COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A Croácia é mais uma seleção a anunciar a sua convocação final para a Copa do Mundo nessa segunda-feira, ou quase isso. Após apresentar uma lista com 32 nomes na última semana, o técnico Zlatko Dalic cortou oito nomes e revelou uma nova lista com 24 jogadores, sendo obrigatório a realização de mais um corte antes do mundial.

Os oito nomes que deixaram de figurar na lista foram o goleiro Karlo Letica (Hajduk-CRO); os zagueiros Borna Barisic (Osijek-CRO), Zoran Nizic (Hajduk-CRO); o lateral-esquerdo Borna Sosa (Dínamo Zagreb); o volante Mario Pasalic (Spartak Moscou); o meia Marko Rog (Napoli); e os atacantes Duje Cop (Standard Liège) e Ivan Santini (Caen).

A Seleção croata ocupa o Grupo D da Copa do Mundo, ao lado de Argentina, Nigéria e Islândia. Antes da estreia no mundial, no dia 16 de junho, os croatas irão realizar dois amistosos preparatórios, sendo o primeiro deles contra a Seleção Brasileira de Tite, no dia 2 de junho. No dia 8 a preparação será encerrada num amistoso contra Senegal.

Confira a lista de 24 nomes da Croácia:

Goleiros: Subasic (Monaco), Kalinic (Gent), Livakovic (Dínamo Zagreb);

Defensores: Vedran Corluka (Lokomotiv Moscou), Vida (Besiktas), Strinić (Sampdoria), Lovren (Liverpool), Vrsaljko (Atletico de Madrid), Pivarić (Dynamo Kiev), Jedvaj (Bayer Leverkusen), Mitrovic (Brugge), Caleta-Car (RB Salzburg);

Meias: Modric e Kovacic (Real Madrid), Rakitic (Barcelona), Badelj (Fiorentina), Brozović (Internazionale), Filip Bradaric (Rijeka-CRO);

Atacantes: Mandzukic (Juventus), Perisic (Internazionale), Kalinic (Milan), Kramaric (Hoffenheim), Pjaca (Schalke), Rebic (Eintracht Frankfurt)



A Bélgica divulgou, nesta segunda-feira, a lista dos 28 jogadores que estão pré-convocados para a Copa do Mundo, na Rússia. Dentre os selecionados pelo técnico Roberto Martínez, é uma ausência que chama mais atenção. Trata-se do volante Radja Nainggolan, que foi um dos destaques da Roma na boa temporada do time italiano e acabou ficando de fora da relação. Cinco nomes ainda serão cortados antes da lista final, que será anunciada no máximo até o dia quatro de junho.

Estes são os 28 convocados pela Bélgica em primeira instância (Foto: Reprodução/Twitter)

“Nainggolan é um jogador top. A razão é tática. Nos últimos dois anos, a equipe tem trabalhado de um jeito específico. Outros jogadores tiveram esses papéis. Sabemos que ele tem um papel muito importante no seu clube e não podemos dar isso a ele na nossa equipe”, explicou o treinador espanhol, que também deixou de fora o atacante Divock Origi, do Wolfsburg-ALE, e Kevin Mirallas, do Olympiacos-GRE.

De resto, todos os principais jogadores compõem a relação. São eles: Thibaut Courtois, Vincent Kompany, Eden Hazard, Kevin De Bruyne e Romelu Lukaku. Irmãos do meia do Chelsea e do atacante do Manchester United, respectivamente, Thorgan Hazard e Jordan Lukaku também integram a convocação.

No Grupo G, a Bélgica estreia na Copa do Mundo contra o Panamá, no dia 18 de junho. Tunísia e Inglaterra são os outros adversários pela primeira fase. Antes do Mundial, porém, os Diabos Vermelhos ainda farão três amistosos preparatórios, contra Portugal, no dia dois de junho, Egito, no dia seis, e Costa Rica, no dia 11.

