Paulo André elogia “terceira versão” de Mano e faz projeções para 2016

Do correspondente Gustavo Aleixo - Belo Horizonte,MG

27/11/15 | 17:04

Paulo André havia sido comandado em outras duas oportunidade pelo técnico Mano Menezes no Corinthians (Pedro Vilela/Light Press)
Paulo André havia sido comandado em outras duas oportunidade pelo técnico Mano Menezes no Corinthians (Pedro Vilela/Light Press)

O período afastado do futebol parece ter feito muito bem ao técnico Mano Menezes, que antes de assinar com o Cruzeiro, no começo de setembro, se dedicou durante o primeiro semestre do ano a melhorar os seus atributos como treinador.

A diferença parece ter sido notada por um dos jogadores cruzeirenses que mais conhece o técnico: Paulo André. Comandado por Mano Menezes em duas oportunidades no Corinthians, o zagueiro não titubeia ao afirmar que “versão 2015” do treinador é melhor do que as outras com as quais ele conviveu em anos anteriores.

“O time ficou mais organizado em campo com o Mano. A versão de 2015 do Mano é a melhor que encontrei nessas três vezes que trabalhamos juntos”, analisa o defensor, que enaltece o trabalho feito pelo treinador logo após sua chegada na Toca da Raposa, quando o clube ainda corria sérios riscos de rebaixamento.

“Foi um ano de transição, muitos jogadores saíram outros chegaram. O time demorou para atingir o nível ideal de entrosamento. O Mano tem grande parcela de merecimento nessa arrumação. Ele foi muito inteligente quando chegou. O time precisava de carinho, atenção. Foi o que ele fez. Mexeu muito pouco, deu confiança a quem ele achou que deveria ser titular”, acrescentou.

De lá para cá, o Cruzeiro alcançou uma reação espetacular no Brasileirão e, no momento, ainda briga por uma improvável vaga para a Libertadores. Na oitava colocação, o Cruzeiro está a quatro pontos do G4, restando duas rodadas para o término do Brasileirão, e torce para que seus concorrentes na tabela – Sport, Santos, Internacional e São Paulo – tropecem em seus jogos restantes pela competição.

Diante da classificação quase impossível para a competição continental, Paulo André faz projeções para o Cruzeiro em 2016. Para o zagueiro, a boa fase e os atuais 12 jogos de invencibilidade do clube no Brasileirão não necessariamente garantirão uma boa temporada no ano que vem, de forma que a diretoria cruzeirense precisa, sim, buscar reforços pontuais para a próxima temporada.

“Não dá para afirmar (que continuaremos com bons resultados em 2016). Seria uma previsão como a da Mega-Sena. Mas o time tem uma base sólida, deve contratar reforços pontuais para brigar por títulos, como fez em 2013 e 2014”, colocou o zagueiro, que entende que o estilo de jogo da equipe tem que ser mantido para a próxima temporada.

“Mais do que jogadores, é fundamental a ideia do que quer se praticar, o estilo que se quer jogar. Com isso definido, é mais fácil. Pode ser que o mercado europeu consiga levar algum jogador, mas se a ideia for clara é mais fácil de montar uma equipe’, concluiu.

Deixe seu comentário