Gazeta Esportiva

Mbappé e Giroud decidem, França bate a Polônia e avança às quartas da Copa

São Paulo, SP

04/12/22 | 13:57 - 04/12/22 | 16:12

Atual campeã mundial, a França segue firme na luta pelo bicampeonato. Neste domingo, a seleção francesa venceu a Polônia por 3 a 1, no Estádio Al Thumama, em Doha, no Catar, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Girou e Mbappé, duas vezes, anotaram os gols dos franceses. Do outro lado, Lewandowski descontou.

Com o resultado, portanto, os Bleus passaram para as quartas de final do torneio. Na próxima fase, a equipe do técnico Didier Deschamps encara o vencedor de Inglaterra x Senegal, que se enfrentam às 16 horas (de Brasília).

Assim, a França volta a campo no sábado, às 16 horas, no Estádio Al Bayt, em Al Khor. Já a Polônia volta para casa.


O jogo - Os franceses começaram a primeira etapa apertando. Com apenas três minutos, Varane subiu mais que todo muito após cobrança de escanteio e testou para fora. Aos 12, Tchouaméni arriscou de fora da área e obrigou Szczesny a fazer boa defesa. O goleiro voltou a trabalhar logo na sequência, desta vez em arremate de Dembélé.

A reposta polonesa saiu aos 20 minutos. Lewandowski recuperou a bola no meio de campo e soltou uma pancada da intermediária. A bola tirou tinta da trave e saiu pela linha de fundo.

Já aos 28, a França teve uma chance de ouro de abrir o placar. Debélé foi acionado na ponta direita, invadiu a área e cruzou rasteiro para o meio da área. A bola passou por Szczesny e ficou na medida para Giroud, que tentou o chute de carrinho. Sem goleiro, o atacante mandou para fora.

Quatro minutos depois, Mbappé pegou pela esquerda, driblou a marcação e emendou uma bomba para a defesa de Szczesny.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Do outro lado, a Polônia também chegou muito perto de balançar as redes. Aos 37, Zielinski recebeu cruzamento rasteiro na entrada da área e soltou uma pancada. Atento, Lloris fez grande intervenção. No rebote, o atleta do Napoli tentou mais uma vez, mas parou em Theo Hernández. Na sobra, foi a vez de Kaminski tentar. O meia chutou no cantinho, porém viu Varane tirar em cima da linha.

E o gol perdido acabou custando caro. Isso porque, aos 43 minutos, Giroud recebeu ótimo passe de Mbappé, dominou e bateu cruzado de canhota para colocar o Bleus na frente.

2º tempo

Na volta do intervalo, a França seguiu criando oportunidades. Com 11 minutos, Mbappé foi acionado pela esquerda, cortou para o meio e finalizou com perigo. No minuto seguinte, Giroud até marcou mais um (um golaço de voleio, inclusive), mas o gol foi anulado por falta em Szczesny.

Aos 20, o atacante tentou mis uma vez. O camisa 9 recebeu cruzamento rasteiro na área e, mesmo marcado, tentou o desviou, porém mandou para fora.

Já aos 28 minutos, Griezmann deu um chutão no campo de defesa, Giroud dominou com categoria e encontrou Mbappé na esquerda. O atacante, então, soltou uma bomba para marcar um golaço e encaminhar o triunfo.

E ainda deu tempo do garoto marcar mais um. Com 45 minutos, Mbappé recebeu na ponta da área, dominou cortando a marcação e emendou um lindo chute no ângulo, anotando um golaço no Estádio Al Thumama.

Já nos acréscimos, a Polônia ainda descontou, em cobrança de pênalti de Lewandowski. A reação, porém, parou por ai.

FICHA TÉCNICA
FRANÇA 3 X 1 POLÔNIA

Local: Estádio Al Thumama, em Doha, no Catar
Data: 04 de dezembro de 2022, domingo
Horário: 12 horas (de Brasília)
Árbitro: Jesus Valenzuela (Venezuela)
Assistentes: Jorge Urrego (Venezula) e Tulio Moreno (Venezuela)
VAR: Juan Soto (Venezuela)
Cartões amarelos: Tchouaméni (França); Bereszynski, Cash (Polônia)

GOLS: Giroud, aos 43 do 1ºT, e Mbappé, aos 28 do 2ºT e aos 45 do 2ºT (França); Lewandowski, aos 53 do 2ºT (Polônia)

FRANÇA: Lloris; Koundé, Varane, Upamecano e Theo Hernández; Tchouaméni (Fofana) e Rabiot; Dembélé (Coman), Griezmann e Mbappé; Giroud (Thuram)
Técnico: Didier Deschamps.

POLÔNIA: Szczesny; Bereszynski, Kiwior, Kamil Glik e Matty Cash; Szymanski (Milik), Krychowiak (Bielik), Frankowski e Zielinski; Lewandowski e Kaminski (Zalewski)
Técnico: Czesław Michniewicz.

Deixe seu comentário