Confira a pré-lista completa da Bélgica:

Goleiros: Koen Casteels (Wolfsburg), Thibaut Courtois (Chelsea), Simon Mignolet (Liverpool), Matz Sels (Newcastle);

Defensores: Toby Alderweireld (Tottenham), Dedryck Boyata (Celtic), Laurent Ciman (Los Angeles FC), Christian Kabasele (Watford), Vincent Kompany (Manchester City), Jordan Lukaku (Lazio), Thomas Meunier (Paris Saint-Germain), Thomas Vermaelen (Barcelona), Jan Vertonghen (Tottenham);

Meias: Nacer Chadli (West Bromwich), Kevin De Bruyne (Manchester City), Mousa Dembele (Tottenham), Leander Dendoncker (Anderlecht), Marouane Fellaini (Manchester United), Youri Tielemans (Monaco), Axel Witsel (Tianjin Quanjian);

Atacantes: Michy Batshuayi (Chelsea), Christian Benteke (Crystal Palace), Yannick Carrasco (Dalian Yifang), Eden Hazard (Chelsea), Thorgan Hazard (Borussia Monchengladbach), Adnan Januzaj (Real Sociedad), Romelu Lukaku (Manchester United), Dries Mertens (Napoli).



Nesta segunda-feira, a Real Federação Espanhola de Futebol divulgou a lista final de convocados para a Copa do Mundo 2018, na Rússia. Dentre os 23 nomes selecionados pelo técnico Julen Lopetegui, destacam-se os brasileiros naturalizados: Thiago Alcântara, do Bayern de Munique, Rodrigo, do Valencia, e Diego Costa, do Atlético de Madrid.

 

Também chama atenção a ausência de dois jogadores do Chelsea. O lateral direito Marcos Alonso, um dos destaques do time londrino na temporada, e o atacante Álvaro Morata, que chegou aos Blues no início da temporada e não correspondeu às expectativas, convivendo com lesões em boa parte do tempo.

Ademais, a lista não apresenta grandes novidades e mantém a base da Copa de 2014, disputada no Brasil e que não contou com boa campanha espanhola, já que a Fúria acabou eliminada ainda na primeira fase do torneio, com direito a derrota por goleada para a Holanda, por 5 a 1, e fracasso diante do Chile, por 2 a 0.  São 11 atletas em comum em relação ao último Mundial (De Gea, Reina, Piqué, Sergio Ramos, Jordi Alba, Busquets, Iniesta, Koke, David Silva e Diego Costa).

Antes da estreia na Copa, contra Portugal no dia 15 de junho, a Espanha enfrenta Suíça e Tunísia em amistosos preparatórios. O primeiro deles será no dia três de junho, enquanto o segundo será no dia oito. Pelo Grupo B, La Roja ainda também enfrentará Irã e Marrocos.

Confira a lista completa da Espanha para a Copa:

Goleiros: De Gea (Manchester United), Reina (Napoli) e Kepa (Athletic de Bilbao);

Defensores: Carvajal, Nacho e Sergio Ramos (Real Madrid), Jordi Alba e Piqué (Barcelona), Azpilicueta (Chelsea), Monreal (Arsenal) e Odriozola (Real Sociedad);

Meio-campistas: Isco, Asensio e Lucas Vázquez (Real Madrid), Busquets e Iniesta (Barcelona), Koke e Saúl (Atlético de Madrid), Thiago Alcântara (Bayern de Munique) e David Silva (Manchester City);

Atacantes: Diego Costa (Atlético de Madrid), Rodrigo (Valencia) e Iago Aspas (Celta).



Técnico passou pelas seleções costarriquenha e hondurenha nos últimos anos (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Jorge Luis Pinto fez história à frente da seleção da Costa Rica na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, levando o país surpreendentemente até as quartas de final do Mundial, caindo apenas para a Holanda, nos pênaltis, e dando adeus ao torneio de forma invicta depois de se classificar em um grupo que contava com Inglaterra, Itália e Uruguai. Colombiano, o treinador crê que Miguel Borja tem totais condições de se juntar a estrelas como James Rodrígez e Falcao Garcia na Rússia.

