Futebol/Amistoso

Casuals traça um gol como meta, mas se preocupa em evitar sete

Helder Júnior - São Paulo , SP - Brasil
21/01/2015 07:45:20

Em: Corinthians, Futebol

Enquanto os jogadores do Corinthian-Casuals se comportam como turistas no Brasil, um dirigente da delegação britânica parece mais preocupado com o amistoso festivo de sábado, contra o Corinthians. Um dos objetivos do vice-presidente David Harrison é evitar a eternização de um novo 7 a 1, desta vez em Itaquera.

“Francamente, estou muito nervoso com a partida. Já enfrentamos o Corinthians duas vezes, em 1988 e em 2001, mas eram jogos contra veteranos. Agora é diferente. E você sabe que não estamos no mesmo nível”, disse David, carrancudo, diferentemente dos jogadores amadores de sua equipe. Todos que vieram passear no Brasil não recebem salários do Corinthian-Casuals – clube que inspirou a fundação do Corinthians, em 1910.

Ao ouvir “7 a 1”, o vice-presidente do clube britânico chegou a segurar a sua gravata marrom e rosa (as inusitadas cores do clube) com firmeza, porém esboçou um sorriso. “Espero que não seja assim no fim de semana. Espero”, repetiu, apesar de deixar claro que o objetivo é voltar do Brasil com ao menos um gol marcado. Em 1988, quando David sugeriu que Sócrates defendesse o Casuals por 15 minutos, o seu time foi derrotado só por 1 a 0. Em 2001, o marcador foi de 2 a 0 para uma equipe de juniores do Corinthians.

Com uma série de compromissos no Brasil, Corinthian-Casuals só fez um treino no CT Joaquim Grava
Com uma série de compromissos no Brasil, Corinthian-Casuals só fez um treino no CT Joaquim Grava – Credito: Divulgação
O placar de 7 a 1 é marcante para os torcedores corintianos por causa da imortal goleada aplicada sobre o Santos em 2005. E ainda mais para a Seleção Brasileira, que acabou eliminada dessa forma pela Alemanha na última Copa do Mundo disputada em casa.

Ainda assim, o Corinthian-Casuals também tem um membro que não se importa com um novo 7 a 1. “Pode ser esse placar no sábado, sim. Por que não? Não ligo. Desde que o Corinthians vença, está bom. Será um encontro ótimo para as nossas histórias”, discursou Chris Watney, diretor comercial e atacante do time inglês nas horas vagas. “Estou velho. Devo disputar a minha última partida em Itaquera”, brincou.

Chris não é o maior candidato a marcar o gol isolado do Corinthian-Casuals contra o Corinthians. A missão recai principalmente sobre Jamie Byatt, artilheiro da equipe. “Fazer um gol naquele estádio será a realização de um sonho. Na nossa casa, não temos tanta torcida. Aqui, serão milhares. Não posso esperar por esse dia tão especial nas nossas vidas”, disse o jogador.

Se Jamie estará empolgado com a oportunidade de comemorar um gol em um estádio lotado, um companheiro seu já começou a se preparar para evitar outros sete no lado defensivo. “Sei que terei bastante trabalho”, sorriu o goleiro Danny Bracken. “Mas não espero um 7 a 1. O gol e a bola são do mesmo tamanho em qualquer lugar. Se eu fizer o meu melhor e mantiver os pés no chão, sei que me sairei bem”, confiou.




×
Quer receber notícias do Corinthians?