Gazeta Esportiva

Quagliarella revela acusações de pedofilia e envolvimento com a máfia

São Paulo, SP

15/01/16 | 10:26

(Foto: Marco Bertorello/AFP)
Cartas anônimas acusando o atacante eram encaminhadas ao presidente do Napoli (Foto: Marco Bertorello/AFP)

Desde que deixou o Napoli, em 2010, a relação do atacante Fábio Quagliarella com a torcida de seu ex-clube não tem sido nada amistosa. Nas visitas que fez ao Sao Paolo atuando já por outras equipes, como Torino e Juventus, o clima hostil para o atleta era visível. Mais de cinco anos depois de sua polêmica saída, o italiano revelou histórias fortes que cercaram a situação na época.

Em depoimento no tribunal dado pelo jogador, por ser uma das vítimas de perseguição de Raffaele Piccolo, policial acusada de perseguição a diversos famosos, Quagliarella explicou que os motivos que levaram a sua saída de Nápoles foram sérios: foi acusado de estar envolvido com a Camorra (máfia italiana) e de ter praticado atos de pedofilia.

"Estou convencido de que minha transferência do Napoli para a Juventus na época ocorreu devido às acusações absurdas de eu ser um pedófilo e ter envolvimento com a Camorra, contido em uma série de cartas anônimas que chegaram de alguma forma para o presidente Aurelio De Laurentiis", disse o atleta.

No testemunho, Quagliarella admitiu acreditar que o presidente se deixou influenciar pelas acusações da carta para fazê-lo trocar de time: "Antes, ele me ligava todos os dias. Após as calúnias, o presidente me disse para ir e viver em um hotel, para me afastar e acalmar as coisas. Depois disso, ele nunca mais me ligou”

Deixe seu comentário