Vivendo ótima fase com a camisa do Palmeiras após um primeiro ano sendo fortemente criticado por imprensa e torcida, Borja já soma em 2018 15 gols e é o artilheiro do Verdão no ano. Enfim, fazendo valer o investimento de R$ 30 milhões pelo seu futebol, o atacante foi incluído na lista dos 35 pré-selecionados do técnico da seleção colombiana, José Pekerman.

“Borja, para mim, é o substituto do Falcao. Vive um momento muito bom e acredito que pode ser um jogador que em uma emergência pode substituir o Falcão ou jogar com ele”, afirmou Jorge Luis Pinto, convidado do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

Após a campanha história com a Costa Rica na Copa do Mundo de 2014, o treinador assumiu a seleção de Honduras e, inclusive, comandou o país caribenho nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, terminando o torneio na quarta colocação após perder a disputa pela medalha de bronze para a Nigéria, por 3 a 2.

Já com a seleção principal hondurenha Jorge Luis Pinto foi menos feliz. Depois de terminar as Eliminatórias da Concacaf na quarta colocação, perdeu a chance de novamente comandar um país no Mundial e acabou se desligando do cargo.

O treinador colombiano também aproveitou para comentar sobre o futebol de outro palmeirense que veio do Atlético Nacional: Alejandro Guerra. Na visão de Jorge Luis Pinto, o meia alviverde está um pouco abaixo dos demais atletas de grandes clubes do Brasil.

“Não sinto que a dinâmica de jogo dele seja ideal para o futebol rápido, para o futebol dinâmico. Quando tem que recompor, ajudar na defesa, pressionar, ele fica um pouquinho atrás. Mas talento ele tem, é claro que ele tem talento. Jogou bem no Atlético Nacional, fez uma Libertadores importante, mas o nível do futebol brasileiro custou um pouco a ele”, concluiu.



Na tentativa de alcançar a soberania mundial pela sexta vez, a Seleção Brasileira inicia a reta final da preparação para a Copa da Rússia na Granja Comary na manhã desta segunda-feira. O elenco armado por Tite para brigar pelo cetro de campeão conta com a torcida dos descendentes de Dom Pedro II e Dona Teresa Cristina, entre eles o príncipe Dom Gabriel José Gaspar de Orleans e Bragança.

Nascido no Rio de Janeiro, antiga capital do império, Dom Gabriel é sobrinho de Dom Luiz de Orleans e Bragança, atual herdeiro do trono extinto em 1889. O advogado de 37 anos, tetraneto de Dona Teresa Cristina, está orgulhoso pela presença da Seleção em Teresópolis, município batizado em homenagem à imperatriz consorte do Brasil até o fim da monarquia.

“É uma grande honra para toda a família, sem dúvida nenhuma, ter uma cidade com o nome de um antepassado, e Dona Teresa Cristina foi uma pessoa de grandes virtudes. Teresópolis é um lugar muito agradável, gostoso e tranquilo, de modo que me parece conveniente que a Seleção Brasileira tenha lá o seu QG (quartel-general)”, afirmou Dom Gabriel.

Radicado em São Paulo desde 2008, o príncipe integra a ala jovem da família imperial e estima ter mais do que 30 primos de primeiro grau, muitos deles profissionais liberais. Empregado de um renomado escritório de advocacia sediado no Itaim Bibi, ele recebeu a Gazeta Esportiva na sala de reuniões, com uma longa mesa de madeira e paredes envidraçadas que permitiam ver o trânsito caótico de uma sexta-feira à noite.

A tranquila Teresópolis, localizada na região serrana do Rio de Janeiro, recebe os jogadores convocados para o Mundial a partir de segunda-feira. Apenas o atacante Roberto Firmino, o volante Casemiro e o lateral esquerdo Marcelo, envolvidos na final da Copa dos Campeões, não participarão do período de treinamento na cidade nomeada como tributo à “Mãe dos Brasileiros”.

“Como nas Copas anteriores, espero que essa equipe tenha uma boa rotina de treinamentos em Teresópolis. Estamos todos nós, da família e do povo brasileiro, na expectativa de que neste ano a Seleção consiga novamente levantar o troféu de campeã do mundo. Como brasileiro, desejo o maior sucesso ao time”, declarou o príncipe.

