Duilio rechaça participação em mudança no estatuto do Corinthians e rebate Gobbi: "Deu showzinho"

São Paulo, SP

23/09/22 | 08:00

O atual presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, negou ter participado da sugestão de mudança do mandato de sua posição dentro do clube de três para quatro anos. O assunto surgiu na última semana, após reunião do Conselho Deliberativo do Alvinegro.

"Saíram muitas matérias que eu estaria dando golpe, isso não tem nada a ver. Explicando de uma forma rápida e simples, existe uma comissão de reforma de estatuto formada no clube dentro do Conselho Deliberativo, não é algo feito pelo presidente, do Poder Executivo, é do Legislativo, comparando com a política nacional. Uma das propostas que existem é que o mandato de presidente passe a ser de quatro anos, dentre tantas outras", iniciou o mandatário em entrevista à Rádio Craque Neto, na noite da última quinta-feira.

"Quando virei presidente, e isso deixo claro em todas as nossas reuniões, que qualquer diretor que tenha pretensões políticas e queira participar da política, ele, por favor, entregue a carteirinha e vá cuidar da política. Tenho muito claro que, se for olhar para a política, em agradar a todos, não vou fazer nada que o clube precisa. Por isso, não meto nisso. Essa comissão, formada por conselheiros, jamais participei de reuniões, não me meto nas propostas, e o conselho tem capacidade para tomar as melhores decisões para o clube", complementou.


O atual presidente ainda lembrou que qualquer mudança de estatuto sugerida pela comissão precisa ser aprovada no Conselho Deliberativo e, posteriormente, na Assembleia Geral dos Sócios. Duilio ainda afirmou que, na reunião em questão, realizada na última segunda-feira, o ex-presidente Mario Gobbi Filho se exaltou e o acusou de estar dando um golpe.

"Não se trata de golpe e nem nada desse tipo. Na última reunião, infelizmente, muito triste, o ex-presidente Mario Gobbi deu showzinho, disse que eu não era democrático, que eu queria mudar o estatuto, que eu era mentiroso. Eu nasci lá dentro, assim como minha família toda, dizer que não sou democrático? Um cara que chegou com título de remido, um ou dois anos depois virou vitalício... Para você ter ideia, meu pai não é conselheiro vitalício do Corinthians. Hoje, para um sócio ser conselheiro tem que ter cinco anos pagando em dia para poder se candidatar e, para ser presidente, tem que ter dois mandatos eleito de conselheiro (...) Se tem algum golpe, quem entende disso não sou eu", disparou.

Duilio Monteiro Alves tem mandato estipulado até dezembro de 2023. Uma das mudanças estudadas pela Comissão de Reforma Estatuária do Corinthians é passar de três para quatro anos o mandato de presidente.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Deixe seu comentário