Futebol/Bastidores

Centurión rebate presidente do Racing após acusação de treinar bêbado

São Paulo , SP
15/08/2018 15:01:22

Em: Bastidores, Futebol Internacional, Notícias, Racing

Os problemas de disciplina do atacante Ricardo Centurión, ex-São-Paulo, voltaram a fazer parte do noticiário esportivo argentino. Na última segunda-feira, o jogador ficou no banco de reservas no empate do Racing diante do Atlético Tucumán pelo Campeonato Argentino. Depois de muita especulação pelo motivo da ausência do jogador na escalação titular, Victor Blanco, presidente do clube, veio a público para explicar a situação.

Centurión rebateu o presidente do Racing (Foto: AFP)

Em entrevista ao diário local Olé, o mandatário revelou que o atacante chegou embriagado ao treino de sábado, dois dias antes do jogo, e por isso ficou no banco de reservas do time comandado por Eduardo Coudet. A diretoria, inclusive, apoiou a decisão do treinador.

“Sábado não estava 100% como precisa um jogador profissional. Bebeu demais. Centurión vinha muito bem, não só pelos seis meses de alto nível desde janeiro. Depois do incidente de trânsito, havia um entendimento que isso não poderia mais acontecer. Lamentamos que tenha acontecido isso e, por isso, não temos dúvidas que Coudet fez o correto. A diretoria apoia a medida do treinador”, disse Victor Blanco.

“Centurión deve cumprir as obrigações que lhe correspondem, como todo jogador de Racing. Se você beber ou for dormir tarde, no dia seguinte você tem que trabalhar. Ele tem obrigações a cumprir e deve cuidar de sua vida privada”, completou.

Ao tomar conhecimento das declarações do presidente do Racing, Centurión se mostrou triste com a atitude do cartola e argumentou que não participou da atividade por um desconforto. “É uma mentira. Se é o contrário, provem. Quando cruzar com ele, vou perguntar por que mereço ser punido. O que eu fiz para receber punição se eu não fiz nada de estranho. Não treinei porque estava com um desconforto”, disse o jogador ao Olé.

“Me surpreende um presidente falar que quer tomar conta de mim e não está cuidando. Doeu. Foi uma injustiça isso. Eu treinei, sempre treino e amo isso. Estou surpreso do presidente ter dito algo assim de mim. Sou adulto e gostaria que falasse isso na minha frente”, finalizou o atleta.

Eduardo Coudet, por sua vez, tentou acalmar os ânimos e afirmou que não escalou o jogador na partida diante do Tucumán por questões técnicas, mas não quis comentar se Centurión realmente treinou embriagado.