Orgulhoso, Dom Gabriel contou que a família imperial, afastada do poder há mais de 125 anos, procura cultivar suas tradições, entre elas torcer pelo Fluminense Footbal Club, algo que ele pretende transmitir aos dois filhos pequenos. No técnico Tite, o tetraneto de Dom Pedro II, último imperador do Brasil, enxerga as características de um grande líder.

“É muito bacana ver o Brasil jogar hoje. Foi nítido: quando o Tite assumiu a Seleção, a mudança para o bem veio em pouquíssimo tempo. Percebemos que os jogadores todos têm admiração e respeito por ele. É isso que se espera de um líder. O líder de uma nação, da mesma forma, se espera que tenha respeito e admiração por parte da população”, comparou.

O príncipe chegou a estagiar no departamento jurídico do Fluminense e, como bom tricolor, elogiou Marcelo, formado nas categorias de base do clube. Ainda assim, questionado sobre a quem daria a coroa na Seleção Brasileira, não citou o astro do Real Madrid nem o atacante Neymar. “É difícil… Teria que ser o líder da equipe”, pensou, antes de arrematar. “A coroa vai para o Tite.”

O fã de Adenor Leonardo Bachi tinha apenas 12 anos em 1993, quando o Brasil realizou um plebiscito para determinar a forma e o sistema de governo do País – na ocasião, o regime monárquico (13,4% dos votos) acabou derrotado pelo republicano (86,6%). Cento e vinte e oito anos após o exílio de Dom Pedro II e Dona Teresa Cristina, a família imperial ainda defende a retomada do regime.

“Nossa bandeira sempre vai ser relacionada à volta da monarquia. É um movimento que tem crescido bastante, inclusive”, afirmou o príncipe, que costuma representar o tio, chefe da Casa Imperial, em eventos e solenidades. “É o momento de começar a aparecer essa atual geração. Eu e outros primos estamos em uma idade de maior amadurecimento, seja político, ideológico e econômico”, explicou.

O príncipe tem o hábito de se apresentar apenas como Gabriel e, “com muito gosto”, explica sua origem apenas quando indagado por pessoas que eventualmente reconhecem o sobrenome. Ele preferiu não entrar em detalhes ao falar sobre a “crise institucional” que vem marcando o 129º ano da República e manifestou confiança na possibilidade de ver o país “se soerguer diante de todos os problemas”’.

Para apostar na coroação de Tite e seus pupilos na Copa da Rússia, no entanto, Dom Gabriel José de Orleans e Bragança foi eloquente. “A Seleção é entrosada, e o Tite está com o time na mão. Tenho certeza de que esse Mundial será muito especial, de que os jogadores farão bonito e realmente mostrarão a força que nosso país tem no futebol”, declarou.



A expectativa de alguns palmeirenses em ver Lucas Lima ou Jailson entre os 23 convocados do técnico Tite não durou muito tempo. O comandante da Seleção Brasileira não chamou nenhum jogador do elenco alviverde, no entanto, o ex-goleiro Marcos acredita que alguns nomes poderiam ter sido incluídos na seletiva lista do treinador canarinho.

“O Palmeiras tem jogadores que poderiam vestir a camisa da Seleção Brasileira. Apesar que os caras vão falar: ‘Ah, o momento é do Vanderlei, do [Marcelo] Grohe’. Esse começo de ano seria fundamental para que os jogadores do Palmeiras se mostrassem qualificados”, afirmou Marcão, reconhecendo que as falhas no Campeonato Paulista podem ter pesado para que nenhum palmeirense fosse chamado.

Campeão do mundo em 2002, Marcão crê que palmeirenses poderiam ter sido convocados (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Dono da melhor campanha na fase de grupos do Campeonato Paulista, o Palmeiras acabou não tendo o mesmo desempenho no mata-mata, perdendo para o Corinthians na grande final, em pleno Allianz Parque. Na Libertadores, o Verdão também brilhou no estágio inicial. Resta saber se nos jogos eliminatórios o time de Roger Machado, enfim, dará a volta por cima ou voltará a frustrar seus torcedores com uma nova eliminação.

