Estratégia sem cabeça de área funciona e defesa do Palmeiras mantém bons números

São Paulo, SP

14-04-2020 06:00:11

Buscando mostrar que ainda tem conteúdo tático para montar uma equipe ofensiva, Vanderlei Luxemburgo chegou ao Palmeiras e decidiu que não utilizaria a figura clássica de um primeiro volante de marcação. Assim, o Verdão em 2020 passou a atuar com dois jogadores de características mais ofensivas na base do meio-campo.

Para compor o setor, Luxemburgo optou por um revezamento nas duas posições. Ramires, Bruno Henrique, Gabriel Menino e Zé Rafael receberam oportunidades na equipe titular, cada um agregando pontos positivos à função dentro de campo. Além disso, Patrick de Paula também teve seus primeiros minutos nos profissionais em 2020.

Ramires e Bruno Henrique formaram uma das duplas testada por Luxemburgo (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Apesar do treinador do Palmeiras abrir mão de um tradicional cabeça de área, a equipe manteve bons números defensivos até a paralisação por conta do coronavírus. Ao compararmos com anos anteriores, quando o Verdão atuava com um primeiro volante, a retaguarda de 2020 se destaca.

Até o momento, o Alviverde disputou 12 partidas na temporada e sofreu cinco gols. O número é o mesmo observado nos 12 jogos inicias do ano passado e inferior ao registrado na mesma amostragem de confrontos entre as temporadas de 2015 e 2018, quando o time possuía importantes figuras à frente dos zagueiros.

Em 2015, Gabriel foi contratado para ser o cão de guarda no meio-campo do Palmeiras. Apesar de ter sofrido com lesões, o volante teve bom desempenho na maior parte da temporada. Já no ano seguinte, Cuca adotou uma estratégia de alternar o sistema tático de acordo com o adversário, porém Thiago Santos era o principal responsável por carregar o piano em partidas mais duras.


De 2017 até 2019, Felipe Melo foi absoluto na vaga de primeiro volante. Com exceção a um curto período de desavenças com Cuca, o camisa 30 foi um dos pilares do Verdão nas últimas três temporadas. Já neste ano, Luxemburgo recuou o veterano jogador para o miolo de zaga, buscando qualificar a saída de bola da equipe, fator esse que foi correspondido dentro de campo.

Confira o número de gols sofridos pelo Palmeiras nas 12 rodadas iniciais das últimas temporadas:

2020 - cinco gols sofridos

2019 - cinco gols sofridos

2018 - oito gols sofridos

2017 - seis gols sofridos

2016 - 12 gols sofridos

2015 - seis gols sofridos

 

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Palmeiras?