Futebol

Com três anos de contrato, Cristian projeta vida mais longa no Corinthians

Marcos Guedes - São Paulo, SP - Brasil
05/01/2015 19:41:00

Em: Corinthians, Futebol

Cristianzinho, hoje com seis anos, e Beatriz, com sete, não se lembram da primeira passagem de Cristian pelo Corinthians. O jogador deixou o clube após uma curta – e marcante – passagem entre 2008 e 2009. Cinco anos e meio depois, está de volta, “muito feliz” com o que chamou de “sonho”.

Aos 31 anos, o volante foi apresentado pelo clube do Parque São Jorge na companhia dos filhos. Com um contrato de três temporadas, ele espera que os garotos vejam o pai por bastante tempo com a “camisa maravilhosa” alvinegra. “Está bonita, filho? Está com vergonha de falar? Está bonita, está bonita.”

“Para mim, a felicidade não tem tamanho. Sempre tive vontade de voltar porque acho que fiquei muito pouco tempo. Tem muita coisa ainda para acontecer minha história aqui. Queria esticar um pouco essa história. O melhor momento para voltar foi este”, afirmou.

ristianzinho e Beatriz acompanharam Cristian no retorno do volante ao Corinthians
ristianzinho e Beatriz acompanharam Cristian no retorno do volante ao Corinthians – Credito: Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A contratação de Cristian foi tentada pelo Corinthians várias vezes desde sua transferência ao Fenerbahçe. O atleta chegou a gravar um vídeo, pedindo a ajuda da Fiel para retornar, e só foi liberado pelo clube turco no meio deste ano. Preferiu não acertar com nenhum clube e ganhar um contrato mais longo de seu time em janeiro.

“Ah, eu sou corintiano, né? Foi aqui que encontrei a felicidade. Os torcedores são parecidos comigo, muito humildes. Estou muito feliz. Era um sonho meu voltar a vestir esta camisa. O Fenerbahçe não liberava, tinha o seu direito. O Corinthians sempre tentava, e, agora, a gente conseguiu”, comemorou.

Mesmo fora do clube, o jogador continuou próximo. Terminada a semifinal da Copa Libertadores de 2012, foi ao vestiário e pegou as camisas usadas por quase todos os atletas na histórica e inédita classificação para a decisão. No final do ano, antes da decisão do Mundial, explicou a Tite o perfil do juiz turco Cüneyt Çakir.

Houve breve tensão na relação, com uma ação trabalhista, mas um acordo foi rapidamente costurado com o presidente Andrés Sanchez. “Para mim, foi muito difícil sair daqui. Sofri muito e tive a ajuda da minha família. Mas acompanhava bastante o Corinthians. Agora, estou de volta.”