“Eu não acredito que o Tite tenha convocado alguns pelo fato de eles serem corintianos. Os jogadores qualificados do Palmeiras talvez não estiveram em um bom momento quando aconteceu a convocação. Mas são jogadores jovens, que também vão ter possibilidade de, quem sabe, estar em uma próxima Copa. Não pode desanimar por isso, porque também estão vestindo a camisa de uma seleção, que é o Palmeiras”, completou o ídolo alviverde.

Apesar de não contar com qualquer jogador lembrado por Tite, o Palmeiras pode ser desfalcado nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro antes do Mundial. Miguel Borja está entre os 35 atletas pré-selecionados para defenderem a Colômbia na Copa e sua ausência pode ser confirmada em breve caso o técnico José Pekerman opte pelo atacante do Verdão ao invés de Teo Gutiérrez, do Junior Barranquilla.



Comissão técnica chefiada por Tite estuda seleção da Costa Rica na Granja Comary (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A comissão técnica chefiada por Tite iniciou neste domingo os trabalhos na Granja Comary voltados à Copa do Mundo da Rússia. Na véspera de receber 17 dos 23 convocados, entre eles o atacante Neymar, o treinador estudou a Costa Rica, segundo adversário do Brasil no torneio.

Com a finalidade de potencializar a análise dos concorrentes, a CBF distribuiu a missão de estudar as seleções entre os analistas dos clubes da Série A em 2017. Os profissionais do Avaí, responsáveis por esmiuçar a Costa Rica, estiveram na Granja Comary neste domingo.

Ricardo Henry Duarte, chefe do departamento de análise no clube catarinense, e Vinícius Frason passaram a tarde falando sobre o time da América Central. O confronto entre Brasil e está marcado para as 9 horas (de Brasília) do dia 22 de junho, em São Petersburgo.

Durante a semana, os analistas de Grêmio e Sport, encarregados pela observação de Suíça e Sérvia, respectivamente, também estarão na Granja Comary. A Seleção Brasileira permanece em Teresópolis até o próximo domingo, daga em que embarca para a Inglaterra.

Nesta segunda-feira, além de Neymar, chegam Marquinhos, Fred, Filipe Luís, Danilo, Paulinho, Gabriel Jesus, Ederson, Fágner, Thiago Silva, Renato Augusto, Douglas Costa, Taison, Fernandinho, Willian e Geromel e Cássio. O dia será de avaliações físicas e médicas.

Alisson, Philippe Coutinho e Miranda são esperados na Granja Comary apenas na terça-feira. Marcelo, Casemiro e Roberto Firmino, envolvidos na final da Copa dos Campeões, serão os únicos desfalques em Teresópolis, uma vez que se juntam ao grupo apenas na Inglaterra.



Guerrero teve o seu contrato com o Flamengo suspenso após ampliação de gancho (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

A Federação Internacional dos Jogadores de Futebol (FIFPro) enviou uma carta para a Fifa pedindo a liberação de Paolo Guerrero para a Copa do Mundo de 2018. Atualmente o atacante peruano está suspenso por ter testado positivo para benzoilecgonina, um metabólico da coca e da cocaína.

De acordo com publicação divulgada no Twitter, a expectativa da organização é que a entidade que regula o futebol mundial dê uma resposta entre 24 e 48 horas. A FIFPro também pediu uma reunião do atacante peruano com a Fifa, o que aconteceu neste domingo.

Quem emitiu a suspensão de 14 meses para Guerrero foi o Tribunal Arbitral do Esporte, que determinou a punição alegando que o jogador foi negligente ao ingerir uma substância proibida. A FIFPro entende que o gancho é injusto uma vez que foi determinado que não houve a intenção de conseguir uma melhora de desempenho.

Com a nova decisão, o Flamengo voltou a suspender o contrato de Guerrero, que não deve mais defender o clube carioca. O atacante não estava na lista de 24 jogadores pré-convocados para a Copa do Mundo divulgada pelo Peru.



