Citadini reclama de complô contra o Timão e "chororô" dos outros

São Paulo, SP

07-09-2015 09:00:32

Antonio Roque Citadini defendeu o Timão e considerou a arbitragem justa no Brasileiro

Antigo membro da diretoria do Corinthians, o ex-vice-presidente do clube, Antonio Roque Citadini, rebateu as críticas feitas aos erros de arbitragem que teriam favorecido o alvinegro. Presente ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, no domingo, ele afirmou que os protestos feitos por clubes como o Atlético-MG durante a última semana não passam de "chororô de quem está atrás do alvinegro na tabela do Brasileiro.

"Juntou o choro do Inter de 2005 com o do Atlético-MG. Somou-se a isso os já tradicionais choros do Palestra e do São Paulo", disse Citadini, contestando a teoria de que o Timão teria aberto seus cinco pontos de vantagem na competição devido a ajudas do juiz.

"Todo mundo é ajudado e todo mundo é prejudicado uma hora ou outra, não adianta tentar achar coisa onde não tem. O Corinthians teve alguns erros a seu favor durante a temporada, mas também teve erros contra. Diante do Santos, por exemplo, o juiz não deu dois pênaltis para nós", relatou, lembrando o embate contra o Peixe no primeiro turno do Brasileiro, vencido pelos praianos por 1 a 0, com gol de Ricardo Oliveira.

Na ocasião, o técnico Tite e os jogadores corintianos reclamaram da atuação de Luiz Flavio de Oliveira, que não anotou a penalidade máxima quando Luciano foi derrubado por Geuvânio, dentro da área, e Daniel Guedes cortou cruzamento de Uendel com o braço direito. O treinador ainda apontou impedimento no lance do tento santista, mas não houve irregularidade.

"Há um complô contra o Corinthians, que está sendo atacado por todos", continuou o ex-dirigente, vendo na história recente o início das reclamações. "Tudo isso começa no jogo do Castrili", relembrou, citando o árbitro Javier Castrili, que apitou a semifinal do Campeonato Paulista de 98, entre Corinthians e Portuguesa. Na ocasião, um pênalti polêmico marcado nos acréscimos deu ao Timão o empate por 2 a 2 e a vaga na decisão contra o São Paulo.

"Na época, foi feito um escarcéu impressionante. Hoje, se as pessoas forem analisar, vão ver que os dois gols da Portuguesa estavam impedidos, e os dois pênaltis a nosso favor foram pênalti. É histórico, as pessoas repetem tanto essa mentira que vira verdade", indignou-se Citadini. "Agora estão querendo criar outra mentira para diminuir um possível título brasileiro", encerrou.

Deixe seu comentário