Wagner rasga elogios a Cristóvão Borges: "Sabe ver nossa fragilidade"

GazetaEsportiva.net - Rio de Janeiro,RJ

10/03/15 | 19:11

O Fluminense voltou a ter tranquilidade para trabalhar após a vitória no clássico contra o Botafogo. Os tricolores voltaram ao G4 e agora treinam visando o confronto desta quinta-feira, contra o Bonsucesso, no Maracanã. O meia Wagner destacou o bom trabalho que o técnico Cristóvão Borges realiza no comando da equipe, principalmente na parte tática.

O Fluminense voltou a ter tranquilidade para trabalhar após a vitória no clássico contra o Botafogo. Os tricolores voltaram ao G4 e agora treinam visando o confronto desta quinta-feira, contra o Bonsucesso, no Maracanã. O meia Wagner destacou o bom trabalho que o técnico Cristóvão Borges realiza no comando da equipe, principalmente na parte tática.

“Vejo diferença no trabalho dele. Ele consegue ver onde a equipe é mais frágil. Cristóvão analisa durante a semana onde temos de jogar em cima dos adversários e sabe ver nossa fragilidade para corrigir “, disse.

Wagner descontraiu ao comentar o chute errado que resultou em passe para Kenedy, no primeiro gol do Fluminense no clássico. O tento representou o empate em um momento que os tricolores não estavam bem na partida.

Cristóvão foi exaltado pelo meia Wagner:
Cristóvão foi exaltado pelo meia Wagner: "Vejo diferença no trabalho dele. Consegue ver onde a equipe é mais frágil" - Credito: Bruno Haddad/Fluminense F. C.
“Falei com o Kenedy: ‘Fazia tempo que eu não dava um passe tão bonito’. Chutei todo errado e a bola sobrou para ele. Mas é bom ter sorte também”, declarou, aos risos.

Já quando o assunto foi a Unimed e o atraso no pagamento, Wagner revelou que não conversou com o presidente da ex-patrocinadora do clube nos últimos meses. O meia afirmou que Celso Barros prometeu pagar os salários, mas não vem cumprindo o acordo.

“Conversei só três vezes com pessoas da Unimed. Uma vez, quando estava o Renato Gaúcho, ele perguntou se eu queria sair para o São Paulo, mas disse que não queria. Depois, teve uma conversa com os jogadores da Unimed e ele falou que nós receberíamos. Infelizmente, faz quatro meses e não pagaram”, comentou.

Wagner tem contrato até o fim da temporada com o Fluminense, com o salário sendo dividido entre Unimed e clube. No entanto, o jogador já assinou um pré-contrato de quatro anos com o Tricolor, que vai começar em 2016.

Deixe seu comentário