Futebol Internacional/Mercado

Imprensa caribenha especula ida de Freddy Rincón à seleção de Honduras

GazetaEsportiva.net - Tegucigalpa, - Honduras
06/01/2015 14:08:00

Em: Copa do Mundo, Futebol, Futebol Internacional, Honduras

Com a chegada do colombiano Jorge Luis Pinto ao comando da seleção de Honduras, especula-se na imprensa caribenha que, como uma das primeiras medidas do treinador, o compatriota e ex-jogador Freddy Rincón deva ser anunciado como membro da comissão técnica hondurenha. O ex-atleta já teve experiências como técnico, inclusive, defendendo equipes do interior paulista como o São Bento-SP, São José-SP e Flamengo-SP.

Após se destacar na Copa do Mundo do Brasil, sendo o pilar da campanha histórica que levou a Costa Rica às quartas de final da competição de forma inédita, Jorge Luis Pinto assume a seleção de Honduras oficialmente nesta quarta e, a partir de fevereiro, já planeja conquistar uma vaga na Copa Oro, em repescagem contra a Guiana Francesa. O treinador já morou no Brasil e se confessou torcedor do Corinthians.

Segundo o portal Futbol Red, Jorge Luis deve apostar na experiência internacional de Rincón para auxiliá-lo neste novo desafio. O ex-volante participou de três Copas do Mundo – na Itália, em 1990, nos Estados Unidos, em 1994, e na França em 1998 –, além de ter sido campeão do mundo com o Corinthians em 2000, na inauguração do torneio Mundial Interclubes da Fifa, e ter defendido grandes clubes da Europa, como Real Madrid e Napoli.

Com as chuteiras penduradas há cerca de dez anos, Rincón permaneceu na mídia neste ínterim de tempo figurando nas páginas investigativas e policiais, por conta de um suposto envolvimento com os cartéis do tráfico colombiano e o próprio vício em drogas. Frente ao convite do compatriota, Rincón pode, quem sabe, retomar a carreira profissional, interrompida em 2011 após passagem efêmera pelo Flamengo de Guarulhos.

Ex-jogador Freddy Rincón pode acompanhar Jorge Luis Pinto à frente da seleção de Honduras
Ex-jogador Freddy Rincón pode acompanhar Jorge Luis Pinto à frente da seleção de Honduras – Credito: Djalma Vassão/Gazeta Press