Grêmio se vinga de argentinos após frustrações nas finais de 84 e 07

Helder Júnior - São Paulo,SP

29-11-2017 23:42:55

A vitória sobre o Lanús na final da Copa Libertadores da América de 2017 acabou com um estigma do Grêmio na competição. Nas suas duas decisões anteriores contra adversários da Argentina, o clube gaúcho havia sido derrotado.

A primeira frustração ocorreu em 1984. Campeão da Libertadores do ano anterior, o Grêmio ingressou no torneio diretamente na fase semifinal, contra Flamengo e Universidad de Los Andes. Classificado para a decisão, teve o Independiente, maior campeão continental (que viria a somar a sua sétima conquista), como adversário.

O primeiro jogo foi disputado no Olímpico e, para a revista El Gráfico, deixou os gremistas “totalmente desmoralizados”. A publicação achava que “poderia e deveria” ter sido goleada, mas o Independiente ganhou por apenas 1 a 0. O gol foi anotado após um vacilo na saída de jogo do Grêmio. Burruchaga recebeu enfiada de bola de Bochini, do lado direito da área, e, perseguido por Hugo de León, concluiu na saída do goleiro João Marcos aos 24 minutos do primeiro tempo.

Em 27 de julho, três dias depois, bastou ao Independiente conter o ímpeto do então atacante Renato Gaúcho e os seus companheiros para, com um 0 a 0, comemorar mais um título de Libertadores em Avellaneda.

Em 2007, dez anos atrás, o Grêmio teve a primeira chance de se vingar dos argentinos. E fracassou. A equipe dirigida por Mano Menezes não foi páreo para o Boca Juniors na decisão, para a qual avançou após eliminar São Paulo, Defensor Sporting, do Uruguai, e Santos.


O Grêmio perdeu por 3 a 0 em La Bombonera, com gols de Palacio, Riquelme e Patrício (contra), e passou a depender de uma goleada para ser campeão no Olímpico. Em 20 de junho, contudo, caiu outra vez, desta vez por 2 a 0. Riquelme balançou as redes para o Boca.

Mesmo com esses dois tropeços, o Grêmio se igualou a Santos e São Paulo como os times brasileiros com maior número de conquistas da Libertadores, três. Antes de bater o Lanús, nesta quarta-feira, em La Fortaleza, os gaúchos festejaram títulos em 1983, sobre o uruguaio Peñarol, e 1995, diante do colombiano Atlético Nacional.

Deixe seu comentário