Futebol/Bastidores

Grêmio abre discussão a respeito da volta do mata-mata ao Brasileirão

Do correspondente Vicente Fonseca - Porto Alegre, RS -
05/01/2015 14:46:00

Em: Bastidores, Brasileiro Série A, Campeonatos, Futebol, Grêmio, Região Sul

Com menos de um mês no cargo de presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr. já inicia uma articulação que extrapola o âmbito do próprio clube. O dirigente conversou com vários dirigentes de clubes brasileiros desde que assumiu o cargo a fim de articular o fim do sistema de pontos corridos e a volta do mata-mata ao Campeonato Brasileiro. E a ideia, segundo ele, foi inicialmente bem recebida.

“Lancei a ideia e teve boa aceitação. Se seguir como está, o futebol brasileiro vai ter uma diferença tremenda. Os play-offs permitem equilíbrio e emoção”, disse Bolzan, em entrevista ao jornal Zero Hora. O dirigente se queixa de que nos últimos campeonatos, decididos com várias rodadas de antecipação, o interesse de disputa pelo título se perdeu rapidamente. O novo regulamento seria discutido posteriormente, com os mata-matas podendo ter quatro ou oito equipes.

Os pontos corridos são adotados como fórmula do Brasileirão desde 2003. Em 2015, o campeonato terá sua 13ª edição seguida com este formato. No final de 2014, o presidente da Federação Baiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, já tentou iniciar um movimento pela volta das decisões em jogos eliminatórios ao certame. Tal situação, porém, só poderá ocorrer a partir de 2016.

Além da volta do mata-mata, Bolzan também tenta articular um movimento pela volta das bebidas alcoólicas nos estádios, como forma de aumentar as rendas dos clubes. Segundo o dirigente, mesmo com a proibição da venda de bebidas dentro dos estádios, os torcedores seguem bebendo fora dele. Com a volta da comercialização interna, os clubes poderiam lucrar com acordos melhores com fornecedores de bebidas.

“Os play-offs permitem equilíbrio e emoção”, disse Romildo Bolzan sobre a volta do mata-mata ao Brasileirão
“Os play-offs permitem equilíbrio e emoção”, disse Romildo Bolzan sobre a volta do mata-mata ao Brasileirão – Credito: Lucas Uebel/Grêmio FBPA