COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

Com a chegada do colombiano Jorge Luis Pinto ao comando da seleção de Honduras, especula-se na imprensa caribenha que, como uma das primeiras medidas do treinador, o compatriota e ex-jogador Freddy Rincón deva ser anunciado como membro da comissão técnica hondurenha. O ex-atleta já teve experiências como técnico, inclusive, defendendo equipes do interior paulista como o São Bento-SP, São José-SP e Flamengo-SP.

Após se destacar na Copa do Mundo do Brasil, sendo o pilar da campanha histórica que levou a Costa Rica às quartas de final da competição de forma inédita, Jorge Luis Pinto assume a seleção de Honduras oficialmente nesta quarta e, a partir de fevereiro, já planeja conquistar uma vaga na Copa Oro, em repescagem contra a Guiana Francesa. O treinador já morou no Brasil e se confessou torcedor do Corinthians.

Segundo o portal Futbol Red, Jorge Luis deve apostar na experiência internacional de Rincón para auxiliá-lo neste novo desafio. O ex-volante participou de três Copas do Mundo – na Itália, em 1990, nos Estados Unidos, em 1994, e na França em 1998 –, além de ter sido campeão do mundo com o Corinthians em 2000, na inauguração do torneio Mundial Interclubes da Fifa, e ter defendido grandes clubes da Europa, como Real Madrid e Napoli.

Com as chuteiras penduradas há cerca de dez anos, Rincón permaneceu na mídia neste ínterim de tempo figurando nas páginas investigativas e policiais, por conta de um suposto envolvimento com os cartéis do tráfico colombiano e o próprio vício em drogas. Frente ao convite do compatriota, Rincón pode, quem sabe, retomar a carreira profissional, interrompida em 2011 após passagem efêmera pelo Flamengo de Guarulhos.

Ex-jogador Freddy Rincón pode acompanhar Jorge Luis Pinto à frente da seleção de Honduras
Ex-jogador Freddy Rincón pode acompanhar Jorge Luis Pinto à frente da seleção de Honduras – Credito: Djalma Vassão/Gazeta Press


Aos 38 anos, o zagueiro Mario Yepes reconheceu que não tem mais condições de atuar pela Colômbia, seleção cujas cores defendeu desde 1999. Integrante na campanha histórica no Mundial do Brasil, quando os colombianos chegaram às quartas de final de forma inédita, Yepes admitiu que é hora de abrir espaço para os jovens e fez questão de projetar conquistas maiores para o País na próxima Copa do Mundo, com sede na Rússia, em 2018.

Um dos atletas mais experientes do elenco coordenado por José Pékerman no Brasil, ao lado do goleiro Mondragón, Yepes revelou que o planejamento da Colômbia para o Mundial da Rússia já começou há, ao menos, seis meses. “Quando terminou a Copa fui o primeiro a dizer que a Colômbia deveria se preparar para o Mundial da Rússia. Sendo objetivo, sou consciente de que não estarei neste Mundial. Por isso, me parece bom que deem oportunidades aos novos jogadores que vão chegar”, declarou o colombiano em entrevista ao jornal El Tiempo.

Atravessando um momento de despedida com a seleção colombiana, Yepes vibrou com a disputa do Mundial de Clubes, um dos únicos torneios que ainda não havia participado na carreira profissional. “[O Mundial de Clubes] era um dos pontos que me dez chegar ao San Lorenzo. Isso me permitiu fazer parte do único campeonato que não tinha disputado na minha carreira. Posso dizer que joguei tudo que poderia ter jogado”, falou o zagueiro, que ficou com o vice-campeonato mundial ao perder para o Real Madrid-ESP, na final do Mundial Interclubes disputado no Marrocos.

Deixando em aberto a participação na Copa América 2015, que será disputada no Chile, Yepes não se incomoda em ser preterido por jogadores mais jovens. “Queria estar na seleção por todos os anos, nunca direi um não, mas aceito que deem oportunidades aos jogadores que possam aproveitar coisas novas”, falou. “É claro que a gente sempre quer mais, sei que os garotos têm esse pensamento. Temos que ser conscientes de que o desafio maior é levar a Colômbia a semifinal do Mundial da Rússia, é nisso que estamos pensando”, prosseguiu o defensor veterano.

Com passagens pelo futebol europeu, defendendo times da França e da Itália, como os grandes PSG e Milan, Yepes se mostrou orgulhoso com a manutenção dos colombianos em grandes clubes da Europa, como os casos de Falcao no Manchester United, Cuadrado na Fiorentina e James Rodríguez no Real Madrid. “O crescimento está se mantendo, todos os jogadores asseguraram posições de destaque nos clubes europeus, isso me deixa orgulhoso. Todos estão conscientes do grande compromisso que há com a seleção”, reconheceu.

Com seleção fora dos planos, Yepes credita esperança aos jovens e projeta Colômbia na semi do Mundial da Rússia
Com seleção fora dos planos, Yepes credita esperança aos jovens e projeta Colômbia na semi do Mundial da Rússia – Credito: Divulgação