Arboleda e Alan Franco são convocados pelo Equador para a Copa América - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Nesta quinta-feira, o técnico da Seleção Equatoriana, Gustavo Alfaro, anunciou os 28 jogadores convocados para a Copa América que será disputada no Brasil a partir do próximo domingo. Na lista estão Arboleda, do São Paulo, e Alan Franco, do Atlético-MG. O meia Juan Cazares, do Fluminense, ficou de fora.

Com isso, os jogadores vão desfalcar seus clubes no mínimo até o dia 27 de junho, caso os equatorianos sejam eliminados na fase de grupos do torneio. Se forem para a final, ficam de fora até 10 de julho.

O Equador figura no grupo B da Copa América, o mesmo do Brasil. A equipe estreia na competição no domingo, às 21h (de Brasília), contra a Colômbia. A partida será na Arena Pantanal, em Cuiabá.

 




A seleção colombiana anunciou neste domingo que dois integrantes da comissão técnica testaram positivo para a covid-19. Segundo comunicado, os contaminados foram o assistente Pablo Román e o fisioterapeuta Carlos Entrena.

Os profissionais estão assintomáticos e já se encontram em quarentena. Eles poderão retomar suas atividades após 10 dias de isolamento, desde que permaneçam sem sintomas.

Com a confirmação, a Colômbia se torna a terceira seleção a registrar casos da covid-19 no Brasil. Antes, a Venezuela já havia identificado 13 contaminados, enquanto a Bolívia teve quatro infectados.

A delegação colombiana está em Cuiabá, no Mato Grosso, para realizar sua estreia na Copa América. O time entra em campo neste domingo às 21 horas (de Brasília), na Arena Pantanal, para enfrentar o Equador.



Neste domingo, a Copa América 2021 será iniciada. Brasil e Venezuela enfrentarão às 18h (de Brasília), no estádio Mané Garrincha, pela abertura da competição. Porém, muitas polêmicas envolvem a realização do torneio em solo brasileiro, já que o país soma quase 500 mil mortes pela pandemia da covid-19.

A Conmebol, por meio de seu site oficial, divulgou uma carta aberta, explicando os motivos das escolhas do Brasil como país sede.

”A Conmebol está plenamente consciente da situação que o continente está atravessando no contexto da pandemia. Também reconhece a importância do futebol na cultura sul-americana e o papel que tem desempenhado na saúde física, mental e espiritual da população desde o início da pandemia. Portanto, com a ajuda de um painel de especialistas e em estreita coordenação com as autoridades sanitárias dos 10 países, projetou e implementou com sucesso rigorosas ações e medidas sanitárias em todos os seus torneios”.

Antes do Brasil, Colômbia e Argentina foram escolhidas como sedes, porém, acabaram rejeitando o torneio em seu território.

”A Conmebol fez um acordo com o governo brasileiro que o país sediará a Copa devido ao acima exposto e ao fato de que a última competição foi realizada em 2019, o que facilita muito a organização. Como a Argentina e a Colômbia foram desqualificadas como sedes, o protocolo da Direção de Competições de Seleções da Conmebol prescreve como primeira alternativa a sede do torneio anterior”, explica a nota.

”A Copa América 2021 não foi feita ‘às pressas’, o que seria impossível. O torneio levou mais de um ano de intensa organização, com a mobilização de recursos financeiros, humanos e técnicos significativos em todo o continente”.

A entidade declara ainda era de grande importância que a Copa América fosse realizada ao mesmo tempo em que a Eurocopa, para atingir um equilíbrio entre os continentes.

”A Conmebol modificou o calendário de competições para conseguir a coincidência entre a Copa América e a Eurocopa. O objetivo de alinhar os dois torneios é minimizar o desgaste físico e mental dos jogadores. Isto beneficia os próprios jogadores, os clubes e as seleções. E, fundamentalmente, os atletas sul-americanos e europeus chegarão à Copa do Mundo em condições de igualdade”.

 




Mais um participante da Copa América 2021 encontra problemas com um surto de covid-19. Através das redes sociais, a Federação Boliviana de Futebol confirmou que quatro pessoas da delegação que está no Brasil testaram positivo para o coronavírus. Os nomes não foram divulgados.

Através do exame PCR, testaram positivo três jogadores e um integrante da comissão técnica. Todos estão bem de saúde e foram isolados, segundo o comunicado da Federação Boliviana.

A Bolívia integra o grupo A da Copa América, ao lado de Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai. A estreia está prevista para segunda-feira diante dos paraguaios, no estádio Olímpico, de Goiânia.



A seleção da Venezuela convocou 15 jogadores de emergência para a Copa América neste sábado, após diagnosticar casos positivos de covid-19 na delegação que viajou para Brasil, sede do torneio.

A Conmebol registrou 13 casos na delegação do país, mas a Federação Venezuelana de Futebol (FVF) reconheceu 11 em nota, “oito deles jogadores de futebol e três membros da comissão técnica, que foram imediatamente isolados”. O documento divulgado pela FVF não revelou os nomes dos infectados.

A Venezuela enfrentará a Seleção Brasileira no domingo, na abertura do torneio continental. Quando o grupo original de convocados viajou na quinta-feira para Brasília, local da partida de estreia, o capitão do time, o meia Tomás Rincón, foi deixado em “isolamento” em Caracas devido a sintomas de uma “situação viral”.

Dois jogadores, os defensores Wilker Ángel e Rolf Feltscher, foram excluídos por covid-19 da lista do técnico da seleção, o português José Peseiro.

