Gazeta Esportiva

Em novo duelo com atual campeão, Tite quer mais posse de bola

Marcos Guedes - São Paulo,SP

16/04/15 | 08:04

Priorizando o confronto do Corinthians com o San Lorenzo em relação ao clássico contra o Palmeiras, Tite procurou valorizar o duelo com os argentinos, vencedores da Copa Libertadores do ano passado. De acordo com o técnico, é o apelo do embate de dois campeões recentes que fará o recorde de público de Itaquera ser quebrado.

Priorizando o confronto do Corinthians com o San Lorenzo em relação ao clássico contra o Palmeiras, Tite procurou valorizar o duelo com os argentinos, vencedores da Copa Libertadores do ano passado. De acordo com o técnico, é o apelo do embate de dois campeões recentes que fará o recorde de público de Itaquera ser quebrado.

“A primeira coisa que vem é: campeão da Libertadores de 2014 contra campeão da Libertadores de 2012. Isso, por si só, tem um atrativo extraordinário. E a base do San Lorenzo é a base campeã, não estamos falando de uma equipe em reformulação. A grandeza é um atrativo que justifica essa procura”, afirmou o técnico.

Mais de 38 mil torcedores acompanharão a partida, estabelecendo o maior número da arena com o Corinthians em campo. Quem for à zona leste de São Paulo, espera Tite, verá a formação preta e branca com maior domínio das ações do que teve na vitória por 1 a 0 em Buenos Aires, injusta até na avaliação do próprio treinador.

Tite sabe que o Corintians não mereceu a vitória sobre o San Lorenzo na Argentina
Tite sabe que o Corintians não mereceu a vitória sobre o San Lorenzo na Argentina - Credito: Djalma Vassão/Gazeta Press
“Posso afirmar que foi um dos nossos jogos mais difíceis. É uma equipe que joga sem pensar também, pela base que tem. Mesmo as modificações feitas são trabalhadas, isso faz a equipe jogar sem pensar, automatizando e coordenando os movimentos”, comentou o gaúcho.

Para evitar os apuros passados no Nuevo Gasómetro, o técnico pediu atenção com a efetiva bola parada do adversário e qualidade com a bola. “Precisamos de mais posse do que lá. E essa posse tem que gerar oportunidades reais de gol. Posse de bola e contundência: são esses dois fatores.”

Deixe seu comentário