Futebol

Presidente do Cruzeiro revela redução na folha salarial para 2015

GazetaEsportiva.net - Belo Horizonte, MG -
04/01/2015 17:41:00

Em: Campeonato Mineiro, Campeonatos, Campeonatos Estaduais, Cruzeiro, Futebol, Região Sudeste

Atual bicampeão brasileiro, o Cruzeiro terá uma folha salarial mais enxuta em 2015. No ano em que disputará novamente a Copa Libertadores da América, o presidente Gilvan de Pinho Tavares afirmou que a redução de gastos é reflexo da reformulação do plantel, que não contará com nomes como Borges e Marcelo Moreno.

“Por enquanto, baixamos a folha salarial, em relação aos gastos que tivemos em 2014. Não podemos falar em valores, tampouco no percentual de redução, pois isso é assunto interno e compete apenas à diretoria. Porém, posso afirmar que reduzimos o valor total do elenco”, declarou o mandatário, em entrevista ao portal Superesportes.

Além de Borges e Marcelo Moreno, deixam o clube celeste o lateral-esquerdo paraguaio Samudio e o jovem meia-atacante Marlone. Até o momento, foram contratados quatro atletas: o lateral-direito Fabiano (ex-Chapecoense), o volante chileno Felipe Seymour, que atuou na Segunda Divisão da Itália pelo Spezia, além dos atacantes Joel, angolano com boa passagem pelo Coritiba, e Leandro Damião, concebido como a grande aquisição da Raposa.

“Por enquanto, baixamos a folha salarial, em relação aos gastos que tivemos em 2014
“Por enquanto, baixamos a folha salarial, em relação aos gastos que tivemos em 2014″, admitiu o presidente Gilvan Tavares – Credito: Washington Alves/Vipcomm/Divulgação
Por sua vez, o lateral-esquerdo Gílson, destaque do América-MG na última edição da Série B, retornou de empréstimo e faz parte dos planos cruzeirenses para esta temporada. Já Éverton, que conquistou o acesso à elite com o Joinville, e o versátil Marcelo Oliveira (ex-Palmeiras) tiveram seus respectivos contratos encerrados.

Porém, não é apenas no elenco que a Raposa apresentou novidades. O diretor de futebol Alexandre Mattos deixou o clube e ainda não teve substituto definido pelo presidente: “Não haverá contratação de diretor por enquanto. No futuro, quando eu considerar necessário, contratarei”.