Holanda quer ressurgir na Euro após seu longo "exílio" desde a Copa de 2014

AFP - São Paulo,SP

11-06-2021 07:30:44

A Holanda luta para reconquistar o prestígio perdido: sete anos depois de terminar em terceiro lugar na Copa do Mundo de 2014 no Brasil, a Laranja Mecânica se reencontra com um grande torneio internacional de seleções nesta Eurocopa, após ficar de fora da edição continental anterior em 2016 e também da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Ela volta como principal favorito do Grupo C da primeira fase, onde terá como adversários Ucrânia, Macedônia do Norte e Áustria. A Holanda também terá a vantagem de disputar as três primeiras partidas do torneio em casa, na Johan Cruyff Arena, em Amsterdã.

A Holanda é a principal favorita do Grupo C (Foto: Reprodução/AFP)

Seria, portanto, uma catástrofe não ver os jogadores comandados por Frank De Boer nas oitavas de final. Apesar de seu status de favorita, a Holanda não pode relaxar de forma alguma. A Ucrânia é às vezes um adversário difícil, como no empate em 1 a 1 com a França em março, mas também é capaz de tropeçar em equipes teoricamente mais fracas.

A Macedônia do Norte, embora tenha vencido a Alemanha por 2 a 1 nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 em março, não parece ser um adversário complicado e não tem experiência em grandes competições. A Áustria, por sua vez, tem muitos jogadores revelados no futebol alemão e não vence uma partida em um torneio importante há trinta anos.

Defesa pode ser ponto frágil

A Holanda sabe que seu maior adversário pode ser ela mesma. A ferida das ausências na Euro-2016 e na Copa do Mundo de 2018 é recente, mas a seleção deu sinais de renascer. Em 2019 foi finalista da Liga das Nações da Uefa, perdendo para Portugal.

Na nova geração, surgem os efeitos do Ajax, semifinalista há dois anos na Liga dos Campeões, onde se foram revelados vários jogadores importantes do grupo que virou a página do passado dos astros Arjen Robben e Robin Van Persie.

Frenkie De Jong, Memphis Depay, Wout Weghorst... São vários candidatos a brilhar nesta Eurocopa. Depay vê neste torneio uma grande oportunidade para se destacar no cenário internacional, enquanto Weghorst vem de uma temporada em que marcou 25 gols, levando em conta todas as competições, pelo Wolfsburg.

Frenkie De Jong é um dos destaques da seleção holandesa (Foto: Reprodução/AFP)

A defesa laranja é comandada por Mathijs De Ligt (Juventus) e Stefan de Vrij (Inter de Milão). Em algumas ocasiões, ela foi apontada como o calcanhar de Aquiles da equipe, especialmente devido à ausência de Virgil Van Dijk. O capitão não foi chamado porque ainda se recuperava de uma grave lesão no joelho sofrida no Liverpool.

Outro motivo de preocupação é a falta de uma linha diretriz no jogo. Esse ponto gerou críticas significativas contra o técnico Frank De Boer, que tampouco tinha muito crédito.

Depois de bons resultados com o Ajax, o treinador emendou fracassos em sua carreira, na Inter de Milão, no Crystal Palace e até no Atlanta United da norte-americana MLS. Na Eurocopa, De Boer também terá a missão de silenciar as críticas e se estabelecer como o treinador capaz de devolver a Holanda à sua glória do passado.

Deixe seu comentário