Carlos Miguel revela bastidores da negociação com clube inglês e explica valor baixo da multa no contrato - Gazeta Esportiva
Carlos Miguel revela bastidores da negociação com clube inglês e explica valor baixo da multa no contrato

Carlos Miguel revela bastidores da negociação com clube inglês e explica valor baixo da multa no contrato

Gazeta Esportiva

Por Redação

10/07/2024 às 11:04 • Atualizado: 10/07/2024 às 11:58

São Paulo, SP

Carlos Miguel era tido como o grande sucessor de Cássio no gol do Corinthians. Entretanto, o goleiro de 25 anos se transferiu ao Nottingham Forest, da Inglaterra, após a sua multa rescisória ter sido diminuída para 4 milhões de euros. O jogador explicou por que o valor da multa caiu e ressaltou que, em conjunto com o seu empresário, procurou o melhor para a sua carreira.

“Cheguei de graça. Só com salário e sem luvas. Consegui jogar em 2022 e em 2023 fomos renovar. Só tinha dois jogos no profissional e queríamos mudar a multa. Quatro milhões de euros para uma pessoa que jogou só dois jogos é caro. Tendo o Cássio como titular ainda, que por mim estaria aqui até hoje. Eu e o meu empresário tínhamos o nosso lado e o clube tinha o dele”, explicou o goleiro, em entrevista ao podcast Benja Me Mucho, do jornalista Benjamin Back.

Ao falar de Cássio, que saiu do Timão neste ano para ir jogar no Cruzeiro, Carlos Miguel garantiu que não tinha nenhum problema com o ídolo corintiano.

“Nunca tive nada com o Cássio. Muita gente falou que eu tinha algum problema com o Cássio, pelo amor de Deus (risos). Ele era o titular, então queria ajudar ele. Eu soube esperar o meu tempo”, disse Carlos Miguel.



Com a ida de Cássio ao banco de reservas após uma partida contra o Argentinos Juniors, Carlos Miguel disputou 11 jogos como titular. Quando se firmava no gol do Timão, o goleiro recebeu a notícia que o Nottingham Forest, do Campeonato Inglês, iria pagar sua multa rescisória. O jogador de 25 anos explicou que seu desejo era ir para a Inglaterra e revelou os bastidores das conversas com a diretoria de Augusto Melo.

“Eu me sentei e falei com eles. Fui honesto e falei: "Tenho proposta de um clube de fora, do Nottingham Forest, é meu sonho jogar na Premier League e vou aceitar". Eu não vou para lá por dinheiro. Inclusive eles (diretoria de Augusto Melo) me ofereceram um contrato de cinco anos e um salário maior do que eu vou ganhar na Inglaterra”, falou o jogador.

Com a negociação com o Nottingham Forest encaminhada, António Oliveira, na época o treinador do Corinthians, contava com Carlos Miguel para o restante das partidas do Timão até o fim de junho. Entretanto, antes do confronto contra o Athletico-PR, o treinador confirmou a saída do atleta e afirmou que só “fica no Corinthians quem quer jogar no clube”. Carlos disse que não brigou com o português e não entendeu a decisão do comandante.

“Não tive (briga com António Oliveira). Falei para ele que iria jogar as partidas. Poderia falar que não jogaria porque estava vendido, assim como alguns fazem. Joguei contra o Atlético-GO e infelizmente a vitória não veio. Nunca dei "migué". Eu torci o tornozelo em um treino e fui ao DM. Eu queria fazer um teste no hotel antes do jogo. Falei que ia viajar. Eu não sei o que falaram para ele”, falou Carlos Miguel.



Por fim, o goleiro disse que gostaria de voltar ao Corinthians um dia. Entretanto, reconheceu que pela saída precoce, talvez não consiga retornar ao clube futuramente.

“Se eu puder, sim (voltar ao Corinthians). Se eu voltar ao Brasil, minha primeira escolha será o Corinthians. Se não me quiserem, tenho que ter a humildade de reconhecer que a minha saída pode ter influência, mas sei que não fiz nada de errado”, finalizou o jogador.

Pelo Corinthians, Carlos Miguel atuou em 26 partidas e sofreu 15 gols, uma média de 0,58 por jogo. O goleiro chegou ao Timão em 2021, vindo do Internacional.

Conteúdo Patrocinado