Técnico Tite chegou neste domingo à Granja Comary, onde a Seleção Brasileira fará a preparação para a Copa do Mundo (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A Seleção Brasileira, convocada na última segunda-feira, iniciará os preparativos para a Copa do Mundo da Rússia, que inicia em 14 de junho. No início da tarde deste domingo, o técnico Tite e a comissão técnica chegaram à Granja Comary, complexo localizado em Teresópolis onde a equipe fará a preparação para o Mundial.

Já na segunda-feira, será a vez dos jogadores se apresentarem. Somente Roberto Firmino (Liverpool), Marcelo e Casemiro (Real Madrid) não participarão dessa primeira etapa de treinos no CT da Seleção. Eles jogarão a final da Liga dos Campeões, que acontece no próximo dia 26, e se apresentarão direto da Inglaterra.

Os dois primeiros dias serão de testes e avaliações físicas e médicas, ou seja, não haverá trabalho em campo. Antes do início da competição, no entanto, o Brasil enfrentará Croácia e Áustria em amistosos preparatórios, em 3 e 10 de junho, respectivamente. No dia 11, os comandados de Tite iniciam os treinamentos em Sochi, na Rússia, e a estreia da equipe será em 17 de junho, contra a Suíça, em Rostov.

 

Confira abaixo o calendário da Seleção:

20 de maio – apresentação da comissão técnica na Granja Comary, em Teresópolis
21 de maio – apresentação dos jogadores na Granja Comary, em Teresópolis
21 de maio a 27 de maio – exames médicos e preparações
28 de maio – viagem para Londres
28 de maio a 8 de junho – permanência na Inglaterra para amistosos preparatórios,
utilizando a estrutura do Tottenham
3 de junho – amistoso com a Croácia
10 de junho – amistoso contra a Áustria
11 de junho – chegada em Sochi, na Rússia, sede da Seleção Brasileira no Mundial
14 de junho – início da Copa do Mundo
17 de junho – estreia do Brasil diante da Suíca, em Rostov, em partida que inicia às 15h (de Brasília)
22 de junho – Brasil x Costa Rica, em São Petesburgo, às 9h (de Brasília)
27 de junho – Brasil x Sérvia, em Moscou, pelo último jogo da fase de grupos, às 15h (de Brasília)



G6otze não estará na Copado Mundo de 2018 na Rússia (Foto: Ian Macnicol/AFP)

Herói do tetracampeonato mundial da Alemanha, Mario Götze não poderá repetir o feito que conseguiu ao marcar o gol da final na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil. Isso porque o jogador não está na lista de convocados do técnico Joachim Löw para o torneio deste ano, situação que deixou o meia bastante chateado logo após o anúncio oficial do comandante.

“Claro que estou triste por não estar presente na convocação para defender meu país na Copa do Mundo. Mas farei tudo o que puder para conseguiu voltar ao time da nossa equipe nacional. Eu desejo que os jogadores, que os treinadores e toda a equipe tenha sucesso na Rússia. E estarei a todo momento apoiando e torcendo para que todos sejam campeões do mundo”, afirmou o jogador em sua conta oficial no twitter.

Outro que ficou desapontado com a lista de Löw foi o atacante Sandro Wagner, do Bayern de Munique. O atleta se mostrou extremamente incomodado por não poder integrar o grupo de jogadores para o Mundial na Rússia. “Eu renuncio imediatamente à seleção nacional. Para mim, é muito claro que eu não pareço me encaixar com a comissão técnica do meu jeito: sempre aberto, honesto e direto para lidar com as coisas”.

Como resposta, o técnico Löw afirmou que entende a reação do atleta, mas que pensa que não foi a mais adequada para o momento. “Eu posso entender um pouco que ele esteja desapontado. Eu apenas acho sua reação um tanto quanto exagerada. Todo mundo que nos conhece sabe como sempre encorajamos os jogadores a falar, serem abertos e honestos e também a serem críticos. Essas coisas são muito importantes para nós”.

A seleção da Alemanha estreará na Copa do Mundo no dia 17 de junho, domingo, diante da equipe do México. Seis dias depois, os atuais campeões do mundo encaram a Suécia,e fecham a participação na fase de grupos no dia 27, contra a Coréia do Sul.