 2017 (Terça-feira)
Horário: 20h15 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Brasil)
Cartões amarelos: Javier Pinola (River Plate); Maximiliano Velázquez (Lanús)

GOL: River Plate: Ignacio Scocco, aos 36 minutos do 2T

RIVER PLATE: LLux, Gonzalo Montiel, Jonatan Maidana, Javier Pinola e Saracchi (Casco); Nacho Fernández (De la Cruz), Enzo Pérez, Leonardo Ponzio, Ariel Rojas (Auzqui) e Pity Martínez; Ignacio Scocco
Técnico: Marcelo Gallardo

LANÚS: EsteEstebán Andrada, José Gómez, Rolando Guerreño, Diego Braghieri e Maximiliano Velázquez (Nicolás Aguirre); Román Martínez, Iván Marcone, Nicolás Pasquini e Alejandro Silva (Matías Rojas)); José Sand e Lautaro Acosta
Técnico: Jorge Almirón

Deixe seu comentário