Futebol internacional

Kannemann revela sofrimento: “Parece que estou sonhando”

São Paulo , SP
30/11/2017 01:07:17 — 30/11/2017 01:15:39

Em: Futebol, Futebol Internacional, Grêmio, Notícias

O Grêmio entrou em campo na final desfalcado. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, recebido na primeira partida da final, o zagueiro Walter Kannemann acompanhou o segundo jogo em um camarote no estádio La Fortaleza acompanhado de outros jogadores gremistas.

Com a conquista do tricampeonato, o argentino com jeito de durão revelou que não foi fácil assistir ao jogo. “Sofri muito. Quando saiu o gol, quase caímos no chão lá no camarote. Parece que estou sonhando”, contou o defensor, em discurso semelhante ao do meia Douglas. “Queria terminar o ano jogando. Mas vim para dar uma força e agora fazer a festa. Nunca sofri tanto. Se Deus quiser vou voltar mais forte”.

E o substituto de Kannemann foi Bressan, que chegou a sentir uma contusão nos minutos finais e teve de usar muita raça, característica de seu concorrentes, para ajudar o Grêmio a chegar ao título. “Só tenho que agradecer esse grupo, primeiro o Renato (Gaúcho), minha família. O que esse grupo fez comigo…”, comentou o jogador, emocionado, não tão eufórico quanto o lateral Edílson. “Tem que respeitar, 114 anos de Grêmio, terceira vez campeão, o time está de parabéns, a torcida também”, disse o experiente atleta.

Arthur, outro que também precisou deixar a final antes da hora por causa de uma lesão, parecia perdido em meio a comemoração. Desde os 14 anos no clube, o volante de 21 anos admitiu que não imaginava conquistar algo tão grande em tão pouco tempo. “Se eu já estou um pouco eufórico… Difícil falar, tão jovem, campeão da América, faltam palavras, o importante agora é comemorar”.