Lucas acusa Flu de tentar induzir árbitro de quarta, mas se diz tranquilo

William Correia - São Paulo,SP

27-10-2015 09:00:35

Na semana passada, após vencer o Palmeiras na ida das semifinais da Copa do Brasil por 2 a 1 no Maracanã, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, exaltou-se na reclamação pelo pênalti sofrido e convertido por Zé Roberto. Às vésperas do jogo de volta, no Palestra Itália, Lucas vê no dirigente a intenção de induzir o árbitro a imaginar que o time carioca foi prejudicado.

“Existe essa pressão do lado de fora para que favoreçam no outro jogo. Isso existe, quem está dentro do futebol sabe como é. E ele quis pressionar o árbitro a ir para o próximo jogo tendo em mente que o Fluminense foi prejudicado”, disse o lateral direito do Verdão, mostrando-se tranquilo ao saber que quem apitará nesta quarta-feira será o gaúcho Anderson Daronco, do quadro da Fifa.

“O Daronco é experiente e muito bom árbitro. E forte, um armário”, brincou Lucas, garantindo que seus colegas também não se incomodam com as estratégias de pressão do Fluminense. “Nós, jogadores, vamos para a partida bem tranquilos.”

Em defesa de Leandro Pedro Vuaden, também gaúcho e do quadro da Fifa, que apitou o jogo no Maracanã, Lucas ressalta que Zé Roberto sofreu, sim, pênalti ao se chocar com Gum na grande área. E lembra que foi marcado um impedimento duvidoso de Amaral no que seria o gol de empate do Verdão.

“Por que ele (presidente do Fluminense) não falou do gol do Amaral? É incrível como escuto bobagem. E outra: foi pênalti. O Zé foi deslocado dentro da área. Se fosse fora da área, ele daria falta, então tem de dar quando está dentro também”, opinou Lucas.

“O Fluminense não foi prejudicado. Além de ter sido pênalti, o Amaral não estava impedido quando fez o gol. Seria 2 a 2. Não cabe essa reclamação”, prosseguiu o lateral direito, um dos líderes do elenco do Palmeiras.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Palmeiras?