Ídolo, Bruno Mineiro desabafa sobre situação da Lusa: "É triste demais"

Tomás Rosolino - São Paulo,SP

05-09-2016 08:13:50


O atacante Bruno Mineiro foi o terceiro maior artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2012 e cativou os torcedores da Portuguesa, mantida à época por mais uma temporada na elite do futebol nacional. Apenas quatro anos depois, porém, o atleta amarga junto com o clube do Canindé um presente de derrotas em sequência e quase rebaixamento para a Série D, bem longe da lembrança de sucesso na primeira passagem.

"Eu nunca tinha vivido isso, só tinha vivido alegrias aqui na Lusa em 2012. É triste demais isso, fico triste mesmo. Lamento muito", afirmou mostrando muito abatimento o jogador, em entrevista concedida à Gazeta Esportiva logo após a derrota por 2 a 0 para o Boa Esporte, no último domingo, no próprio Canindé. Sem querer apontar culpados, o jogador deixou claro que a trajetória recente do clube já apontava para a possibilidade de uma tragédia.

"Cheguei no final da (Série) A2 aqui e ali já tinha acontecido essa mesma coisa, já tínhamos quase caído. Ali já tinha que ter visto o problema, mas não enxergaram, não resolveram. Está vindo, se arrastando, se arrastando... E futebol, gente, se você não tiver o básico, complica. Com o básico já é difícil, imagina sem. Futebol não se faz assim", reclamou.

Para o jogador, a rotação incrível de jogadores e técnicos em 2016 é a principal causa da campanha errante na terceira divisão nacional. Com apenas 11 pontos conquistados em 16 jogos disputados, o time rubro-verde está quatro pontos atrás do Macaé, primeiro clube fora da zona de rebaixamento, restando apenas duas rodadas para o encerramento do torneio.

"Todos que estão de fora estão vendo o que acontece com o clube hoje. É muita troca. Desde quando eu estou aqui já passaram 72 jogadores e 5 técnicos, então não tem como ir bem. Se você não parar um pouco e ver o que está acontecendo, desde lá de cima, nenhuma equipe consegue ir para frente. Todos têm culpa, não só os jogadores. É cada um pegar a sua parte, assumir e tentar pelo menos manter a Lusa na Série C", analisou.

No duelo contra os mineiros, ele fez dupla com o centroavante Nunes, outro jogador experiente, mas não tem explicação para uma dupla com passagens marcantes no futebol nacional não conseguir engrenar na Série C. "Ninguém aqui está bem, o time não se encaixa porque cada dia chega um, você pega um padrão de jogo eles vão lá e trocam. Não é assim que a Lusa vai ser grande como era em 2012", apontou.

Para Bruno, no entanto, os torcedores têm de continuar acreditando na possibilidade de permanência na divisão. Além de apostar nos "deuses do futebol", o atleta lusitano avaliou que Juventude e Botafogo-SP, rivais do Macaé, são compromissos complicados para o time fluminense. Ambos brigam por uma vaga na próxima fase, enquanto a Lusa tem pela frente o já rebaixado Guaratinguetá e o Tombense, fora de casa, talvez já sem chances de se classificar.

"Futebol, cara, já vivi cada coisa no futebol que não dá para duvidar. Tive um acesso aos 46 do segundo tempo, com um gol marcado pela gente. Não tem que desistir, a equipe do Macaé tem dois jogos difíceis. Querendo ou não eles pegam os times que brigam lá em cima. Mas tem que primeiramente pensar em nós, fazer a nossa parte", encerrou o jogador.

Deixe seu comentário