Andrés se revolta e pede para clubes tomarem o Brasileirão da CBF

Tiago Salazar - São Paulo,SP

10-11-2018 20:47:47

O gol de Danilo no primeiro tempo não validado pela arbitragem comandada pelo paranaense Rodolpho Toski Marques revoltou a diretoria do Corinthians, que também viu pênalti em Romero antes do intervalo, em lance com o zagueiro são-paulino Bruno Alves. No fim, o empate por 1 a 1 só serviu para enervar ainda mais o presidente alvinegro, Andrés Sanches.

“Tem lance que é pênalti ou não é. Agora, a bola entrar 50 centímetros para dentro do gol? O bandeirinha, você vê o lance no whatsapp, o árbitro que está atrás do gol, ele viu a bola entrar, tanto que ele pediu perdão para o Cássio”, revelou. “Está demais, pô. Os últimos três, quatro jogos está demais”, disse. “É impossível que o árbitro atrás do gol não viu a bola entrar”, completou.

A maior indignação se dá pelo fato do assistente adicional Leonardo Sígari Zanon não ter ajudado o juiz no momento que Jean tirou a bola de dentro do gol.

“É a primeira vez que eu desço para o vestiário que os jogadores estavam até querendo não entrar em campo. A gente não vem fazendo um bom campeonato, mas está demais. O Corinthians já foi beneficiado e prejudicado, mas esse ano está demais. Todo mundo viu, 44 mil pessoas viram. O árbitro é incompetente e irresponsável. Mas isso é o Coronel Marinho, tem que vir falar. Tem que ir descansar, fazer outra coisa. O que eu vi hoje foi uma vergonha”, afirmou o mandatário.

A indignação levou Andrés Sanchez a sugerir que os clubes brasileiros boicotassem o Campeonato Brasileiro na intenção de tomar a administração da competição da CBF.“A verdade é que os clubes tinham de se reunir e não disputar mais o campeonato, para tirar o campeonato da CBF. Aí eles iam ver o que é bom”, ameaçou, garantindo que não irá até o Rio de Janeiro para uma reclamação formal.

“Eu não vou na CBF. Vou na CBF fazer o quê? Eles vão pedir desculpa, falar ‘erramos’. Eles têm de ir lá numa coletiva”, cobrou. “Reclamação, infelizmente ou felizmente, é via imprensa. Fazer uma cartinha, mandar, ir lá falar... O Coronel Marinho não atende ninguém, é um cara intocável”.

“Não é choro, o Corinthians não está bem. Tem erro dos jogadores, da comissão técnica e da diretoria, mas pelo amor de Deus”, disse, sem tirar a reponsabilidade do Corinthians nos resultados.

Novamente questionado sobre o Timão ter votado contra o uso do VAR na atual edição do Brasileirão, Andrés Sanchez voltou a explicar a posição corintiana.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

“O Corinthians é a favor do VAR, eu sou a favor. Mas eles ofereceram um VAR que é 100% mais caro que Portugal. E quem explicou o VAR nem sabia os métodos. Foi por esses motivos”, reiterou.

“Eu sou a favor de profissionalismo em tudo, mas, a lei trabalhista brasileira, se profissionalizar o árbitro da Série A, Série B, você tem de se profissionalizar todos os árbitros do Brasil. E não tem dinheiro na Série C, D e nos Estaduais menores para se pagar tudo isso aí. Podia fazer, não sei, assim: os árbitros Fifa serão profissionais. Mas a lei não permite”, comentou, para em seguida fazer outra sugestão. “Mudar o diretor de árbitro para ir melhorando. Tem de ir mudando”.

Por fim, Andrés Sanchez ainda deu sua opinião sobre os lances de pênalti em cima de Romero e no toque de mão de Arboleda, e aproveitou para lembrar um lance, que na opinião dele, o árbitro preferiu a lei da compensação.

“Todo mundo viu na televisão que o lance do Romero foi pênalti. Como ele deveria ter expulsado o Thiaguinho. Esse (do Arboleda) é interpretativo. Eu acho que foi, mas eu sou Corinthians. É interpretativo. O lance do Romero não é interpretativo. Como o gol do Danilo não é interpretativo”, concluiu.


Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?