Sala de troféus do Palmeiras no Allianz conta com taças da Gazeta Esportiva

Redação - São Paulo,SP

30-08-2021 18:17:13

Por Pedro Nascimento

Aproveitando a comemoração de seus 107 anos, o Palmeiras inaugurou sua nova sala de troféus na última quinta-feira. Em uma área de 2.200 metros quadrados, o espaço localizado no Allianz Parque reúne mais de 4.500 taças e estará aberto à torcida a partir do final de setembro.

Durante 12 anos, os troféus do Verdão estiveram sob o cuidado de uma empresa especializada em estocagem. Depois de um meticuloso processo de catalogação, o clube acompanhou de perto o transporte de seu patrimônio material e o posterior armazenamento das peças durante esse período.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Diversos troféus precisaram ser restaurados antes de serem exibidos na sala. Taças mais detalhadas receberam atenção especial, sendo necessário aplicar um banho de prata em algumas das peças do acervo do clube, já que o processo de oxidação prejudicou a aparência dos materiais ao longo dos anos.

Dentre as troféus expostos pelo Palmeiras, é possível encontrar dois entregues pela Gazeta Esportiva. O primeiro deles é a "Taça dos Invictos", organizada pelo jornal, que celebrava grandes sequências de invencibilidade dos times paulistas. O Verdão foi premiado em 1973, após registrar uma sequência de 16 partidas válidas pelo estadual sem ser derrotado entre março de 1972 e agosto do ano seguinte.

O segundo é o "Troféu A Gazeta Esportiva", entregue ao Palmeiras em 1979. Na ocasião, o Alviverde teve a melhor campanha do Campeonato Paulista, mesmo tendo sido eliminado pelo Corinthians, com semifinal disputada no início do ano seguinte. O Verdão terminou a primeira e a segunda fase da competição com a maior pontuação, sendo celebrado pelo jornal com a taça.


Fernando Galuppo, historiador do Palmeiras, acredita que a sala inaugurada pelo clube preenche uma lacuna e materializa o patrimônio simbólico conquistado pelo Alviverde aos longos dos anos, estreitando laços com os torcedores.

"A preservação pode ser feita de diversas formas. Alguns podem fazer em seus próprios baús, na memória oral, nas memórias afetivas e sentimentais. O fato de nós termos nossa história preservada, mas não difundida, era uma lacuna muito sentida por toda a coletividade palmeirense", disse Galuppo.

"Nossa grande missão é transformar o conhecimento, que estava encaixotado, em informação que chega na ponta, que são os torcedores, os jornalistas, os jogadores, os funcionários... Cada taça aqui tem um suor e uma lágrima de um atleta, tem uma experiência de um torcedor com um familiar ou amigo. Além de contar feitos esportivos históricos, nós estamos contando sentimentos", completou.

Com cânticos da torcida ecoando ao fundo, o visitante encontrará um espaço dividido em núcleos. Cada nicho reúne taças de uma competição distinta, como as dez taças do Campeonato Brasileiro alinhadas em um mesmo local, por exemplo.

É possível conferir de perto o troféu do Campeonato Paulista de 1942, o primeiro do clube após a mudança de nome para Palmeiras, em conquista que ficou conhecida por "Arrancada Heroica". Também está exposta a taça da Copa Rio de 1951, garantida após uma vitória e um empate com a Juventus, da Itália, no Maracanã.

A sala também conta com um grande espaço para as conquistas do Verdão em outros esportes, valorizando a rica história do clube em esportes olímpicos. Da mesma forma, há um nicho para as glórias do Alviverde no futebol de base, assim como no futebol feminino.

Detalhes como o horário de funcionamento e o valor do ingresso serão divulgados pelo Palmeiras posteriormente. Ao contrário do tour no Allianz Parque, que é gerido pela WTorre, a sala de troféus será operacionalizada pelo Verdão.

Deixe seu comentário