Futebol

Chileno deseja reaver 10 de Valdivia e faz fortalecimento contra lesões

Bruno Ceccon - São Paulo , SP
18/09/2015 09:00:55

Em: Futebol, Palmeiras
Chileno Aracibia deseja recuperar camisa 10 usada por Valdivia. (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
Francisco Arancibia treinou normalmente no dia seguinte ao terremoto no Chile. (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Afastado nos últimos dias de seu contrato, Jorge Valdivia ficou magoado ao ver a camisa 10 nas mãos de Lucas Barrios, principal contratação do Palmeiras na temporada. Considerado uma promessa, o chileno Francisco Arancibia, ainda na equipe sub-20, deseja reaver o número usado por seu compatriota e, para evitar lesões no meio do caminho, passou por fortalecimento físico.

O meia-atacante é o mais novo representante de um clã de jogadores de futebol. Leopoldo, o pai, atuou profissionalmente, assim como os tios Eduardo, Franz e Roque. Criado em uma família de boleiros, Francisco Andrés Arancibia Silva sempre sonhou manter a sina dos antecessores e vê o sobrenome conhecido no Chile como trunfo.

“Respiro futebol desde pequeno e é um privilégio poder fazer o que me apaixona. Meu pai nunca impôs nada, mas deu apoio para que eu iniciasse a carreira no esporte. Jogo na mesma posição dele e temos algumas características parecidas, como a rapidez e a facilidade para driblar. O sobrenome nunca atrapalhou. Tenho orgulho do que meu pai e os tios fizeram”, contou.

Francisco Arancibia, com passagem pelas seleções de base do Chile, iniciou a carreira no O’Higgins e foi promovido ao time principal com apenas 16 anos pelo técnico argentino Eduardo Berizzo. Antes de chegar ao Palmeiras com status de promessa no último mês de abril, o garoto treinou durante um mês no Internacional e quase acabou negociado com o Corinthians.

O meia-atacante canhoto foi emprestado ao Palmeiras até junho de 2016, com opção de compra ao fim do contrato. Atrapalhado por duas lesões musculares, ele disputou apenas quatro partidas do Campeonato Paulista sub-20 – na última quarta-feira, entrou no intervalo da vitória por 1 a 0 contra o Nacional, no Nicolau Alayon. Para evitar a repetição do problema, o atleta passou por fortalecimento físico.

“Fizemos um programa específico para ajustar a questão muscular e diminuir as chances de lesão. A própria característica do Arancibia propicia esse tipo de problema, porque é um atleta de arrancada e muita intensidade. É necessário ter um trabalho bem elaborado para evitar lesões frequentes”, disse o técnico Marcos Valadares, responsável pelo sub-20 do Palmeiras até a semana passada.

O treinador vê potencial no jovem chileno, a ponto de indicá-lo a Marcelo Oliveira para completar a delegação na partida contra o Internacional, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ao saber que estava relacionado, Arancibia ligou para a família chorando e, em Porto Alegre, não perdeu a chance de tietar o argentino Andrés D’Alessandro, experiências que serviram como motivação após as lesões.

Amigo de um dos tios de Arancibia, ex-camisa 10 Valdivia torce por sucesso do jovem. (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)
Ex-camisa 10 Jorge Valdivia torce por sucesso de Francisco Arancibia no Palmeiras. (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

“Tive alguma dificuldade no começo e estava muito triste pelos problemas musculares. Depois do trabalho específico, já me sinto bem melhor”, disse o jovem, sorridente ao lembrar o primeiro chamado para integrar a delegação profissional. “Foi impressionante. Quando me disseram, pensei que fosse piada. Sou eternamente grato”, completou.

O garoto tem predileção pela camisa número 10 e, além de D’Alessandro, também é fã de Jorge Valdivia. Arancibia conviveu com o compatriota ao integrar o time de sparrings da seleção principal do Chile antes dos amistosos contra Irã e Brasil, disputados no último mês de março. Em São Paulo, foi convidado para um almoço na casa do meia, amigo de Roque, um de seus tios boleiros.

“O Valdivia contou bastante sobre o Palmeiras. Disse que é um time grandíssimo, que tem muito respeito e ama esse clube. Falou que a torcida é genial e recomendou que eu me dedique ao máximo. É boa gente e um dos maiores jogadores do Chile na atualidade”, afirmou o garoto, rejeitando qualquer tipo de comparação. “Valdivia é Valdivia. Arancibia é Arancibia”, pontuou.

Em suas atribuladas duas passagens pelo Palmeiras, Jorge Valdivia, contratado pelo Al Wahda, dos Emirados Árabes, conquistou o Campeonato Paulista 2008, a Copa do Brasil 2012 e a Série B do Campeonato Brasileiro 2013. Apesar da série de ausências por diversas razões, é o estrangeiro que mais venceu pelo clube (122) e o segundo em número de jogos (241), atrás do paraguaio Arce (243).

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

TÉCNICO VÊ POTENCIAL

Substituído nesta semana por João Burse, campeão da Copa do Brasil sub-17 pelo Vitória, Marcos Valadares era o responsável pelo time sub-20 do Palmeiras. Antes de deixar o clube para treinar o Cruzeiro, ele manifestou confiança em Arancibia.

“Caso tenha uma boa sequência no sub-20, o que provavelmente vai acontecer, pode ganhar novas oportunidades no profissional. Ainda é um garoto e precisa se adaptar com a mudança de país”, disse Valadares, responsável por indicar o chileno a Marcelo Oliveira

Segundo o técnico, Arancibia tem um estilo de jogo moderno. “Ele é um meia-atacante que joga mais pelo lado, não tanto por dentro. Puxa as jogadas com velocidade e é bom no confronto um contra um. Consegue levar até o fundo e cruzar”, explicou.

“Obviamente, admiro os três títulos e tudo que o Valdivia conquistou pelo Palmeiras. Tomara que um dia possa superá-lo e ganhar ainda mais campeonatos”, afirmou Francisco Arancibia, sem pudor de sonhar alto. “Um dia, vou chegar a jogar com a 10 do Palmeiras”, declarou o atleta em alusão a seu número preferido, atualmente em poder de Cleiton Xavier.

O aproveitamento de alguns jogadores oriundos das categorias de base na equipe profissional por parte do técnico Marcelo Oliveira é um alento para o garoto. Além de Gabriel Jesus, titular absoluto, o treinador já usou Lucas Taylor, companheiro de Arancibia no time sub-20. Os promissores João Pedro e Nathan também integram o elenco principal.

“O Gabriel é boa pessoa, excelente jogador e significa uma grande motivação para nós, porque se ele está lá, quer dizer que também podemos. Pela idade que tem e o futebol que pratica, é admirável”, disse o chileno, com planos de seguir o mesmo caminho. “Considero a transferência para o futebol brasileiro um grande passo na minha carreira e estou muito feliz no Palmeiras”, afirmou.

Depois de viver no alojamento junto com outros atletas, Arancibia passou a morar em um apartamento. Adaptado a São Paulo, o garoto já foi visitado pela namorada, grávida de uma menina. O jovem gostou de ver partidas do Palmeiras no reformado Estádio Palestra Itália, mas espera em breve passar das cadeiras para o gramado, de preferência com a camisa 10.




  • Gigante Palmeiras

    Boa sorte ao Arancibia, pq futebol ele tem!

  • Ginez Romero

    bom de bola !

  • Giverdao

    Precisa de oportunidade

  • ROBERTO FELICIO BINI

    ESSE É CRAQUE. VAI USAR A 10 COM CERTESA.
    AVANTI, MOLEQUE!

×
Quer receber notícias do Palmeiras?