Futebol/Copa Libertadores

Tite vai enfrentar flashbacks do Tolima em nova pré-Libertadores

GazetaEsportiva.net - São Paulo, SP - Brasil
03/01/2015 09:15:19

Em: Corinthians, Futebol, Libertadores

Campeão estadual, nacional, continental e mundial pelo Corinthians, o técnico Tite teve uma pré-Libertadores como ponto negativo em sua segunda passagem pelo clube do Parque São Jorge. A derrota para o Tolima foi traumatizante para o gaúcho, que precisará superar um novo desafio contra um time colombiano, o Once Caldas, para avançar à fase de grupos do torneio em 2015.

Três anos antes, quando já era campeão da Copa Libertadores da América e ainda não havia vencido o Mundial de Clubes, Tite concedeu uma entrevista à Gazeta Esportiva e detalhou o seu sofrimento diante do Tolima. “As chances de eu sair eram muito grandes. Até hoje, tenho flashbacks do momento em que ocorreu o primeiro gol do Tolima”, contou, na ocasião.

“Estou à beira do campo, olho para cima, vejo os refletores do estádio… Parece que tudo está se repetindo na minha frente. Acontece a expulsão (de Cachito Ramírez, que havia acabado de entrar em campo), e o time animicamente faz assim (ele sinaliza com as duas mãos para baixo). A gente sabe quando uma equipe perde as suas forças. Tomamos um gol, os jogadores murcharam, tentei mexer, e houve a expulsão. ‘P… que o pariu! P… que o pariu! F…!’ Passava pela minha cabeça: a derrota vai acabar com a sequência do meu trabalho”, confessou.

[gad-samba:[idmidia=2285,tipo=video,width=620,height=400]]

A derrota só não interrompeu o ciclo de Tite no Corinthians porque Andrés Sanchez, então presidente, resistiu à pressão para demiti-lo. O técnico culpava a aposentadoria do zagueiro William, a saída do meio-campista Elias para o Atlético de Madri, da Espanha, e os 19 dias de temporada por aquele fracasso – o curto tempo para trabalhar será novamente um empecilho agora, contra o Once Caldas. E provou a sua capacidade com a sequência de títulos iniciada já no Campeonato Brasileiro de 2011.

Foram os troféus conquistados naquele tempo que ajudaram Tite a retornar outra vez ao Corinthians, no lugar de Mano Menezes. Em outra entrevista para a Gazeta Esportiva, pouco antes da saída em 2013, o treinador já vislumbrava essa terceira passagem. “Que isso não seja uma circunstância, mas uma coisa natural. Não quero nada forçado pelas minhas conquistas, induzido, motivado pela impaciência do torcedor com outro técnico. Podem pegar o exemplo e o legado do Tite quando eu sair daqui, mas deem força para que o próximo treinador reverta os maus momentos”, declarou.

Mano até conseguiu reverter alguns dos maus momentos que vivenciou, como a inesperada derrota para o Atlético-MG na Copa do Brasil, porém não inspirou paciência em boa parte da torcida. Nem em Roberto de Andrade, candidato da situação na sucessão presidencial de Mário Gobbi, que prefere se apegar ao passado de Tite para tentar construir o futuro do Corinthians.

Vitorioso no Corinthians, Tite voltou com mais uma pré-Libertadores como primeiro grande desafio
Vitorioso no Corinthians, Tite voltou com mais uma pré-Libertadores como primeiro grande desafio – Credito: Djalma Vassão/Gazeta Press
“Não quero que digam assim: ‘Ah, o Tite já ganhou tudo e tem que voltar para cá para resolver o que está errado’. Falo isso com sinceridade. Se eu for para um lugar em que o técnico anterior tenha feito um bom trabalho, também receberei esse tipo de cobrança, de comparação. Então, quando eu voltar para o Corinthians – e se voltar –, que seja de uma forma limpa, natural, espontânea. É preciso ter me-re-ci-men-to”, dizia Tite em 2013.

Nessa mesma entrevista, o técnico ainda contou que preferiu não vender o seu apartamento na Zona Leste de São Paulo – comprado em 2005, na primeira vez em que dirigia o Corinthians – com a esperança de voltar ao comando do time. Confessou que evitaria assistir a jogos de seus ex-comandados para não sentir ciúmes de Mano Menezes. Em sua cabeça, segundo ele, passaria o seguinte pensamento: “Você poderia estar ali”.

Tite está “ali” em 2015. E precisará enfrentar o seu grande trauma de 2011, a pré-Libertadores contra um adversário colombiano, para iniciar bem mais uma trajetória em preto e branco. Os confrontos com o Once Caldas serão em 4 e 11 de fevereiro, primeiro no estádio de Itaquera e depois em Manizales. O vencedor ingressará no grupo 2 da competição continental, que já tem o São Paulo, o uruguaio Danubio e o argentino San Lorenzo, atual campeão.