Na relação dos novos convocados, destacam-se três atacantes que atuam no exterior: Daniel Pérez (Bruges, Bélgica), Jan Hurtado (Red Bull Bragantino, Brasil) e Eric Ramírez (DAC, Eslovênia).

O restante dos relacionados pertencem a clubes locais. Eles viajaram para o Brasil na tarde deste sábado, foram testados e liberados. Em relação aos integrantes da delegação que testaram positivo, a Conmebol avisa que deverão seguir as regras locais, permanecendo em quarentena e sem contato com outras pessoas.

Foto: Reprodução

Os novos convocados são os seguintes:

Goleiros: Yhonatann Yustiz (Aragua), Giancarlo Schiavone (Metropolitanos) e Luis Romero (Portuguesa).

Defensores: Eduardo Ferreira, Diego Osío (Caracas FC), Francisco La Mantía (Deportivo La Guaira).

Meias: Leonardo Flores (Caracas FC), Christian Rivas (Estudiantes de Mérida), Christian Larotonda, Abraham Bahachille e Robinson Flores (Metropolitans) e Richard Figueroa (Zamora FC).

Atacantes: Daniel Perez (Bruges, Bélgica), Eric Ramírez (DAC, Eslovênia) e Jan Hurtado (Red Bull Bragantino, Brasil).



O Brasil inicia sua caminhada em busca do bi da Copa América neste domingo. A Seleção encara a Venezuela, às 18 horas (de Brasília), em Brasília, pelo grupo B.

A disputa da competição teve contornos de polêmica na última semana. Os jogadores optaram por atuarem na Copa América, mas sob protesto.

O técnico Tite terá a chance de observar alternativas na Seleção Brasileira. O objetivo é ter uma base forte pensando nas Eliminatórias e Copa do Mundo.

Para esta partida, os brasileiros terão mudanças em relação jogo contra o Paraguai, com as presenças de Alisson no gol, Renan Lodi na lateral esquerda e Lucas Paquetá no meio-campo. Reintegrado, o zagueiro Thiago Silva será preparado para voltar quando estiver melhor fisicamente.

Do outro lado, a Venezuela decepciona nas Eliminatórias. Na penúltima posição, a seleção vai ficando distante do sonho de sua primeira Copa. A Copa América pode servir de redenção para a equipe.

FICHA TÉCNICA
BRASIL X VENEZUELA


Local:
Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 13 de junho de 2021, domingo
Horário: 18 horas (de Brasília)
Árbitro: Esteban Ostojich (URU)
Assistentes: Carlos Barreiro (URU) e Martin Soppi (URU)
VAR: Julio Bascuñan (CHI)

BRASIL: Alisson, Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Renan Lodi; Casemiro, Fred e Lucas Paquetá; Neymar, Gabriel Jesus e Richarlison
Técnico: Tite

VENEZUELA: Graterol, Ferraresi, Chancellor, Villanueva e Rosales; Moreno, Rincón, Alex González e Otero; Savarino e Josef Martínez
Técnico: José Peseiro



O grupo B da Copa América tem sua primeira rodada disputada neste domingo. Às 21h (de Brasília), Colômbia e Equador se enfrentam na Arena Pantanal, em Cuiabá.

As duas seleções chegam para a competição sob pressão pelos resultados das Eliminatórias. Os colombianos menos que seu adversário.

A Colômbia até se recuperou nas Eliminatórias, mas está na zona da repescagem, na quinta posição. A crise é maior fora de campo, após o corte do meia James Rodríguez pelo técnico Reinaldo Rueda.

Do outro lado, o Equador começou bem nas Eliminatórias, mas perdeu os últimos dois jogos. Com isso, a seleção ligou o sinal de alerta.



O atacante Alexis Sánchez sofreu uma lesão e foi cortado da lista de jogadores da seleção do Chile que vão participar da Copa América, informou neste sábado a Federação Chilena de Futebol.

“O tempo estimado de recuperação supera a primeira fase da Copa América 2021, para a qual o atleta permanecerá em seu processo de recuperação no Chile, junto à equipe médica da seleção nacional”, divulgou a federação.

A equipe médica explicou que após o treino de sexta-feira, o atacante sofreu uma “lesão muscular de delgado plantar”.

Foto: Marcelo Hernandez/POOL/AFP

Não está claro se o jogador da Inter de Milão se recuperará a tempo para a fase final do torneio continental – do qual o Chile foi campeão em 2015 e 2016 – mas foi afastado por enquanto.

A seleção chilena estreia no torneio continental contra a Argentina na segunda-feira, em partida do Grupo A, no Rio de Janeiro.



A Copa América será a chance de Tite esclarecer algumas dúvidas na Seleção Brasileira visando a sequência das Eliminatórias e até mesmo a Copa do Mundo de 2022. Por isso, o treinador admitiu que irá promover um rodízio maior entre os atletas chamados para a competição.

O Brasil estreia na Copa América neste domingo, contra a Venezuela. Ainda na primeira fase, irá enfrentar Peru, Colômbia e Equador.

“Houve uma reunião da comissão técnica com o Juninho (coordenador da CBF) e definimos os objetivos. Queremos a conquista, mas também vamos com uma participação maior dos jogadores”, explicou o técnico, em entrevista coletiva.

Tite deixou claro que irá manter a estrutura do time nos jogos. Mas algumas posições, como os laterais, o setor de criação do meio-campo e o ataque, são as favoritas para contar com um revezamento maior de peças.

“Nas Eliminatórias, o nível de exigência é maior. Agora, a Copa América permite ampliar as chances na equipe. Teremos todo um cuidado com desgaste, então modificações vão acontecer”, confirmou Tite.