Tiago Nunes explica mudança de estilo no Corinthians e admite Carlos fora a pedido da direção

Tiago Salazar - São Paulo,SP

18-08-2020 14:16:22

Antes da parada do futebol por causa da pandemia do coronavírus, o Corinthians não conseguiu bons resultados no campo, mas apresentou uma equipe propositiva, que agredia mais seus adversários. Desde a retomada das competições, Tiago Nunes optou por uma estratégia amis conservadora e reativa. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva virtual, o técnico corintiano explicou o motivo pela alteração.

“A mudança de postura é muito pela característica dos jogadores escolhidos após a parada. A gente criava, mas estava sofrendo gols em praticamente em todas as partidas. Teríamos de tentar buscar a confiança nas ideias, tem que começar sanando de algum lado, e agente optou por atletas mais de força, de vitórias pessoais em duelos defensivos, para dar uma estrutura mais sólida, e a partida daí buscar resultados para gerar confiança e desenvolvimento de ideias”.

“A gente finalizou menos mesmo, mas sofreu menos gols, os atletas tentaram jogar, tem muito mérito das equipes que a gente enfrentou também. No primeiro jogo contra o Palmeiras, fizemos 1 a 0 cedo e depois o adversário acabou crescendo e nós, pela dificuldade dos resultados, segurando. A busca pela melhora passa por isso”.

Se há alguns meses Tiago Nunes avisou que gostaria de ter uma equipe jogando no ritmo “rock and roll”, agora o técnico prefere ser mais cautelo, não só em campo como também no discurso.

"Quando usei dessa expressão, que já tinha usado em anos anteriores, para ilustrar um time agressivo, que não deixasse o adversário descansar, acabei virando motivo de brincadeiras de vocês, amigos da comunicação. Então, não vou mais eleger ritmo para não gerar uma situação inconveniente. A gente busca uma equipe que lute pela bola, que tente atacar mais o adversário, isso passa pelas ideias que a gente está implementando, e pelas características que temos em campo, tentar unir teoria e prática. Com o passar do tempo, a equipe consolidando essas ideias, acho que pode se aproximar do ritmo ideal”.

Pouco a pouco, portanto, Tiago Nunes deve ir soltando o time, sem perder a consistência defensiva adquirida. A primeira mudança neste sentido se deu na lateral esquerda, com Sidcley na vaga de Carlos. O ex-titular, aliás, sequer está à disposição nesse momento por estar envolvido em negociações que podem lhe tirar do Corinthians definitivamente.

“Temos o Sidcley hoje muito bem condicionado, inteiro. O Carlos está em negociação, tem interesse externo, e por questão de solicitação da própria direção a gente deixou de fora nesse momento e está aguardando para saber se vai continuar incorporado ao elenco ou não”.

Quem, pelo visto, ainda teve ter sequência é Gabriel, volante não dá a mesma qualidade à saída de bola do time como outros concorrentes no setor, mas que tem agradado a Tiago Nunes.

“A ideia é manter o equilíbrio. Começamos jogando com Camacho, Cantillo e Ramiro. Depois, fragilizamos a equipe defensivamente um pouco, e a entrada do Gabriel deu mais estabilidade ao setor. É um jogador de mobilidade, mas que melhorou a qualidade no passe. Durante muito tempo ele ficou rotulado como jogador que só destruía, mas com a força de vontade que tem vai continuar crescendo e tem a confiança para continuar jogando. As situações de momento vão nos pautando, como já colocamos o Ruan Oliveira, o Éderson. É tentar casar os atletas de melhor característica com o jogo".

Nesta quarta, às 21h30, o Corinthians encara o Coritiba, na Arena de Itaquera, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O Timão ainda busca a primeira vitória na competição nacional.


Deixe seu comentário