Você sabia? Baile no Palmeiras recebeu James Brown e combateu preconceito

Bruno Ceccon - São Paulo,SP

14-05-2020 07:00:19

James Brown protagonizou um show histórico no Palmeiras em novembro de 1978 (Imagem: Reprodução)

Na última quarta-feira, aniversário da abolição da escravatura, o Palmeiras se manifestou contra o racismo em suas redes sociais. Há mais de 30 anos, o clube alviverde sediou os célebres bailes da "Chic Show", evento que recebeu o astro James Brown e, com shows assistidos por milhares de pessoas, contribuiu para combater o preconceito.

Criada pelo promotor musical Luiz Alberto dos Santos, mais conhecido como Luizão, a Chic Show teve sua estreia no Palmeiras divulgada intensamente em lambe-lambes pela cidade de São Paulo em 1974. Após começar com Jorge Ben, o evento recebeu nomes como Tim Maia, Sandra de Sá, Gilberto Gil, Djavan e Bebeto e Carlos Dafé. Do exterior, vieram Kurtis Blow, Betty Wright e Roger Troutman com a Banda Zapp.

“No primeiro show, trouxemos o ídolo da raça negra na época. O Jorge Ben era praticamente o Roberto Carlos preto. Eu tinha 17 anos, mas apresentava todos os eventos. Ver aquele mar de pessoas de cima do palco foi de arrepiar. Havia cerca de 14 mil espectadores e ninguém pensava em bailes desse porte”, disse Luizão à Gazeta Esportiva, em 2014.

Os eventos promovidos no salão de festas proporcionavam renda extra para o Palmeiras. Para contratar Djalma Santos e Leivinha, dois de seus maiores ídolos, por exemplo, o clube usou o dinheiro arrecadado nos famosos bailes de Carnaval. No acordo com a Chic Show, além de faturar com o aluguel do espaço, a instituição lucrava por meio da venda de bebidas.

No auge da parceria, o astro James Brown, acompanhado por sua conceituada banda, realizou um show no Palmeiras em novembro de 1978. “O maior balanço do mundo”, anunciava o material promocional sobre a “única apresentação para os black’s paulista”. Assim, o clube alviverde recebeu um dos músicos mais influentes do século.

“Assim como o palco do Palmeiras, o James Brown era um sonho da Chic Show. A gente tinha essa facilidade, porque o nosso sonho era o sonho do povo. Em um espaço para 12 mil, entraram 23 mil. Não dava nem para levantar o braço. Tivemos problemas de portaria e precisamos colocar o pessoal todo para dentro. Foi a única maneira de controlar a galera, mas ele fez um show sensacional”, lembrou Luizão.

De acordo com o promotor, jogadores dos principais clubes do futebol paulista costumavam frequentar os espetáculos da Chic Show no Palmeiras. Santista, ele conta que a maioria dos espectadores dos eventos realizados no clube alviverde torcia pelo Corinthians, o que, segundo ele, não causava qualquer tipo de problema.

Os bailes perduraram até o final dos anos 1980, mas passaram a perder força. O aumento da fiscalização e as exigências das autoridades diminuíram significativamente a capacidade do salão de festas, o que tornou o modelo de negócio desinteressante para a promotora. Na música "Sr. Tempo Bom", um clássico, o rapper Thaíde cita os grandes bailes no Palmeiras com a Chic Show.

O promotor musical Luiz Alberto dos Santos foi o criador da célebre Chic Show (Foto: Acervo/Gazeta Press)

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Palmeiras?